Integrante do MTST é preso incendiando florestas no Amazonas #boato

Boato – Integrante do MTST foi preso por atear fogo às margens da rodovia AM-070, na cidade de Iranduba (AM), e confessa ter sido pago pelo crime.

Os debates sobre as queimadas na Amazônia continuam dominando o debate público no Brasil. Enquanto os números (como os da Nasa, que apontam que 2019 é o pior ano de queimadas, desde 2010, na Amazônia brasileira) chamam atenção, manifestações foram convocadas em diversos lugares do mundo no dia 25 de agosto de 2019, famosos estão se posicionando contra os incêndios, ações para conter as chamas estão sendo anunciadas e investigações sobre a origem das queimadas estão sendo feitas.

E, de acordo com uma história que está circulando nas redes sociais, a revista Globo Rural já teria identificado um dos culpados pelos incêndios. Segundo o texto, o integrante do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) Valdeir dos Santos Almeida teria sido preso após ser flagrado incendiando a mata às margens da rodovia AM-070, na cidade de Iranduba (AM). Confira:

Confira também: 7 fake news sobre a Amazônia

MATÉRIA DIVULGADA PELO GLOBO RURAL DA REDE GLOBO. *_Integrante do MTST é preso incendiando florestas no Amazonas._* Valdeir dos Santos Almeida foi preso em flagrante na manhã desse domingo, 25, e encaminhado ao 31 DIP- Iranduba-AM, (próximo a Manaus) por estar incendiando as matas às margens da rodovia AM-070, logo após a ponte que liga Iranduba à Manaus.

Em depoimento ao Delegado de Iranduba, um homem, a quem Valdeir não soube dizer o nome e nem onde mora, pagou os moradores de um assentamento do MTST na periferia de Manaus para cometerem esse ato criminoso. Ainda, segundo o depoimento de Valdeir esse mesmo homem colocou 5 moradores do assentamento dentro de uma caminhonete e os conduziram às margens da rodovia para que os mesmos ateassem fogo nas matas.

Integrante do MTST foi preso incendiando florestas no Amazonas?

A história pegou bastante gente de surpresa e está servindo para endossar ainda mais o discurso daqueles que não apoiam os movimentos como o próprio MTST. A informação, juntamente com a foto do suposto integrante do MTST, está sendo compartilhada em diversos locais. Mas será que essa história da polícia ter prendido um integrante do MTST, que teria sido flagrado incendiando a floresta, é verdadeira? Na realidade, não!

Vamos aos fatos! Ao ler a suposta notícia que teria sido publicada pela Rede Globo, identificamos poucas características de boatos online. O texto é vago e possui alguns erros de português. Mas o fato de não ser vago e ainda citar uma fonte confiável colaborou muito para fazermos esse desmentido.

Ao buscar pela fonte citada (a revista Globo Rural), descobrimos que o veículo de comunicação até chegou a publicar uma denúncia sobre o Dia do Fogo. De acordo com a revista, o ‘evento’ teria sido organizado via WhatsApp. Porém, ao contrário do que aponta a história, a publicação não citou um suposto pagamento e muito menos o nome do MTST ou da pessoa citada no texto (Valdeir dos Santos Almeida).

Decidimos procurar por mais informações sobre o assunto, mas encontramos apenas textos veiculados no WhatsApp, Facebook e em blogs (um deles, inclusive, citou como fonte o WhatsApp). A história não está em nenhuma fonte confiável. Se o caso fosse real, estaria, com certeza, em veículos de mídia.

Mais uma busca e acabamos descobrindo a verdade: a história não passa de balela! Segundo o serviço de fact-checking ‘Estadão verifica’ (mais detalhes no link), o homem (apontado como um auxiliar de produção) realmente foi preso pela polícia por atear fogo na vegetação, porém, além de não pertencer ao MTST, ele também não foi pago para queimar a mata às margens da rodovia.

De acordo com uma nota enviada pela Secretaria de Segurança Pública do Estado, o homem estaria queimando fios elétricos para conseguir cobre e perdeu o controle da situação, iniciando um incêndio. Ele foi encaminhado à delegacia onde assinou um termo circunstanciado.

Em resumo: a história que diz que um integrante do MTST foi preso no Amazonas após ser pago para atear fogo na vegetação é falsa! Além de não encontrarmos nada sobre o assunto na fonte citada (revista Globo Rural), descobrimos que a história foi inventada. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Estado, o homem, de fato, foi preso, mas ele não era integrante do MTST e muito menos foi pago para iniciar o fogo. O homem estaria queimando fios de cobre, quando perdeu o controle das chamas e iniciou o incêndio. Ou seja, a história é apenas #boato. Não compartilhe!

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)