FBI e CIA descobrem que professor é espião do governo chinês no Brasil #boato

Boato – O FBI e a CIA descobriram que o professor Evandro Menezes de Carvalho, da FGV e UFF, é um espião do governo chinês no Brasil. MI6 também descobriu isso.

Desde quando a disseminação da Covid-19 resultou em uma pandemia, o número de informações falsas e ataques à China (local onde os primeiros casos da doença foram relatados) se intensificaram. De Trump nos Estados Unidos (que ataca a China e aplicativos como o Tik Tok para “angariar votos”) até bolsonaristas no Brasil, o que não tem faltado são ataques e acusações sem provas contra o país asiático.

A última das histórias que está se espalhando online aponta que o governo chinês tem um “espião” no Brasil. De acordo com vídeos e textos que viralizaram em redes sociais, o professor da FGV Evandro Menezes de Carvalho seria um “agente infiltrado” do país no Brasil. Mais do que isso: quem teria dado a informação “bomba” seria o FBI e a CIA. Leia algumas das versões da história que circularam online:

Versão 1: URGENTE FBI e CIA descobrem espião do governo chinês no Brasil Versão 2: MAIS REVELAÇÕES = ESPIÃO DETECTADO! EVANDRO MENEZES DE CARVALHO. Coordenador de Estudos Brasil /China da Fundação Getúlio Vargas. Descoberto pelo FBI e CIA como espião contra o Brasil. Versão 3: Evandro Menezes de Carvalho, brasileiro globalista, Espiao CHINES no Brasil. Conforme apuracao do FBI !

Versão 4: Documentos secretos da CIA e FBI que a reportagem teve acesso revelam que o serviço de inteligência do governo Chinês recrutou um professor brasileiro de direito internacional para serviço de espionagem com objetivo de cooptar agentes políticos brasileiros para criar um ambiente favorável para empresa chinesa Huawei ter a concessão da tecnologia 5G no Brasil. A agência de inteligência britânica MI6 também já tem a informação, pois ainda de acordo com o documento americano, os encontros do espião com membros do partido comunista chinês ocorrem na Europa.

FBI e CIA descobrem que professor da FGV é espião do governo chinês no Brasil?

Os vídeos (que, obviamente, não iremos exibir aqui) e as mensagens se espalharam com muita força por aí. Mas será mesmo que o FBI e a CIA reveleram que o professor Evandro Menezes de Carvalho é um espião? A resposta é não. Calma aí que a gente explica tudo para vocês.

Antes de continuar, vamos entender o conceito da palavra espionagem. De acordo com este artigo, a espionagem “é a prática de obter informações de caráter secreto ou confidencial sobre governos ou organizações, sem autorização destes, para alcançar certa vantagem militar, política, econômica, tecnológica ou social”.

Em outras palavras, a acusação de espionagem faria sentido se houvessem provas de que o professor em questão estaria enviando informações “secretas ou confidenciais” do governo brasileiro para a China. Porém, nem o vídeo em questão tampouco qualquer documento mostra que o professor da FGV teria “roubado informações secretas” do Brasil e entregado para China.

Na realidade, o conceito de espionagem é utilizado de forma deturpada na acusação ao apontar que Evandro Menezes de Carvalho estaria “criando um ambiente favorável com políticos para a Huawei ganhar concessão de 5G no Brasil. Você pode até não concordar com isso, mas não dá para chamar de “espionagem”.

A coisa não para aí. Para além de errar na classificação da prática, os vídeos e mensagens em questão “se esquecem” de um detalhe: mostrar os tais documentos do FBI e da CIA falando do professor brasileiro ou pelo menos provar que eles existem. Uma acusação grave como essa vira boato sem uma prova que a sustente.

Para além disso, há o fator “desdobramentos”. Já fazem alguns dias que a acusação de espionagem surgiu na internet. Seria lógico autoridades policiais brasileiras se manifestarem perante tamanha denúncia. Mas sabe o que vimos até o momento? Só compartilhamentos de canais e páginas das mais duvidosas (muitas acusadas de fake news). Autoridades (inclusive do governo federal) ignoraram a acusação (porque será?).

Para terminar, o que não faltaram foram desmentidos e notas de repúdio em relação ao assunto. Encontramos dois nos últimos dias. A primeira que vimos foi uma manifestação do Sindicato de Professores da UFF, instituição na qual o professor também leciona. Em nota o ADUFF-SSind classificou as acusações como “mentiras e deliberadas criações alucinatórias”. Leia:

A Diretoria da ADUFF-SSind vem a público prestar sua solidariedade ao Professor Evandro Menezes de Carvalho, da Faculdade de Direito da UFF, e manifestar total repúdio à divulgação da peça difamatória, “FBI e CIA descobrem espião do governo chinês no Brasil”, que, a título de matéria investigativa e apoiada em mentiras e deliberadas criações alucinatórias, ataca sua honra e sua reputação de pesquisador e professor, consolidadas em um denso currículo acadêmico.

Evandro Carvalho é Professor Adjunto da Universidade Federal Fluminense, onde desenvolve pesquisas e leciona na área de Direito Internacional, e também coordena o Núcleo de Estudos dos Países Brics. É docente da Escola de Direito da Fundação Getúlio Vargas/RJ, onde está à frente do Núcleo de Estudos Brasil-China. Há cerca de dez anos o Professor Evandro Carvalho vem mantendo estreitas relações acadêmicas com importantes universidades chinesas, o que tem permitido a construção de sólidas iniciativas de intercâmbio cultural e acadêmico em benefício de estudantes de graduação e pós-graduação em ambos os países.

A prática crescente, por grupos alinhados ao fascismo identificado com o Presidente da República, de divulgação irresponsável e criminosa de falsas informações, com o objetivo de dar curso a uma narrativa que pavimente sua continuidade no poder, tem tomado a forma do ataque a reputações e biografias, e obrigado as instituições e os movimentos sociais organizados a saírem em defesa dos indivíduos e da respeitabilidade de seus nomes e carreiras. Estão em jogo, afinal, as condições de preservação da democracia no país. Toda solidariedade ao Professor Evandro Menezes de Carvalho.

A segunda manifestação que vimos foi da Rede Brasileira de Estudos Brasil-China, que o professor também faz parte. A Rede classificou a acusação de “fake news grosseira” que mistura xenofobia e acusação rasteira. Leia o que foi dito:

Entender a China é vital. E esta Rede vem a público defender o que há de mais elementar na produção de conhecimento: a defesa da liberdade dos seus pesquisadores, sua integridade física e moral, e seu respeito. Neste sentido, é com profunda preocupação que nos deparamos com a divulgação de “fake news” grosseiras contra nossos membros.

O caso mais recente, contra o professor Evandro Menezes Carvalho, mistura xenofobia com difamação rasteira ao acusa-lo de ser um “espião” chinês. O ataque não é isolado e se insere entre muitas outras manifestações que servem para a sustentação de projetos autoritários avessos à democracia brasileira.

Vamos recapitular: 1) Uma acusação bombástica apareceu online. 2) Não foi apresentada nenhuma prova dos tais documentos do FBI ou CIA (tampouco os órgãos se manifestaram) ou mesmo de práticas do professor em questão que configurem espionagem. 3) Passaram-se alguns dias e a história (assim como outras fake news) não tiveram qualquer desdobramento. Ao contrário, só vimos desmentidos ou republicações de fontes lá não muito confiáveis.

Com isso, já podemos falar que a história que aponta que a CIA e o FBI descobriram que o professor Evandro Menezes de Carvalho é um espião chinês no Brasil não passa de um boato. Todo o conteúdo que está circulando não sustenta a acusação, que, além de sem lógica, não foi comprovada.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164. 

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2Faip9f
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet