Pular para o conteúdo
Você está em: Página Inicial > Brasil > Fazer estoque de arroz em casa não é recomendado pelas autoridades e pode prejudicar desabrigados no Rio Grande do Sul

Fazer estoque de arroz em casa não é recomendado pelas autoridades e pode prejudicar desabrigados no Rio Grande do Sul

Devemos fazer estoque de arroz por causa das enchentes no Rio Grande do Sul, diz boato (Foto: Reprodução/Facebook)

Boato – Na internet, publicações estão orientando pessoas a fazer estoque de arroz, porque produto estará em falta por causa de enchentes no Rio Grande do Sul.

Análise

Toda vez que uma grande tragédia atinge o Brasil, algumas pessoas, no bom português brasileiro, saem espalhando ideias de girico por aí. Geralmente, com mensagens que instigam o medo, o caos e o pânico.

E dessa vez, infelizmente, não foi diferente. De acordo com uma história que está sendo compartilhada nas redes sociais, as pessoas deveriam começar a fazer estoque de arroz no Rio Grande do Sul. Segundo as publicações, o Rio Grande do Sul é o maior produtor de arroz do país e, com as enchentes, o produto deve se tornar escasso. Ainda segundo algumas publicações, o estoque deve ser feito para três meses e os gaúchos também devem estocar outros alimentos, como trigo e óleo. Confira:

Vídeo: é falso que Lula foi flagrado beijando Suzanne von Richtofhen

Versão 1: “Quem puder estocar arroz .as lavouras foram perdidas e vai faltar arroz”. Versão 2: “Atenção! Além  de estocar arroz e derivados do trigo  devido a tragedia do sul onde sao os maiores produtores de arroz e trigo , MADONA NÃO fez donativo para o povo. Ela recebeu uma grana alta em EURO. Está aí  mais um.motivo dela ser IDOLATRADA!”. Versão 3: “Eu recomendo, para quem pode, estocar arroz! Compre por uns três meses!”. Versão 4: “Vão estocar arroz urgente. O maior produtor de arroz do Brasil é o Rio Grande do Sul. Mais de 80% da safra brasileira é cultivada na região Sul do País”.

Checagem

Fomos atrás de mais informações sobre o assunto e agora vamos te responder, em três etapas, os motivos para não acreditar nessa história: 1) Por que mensagens apontam que devemos estocar arroz por causa das enchentes do Rio Grande do Sul? 2) Por que é uma má ideia estocar alimentos por causa das enchentes no Rio Grande do Sul? 3) Vai faltar arroz por causa das enchentes?

Por que mensagens apontam que devemos estocar arroz por causa das enchentes do Rio Grande do Sul?

De fato, o Rio Grande do Sul é o maior produtor de arroz do Brasil, respondendo por 70% da safra brasileira. Especialistas estimam que as enchentes que assolam o Rio Grande do Sul podem causar perdas de até 11% na safra do arroz, com um prejuízo de cerca de R$ 68 milhões. Esses números estimam apenas as perdas em relação às colheitas que ainda não foram realizadas e não englobam possíveis perdas em armazéns que podem ter sofrido inundações.

Por que é uma má ideia estocar alimentos por causa das enchentes no Rio Grande do Sul?

Para começo de conversa, não há qualquer comunicado sobre desabastecimento do produto. Além disso, existem pessoas que perderam tudo e estão dependendo de doações e de outras pessoas para poderem comer. Mesmo com a previsão de perdas na safra, sair estocando arroz só vai piorar o quadro.

É uma atitude completamente mesquinha e, além disso, a ação de estocar alimentos também vai jogar o preço do produto lá em cima, por causa da lógica de oferta e demanda do mercado. Isto é, o impacto que uma perda de 10% da safra poderia proporcionar, no final das contas, pode ser ainda pior (caso as pessoas resolvam estocar arroz ou outro tipo de comida).

Vai faltar arroz por causa das enchentes?

As previsões indicam que não. De acordo com as estimativas, a perda da safra está estimada, até o momento, em 11%. Com isso, o número de oferta do produto vai diminuir, o que levaria a um aumento no preço do cereal. Segundo os dados de especialistas, 83% da safra de 2024 já estava colhida e ainda restam 150 mil hectares a serem colhidos. Destes, 45 mil hectares estão em regiões que foram atingidas pelas enchentes.

Ainda de acordo com especialistas, o arroz é uma variedade de cereal que é acostumada com a umidade e pode ficar embaixo da água por até 7 dias. Com isso, eles estimam que as perdas podem girar em torno de 50% da colheita restante, isto é, cerca de 600 a 700 mil toneladas. Além disso, segundo os economistas, todo esse cenário pode impactar na inflação, levando à uma alta. Porém, ninguém fala em falta do produto, até porque a maior parte da safra já estava colhida.

A grande questão é que se você resolver estocar arroz em casa, é bem provável que o produto comece a faltar nas prateleiras do mercado. E aí sim, podemos ver a falta de disponibilidade do produto. Não pela enchente, mas sim pelo egoísmo.

Conclusão

Fake news ❌

Você não deve fazer estoque de arroz em casa por causa das enchentes do Rio Grande do Sul. Essa atitude, além de mesquinha, pode comprometer o estoque do produto nos mercados. De acordo com especialistas, até o momento, 83% da safra do arroz já foi colhido e ainda restam 150 mil hectares (onde 45 mil hectares estão em regiões afetadas pelas enchentes).

As águas precisam baixar para os produtores conseguirem fazer uma estimativa mais próxima da realidade. Porém, nenhum especialista fala em falta do produto. O que provavelmente vai acontecer é que o preço do arroz fique mais caro (levando em consideração a lógica da oferta e demanda). E quanto mais o produto estiver faltando nas prateleiras dos mercados, maior será o preço. Ou seja, é uma ideia de girico estocar arroz (essa ação, além de influenciar negativamente no preço do produto, também é uma atitude mesquinha).

Ps: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo e-mail [email protected] e WhatsApp (link aqui: https://wa.me/556192755610).