Conselho Tutelar pede prisão de pai que ensinou profissão de pedreiro ao filho #boato

Boato – Conselho Tutelar pediu a prisão do pai que ensinou a profissão de pedreiro ao filho, fez vídeo e postou no Facebook.

Em meio a debates sobre leis trabalhistas, trabalho infantil e criminalidade, qualquer coisa pode ser argumento para que os lados defendam os seus argumentos. O grande problema é que muitas vezes notícias falsas são utilizadas para isso. É o caso que temos hoje.

Uma informação publicada por uma dezena de blogs agitou a internet no dia 24 de março de 2017. Ela aponta que o “Conselho Tutelar” pediu a prisão de um homem que gravou um vídeo ensinando o filho a ser pedreiro.

O texto começa com a afirmação “provavelmente você deve ter visto um vídeo em que o pai ensina a profissão de pedreiro ao filho” (não vimos, mas tudo bem) e depois fala que o “diretor do conselho tutelar pediu a prisão dele”. Leia trechos do texto que circula online:

Conselho Tutelar pede a prisão de pai que gravou vídeo ensinando a profissão de pedreiro ao filho. Provavelmente você deve ter visto um vídeo que circula na internet nos últimos dias, de um pai ensinando seu filho a sua profissão de pedreiro.

“Um vídeo postado no Facebook mostra um pai que trabalha como pedreiro, ensinando a profissão ao seu filho… O garoto parece estar se divertindo com a situação e faz tudo extremamente rápido. O garoto seria filho do seguidor da página que divulgou o conteúdo. Ele foi identificado como Francisco Fonseca. O pedreiro explica que desde novo o menino sempre gostou de trabalhar, mas isso tem gerado uma divisão online. Para algumas pessoas, um menor trabalhando é um absurdo e a cena é um flagrante do que chamam de exploração infantil. Já para outras, o pai está dando um bom exemplo e ensinando a criança a importância do trabalho”

Pois é, o diretor do Conselho Tutelar expediu junto a Vara da Infância e Juventude um mandato de prisão para o pai do garoto, acusando-o de explorar trabalho infantil do filho.

Antes de acabar, a notícia ainda fala que um internauta deu uma opinião detonando a decisão do juiz, atiça o leitor a dar a falar sobre o assunto e, claro, mostra o tal vídeo. Assiste aí:

Mas será mesmo que a história é real? A resposta é não. Vamos aos fatos. A primeira lida no texto já nos deixa desconfiado que a história é falsa. Ele é cheio de informações vagas e que levantam perguntas. Afinal, qual é o nome do Conselho Tutelar? O caso aconteceu em que cidade? Quem foi o internauta que deu a opinião a respeito?

Temos outras perguntas, mas essas descritas acimas são só para você ter uma noção de como a informação está longe de ser confiável. Junte isso ao fato nenhum meio de comunicação confiável ter dado a história. Um caso insólito como esse sairia no mínimo em um jornal local. Mas pelo o que vimos, só saiu em páginas que já estão recheadas de outros boatos.

Além disso, a imagem que seria do “Francisco Fonseca” ( pai que botou o filho a trabalhar de pedreiro) é de um homem preso em 2016 em Belo Horizonte após colocar o filho à venda na internet. Por sinal, só de olhar a foto se percebe que ele não tem nada a ver com o homem que aparece na filmagem.

Só para terminar, o texto fala que “o diretor do Conselho Tutelar expediu junto a Vara da Infância e Juventude um mandato de prisão”. A informação é totalmente absurda. Primeiro porque não se escreve “mandato” e sim “mandado”. Segundo porque diretor do Conselho Tutelar não pode expedir.

Resumindo: a história que o Conselho Tutelar pediu a prisão do pai que filmou o trabalhando como pedreiro. A história é mais falsa do que nota de três reais.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de Arthur Alves, Alessandro Cyrino, Pati Serrão, Tuka Tuca, Jadilma Arantes Chagas, H Conceição Luciane, Marta Rosa, Junior Ursinho, Cristina Paula, Celso Teixeirae de diversos leitores pelo WhatsApp. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook ou WhatsApp no telefone (61) 99331-6821.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)