Foi confirmado que a WWF está patrocinando o fogo na Amazônia #boato

Boato – Vídeo de policiais falando sobre brigadistas de Alter do Chão é a prova de que ONG WWF é a responsável por patrocinar as queimadas na Amazônia.

As coisas na Amazônia não andam fáceis. Na metade de 2019, o número de queimadas na Amazônia aumentou e começou a chamar a atenção do mundo. Bolsonaro não gostou nada da situação e chegou até a culpar ONGs e o ator Leonardo DiCaprio pelas queimadas na região.

Em meio a todo esse burburinho, a Polícia Civil do Pará resolveu anunciar que teria pessoas suspeitas de atear fogo em Alter do Chão, localizada em Santarém (PA). Durante a operação, quatro brigadistas de uma ONG foram presos suspeitos de participarem de queimadas na região. Porém, alguns dias depois, eles foram soltos.

E aí, começou a pipocar na internet uma quantidade enorme de teorias da conspiração. Mas uma, em especial, chamou a atenção da nossa equipe. De acordo com a história, a ONG WWF estaria patrocinando as queimadas na Amazônia e a prova seria um vídeo que acompanha a publicação. Confira:

CONFIRMADO: A WWF estava sim patrocinando o fogo na Amazônia. Teve quebra do sigilo telefônico e bancário, dos incendiarios da reserva de Alter do Chão.

Foi confirmado que a WWF estava patrocinando o fogo na Amazônia?

A informação deu o que falar e causou verdadeira revolta nas redes sociais. Mas será que essa história de que a WWF estaria patrocinando as queimadas na Amazônia é real? Não é!

Vamos aos detalhes! Toda essa história surgiu em meio a acusações contra ONGs e prisão dos quatro brigadistas de uma ONG, em Alter do Chão (em Santarém, Pará). Porém, essa teoria apresenta alguns furos que colocam toda a informação em xeque.

Ao ler as publicações, por exemplo, encontramos diversas características de boatos online ao longo do texto. As mensagens apresentam caráter vago e bastante alarmista, possuem erros de português e não citam fontes confiáveis.

Outro ponto que coloca a teoria em dúvida é que as acusações apontadas no texto se embasam apenas nas acusações feitas pela polícia no dia da prisão dos brigadistas. Em um desmentido do Boatos.org, nossa equipe mostrou que a teoria da venda de fotos não é real. Além disso, muitos dos indícios apontados como provas iniciais acabaram sendo refutados. É o caso da gravação que cita “botar fogo no mato”. A frase, na verdade, é uma expressão que significa usar maconha.

Vale ressaltar que a própria WWF negou a compra de fotos de incêndios. A ONG explicou que o valor repassado à instituição dos brigadistas era de uma parceria técnico-financeira para a compra de novos equipamentos para o combate aos incêndios.

Também é importante destacar que como nenhuma acusação foi comprovada e os brigadistas não representavam um risco, todos os quatro homens foram soltos alguns dias após suas prisões. O delegado do caso, inclusive, foi afastado. Além disso, o Ministério Público Federal (MPF) solicitou que o caso seja julgado pela Justiça Federal e não mais pela Polícia Civil do Pará.

O próprio MPF, inclusive, alegou não ter encontrado indícios de culpa por parte dos brigadistas e solicitou acesso ao inquérito que resultou na prisão dos quatro brigadistas.

Em resumo: a história que diz que um vídeo seria a prova de que a WWF teria patrocinado os incêndios na Amazônia é falsa! As imagens podem apontar para muitos lados, menos comprovar que a WWF é a responsável pelas queimadas na região. Pelo menos, não até o final da investigação. Isso só o tempo dirá. Ou seja, tudo não passa de balela. Não compartilhe!

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

Clique nos links “bit.ly” para acessar nossos perfis:

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/36nlVru
error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)