Hoax: China vai enviar 100 mil soldados para protestos na Venezuela

By | 17/02/2014
Boato diz que China vai mandar soldados para a Venezuela

Boato diz que China vai mandar soldados para a Venezuela

Boato – Governo chinês prepara 100 mil soldados para conter onda de protestos na Venezuela. Informação teria sido obtida por hackers russos.

Os protestos contra o governo de Nicolás Maduro, que iniciaram no começo de fevereiro, já passaram aqui pelo Boatos.org, quando a notícia de que o Brasil estaria colaborando para que não fossem divulgadas informações, através da imprensa tradicional, sobre as manifestações. Apontamos as principais falhas do boato em outra publicação, leia mais sobre.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org

Mais um dos boatos sobre a Venezuela é a notícia que se espalhou por páginas que fazem oposição ao governo do PT e à doutrina socialista. Uma imagem traz a informação de que 100 mil soldados chineses estariam prontos para serem enviados até o país latino. A informação é parte da notícia de que a Venezuela estaria censurando os veículos de mídia locais. A imagem diz a seguinte mensagem:

O apocalipse a caminho da Venezuela… China prepara 100 mil soldados para acabar com protestos na Venezuela… um mar de sangue

Junto à imagem há um link em espanhol que passa a seguinte mensagem (traduzido):

CHINA planeja submeter 100.000 forças policiais PERTENCENTES motim ELITE DE APOIO AO GOVERNO DE NICOLAS MADURA NO CONTROLE DE REVOLTA POPULAR

SEGUNDO A informação vazou por hackers russos estavam FEITO DE CONHECIMENTOS PARA REDE INTERNET que está se movendo informações através do Ministérios das Relações Exteriores da Venezuela e da China para receber apoio SCENARIO POPULAR Revueltas esperado nos próximos DIA em todos os estados PAÍS.

Foi dado a conhecer através de redes de informação que operam vários hackers que estão se movendo as negociações através dos Ministérios das Relações Exteriores da Venezuela e da oferta da China para enviar 100.000 soldados de elite pertencentes ao governo asiático polícia de choque, uma vez que estes estão muito preocupados com o risco para seus interesses econômicos e acordos comerciais foram assinados pelos dois governos desde o período o presidente Hugo Chávez e, agora, Nicolas Maduro.

O assunto é polêmico, pois envolve relações políticas continentais. Segundo o boato, o principal motivo para que exista essa cooperação é o fato de que os dois países são simpatizantes do socialismo. Para sustentar a informação, foi usada a notícia de que o Brasil teria estreitado relações militares com a China, mas não existe menção ao governo venezuelano. 

Mas vamos pensar um pouco mais: algo que envolvesse interferência internacional em assuntos internos de um país certamente repercutiria rapidamente na imprensa, e não ficaria preso aos meio independentes de notícias. E nada foi encontrado em sites de notícias sobre soldados chineses, manifestantes venezuelanos e hackers russos.

E se você ainda se pergunta de onde a imagem, leia: a foto utilizada para ilustrar a informação é da policia de Taiwan, que utiliza o traje preto e com máscaras para intimidar criminosos. A máscara é blindada e feita para agüentar balas de alto calibre como o de Magnum 44. Sendo assim, não é do suposto grupo de soldados que a China preparou para a Venezuela.

Toda a história faz parte de um conjunto de informações de fontes duvidosas que circulam pela rede. O fato de que a Venezuela está dificultando a saída de informações dos protestos já foi levantado pela imprensa, apesar de que o governo de Maduro negue interferir nos veículos de comunicação. Mas não existe nada a respeito da ação chinesa sobre as manifestações venezuelanas. Ou seja, mais uma informação falsa.

3 thoughts on “Hoax: China vai enviar 100 mil soldados para protestos na Venezuela

  1. Yoseph Makabi

    E Cuba? Enviou, ou vai enviar, militares para ajudar Maduro? será que o Maduro já apodreceu??? Na tua visão só é verdadeiro o que diz coisas boas do Maduro??? KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *