Mentira: dois casos de ebola foram confirmados no Rio de Janeiro

By | 24/08/2014
História falsa diz que ebola chegou ao Rio de Janeiro

História falsa diz que ebola chegou ao Rio de Janeiro

Boato – Dois casos de ebola foram registrados no Rio de Janeiro. Um na UPA da Marechal e um na UPA de Botafogo.

O vírus da doença ebola, que atingiu a África no último mês e já fez mais de mil mortos, ainda causa medo. Devido ao alto índice de mortalidade e a não existência de uma cura, muitas pessoas temem por um surto mundial da doença. Só na África, cerca de 1.427 mortes foram registradas até o momento.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org

O medo não só causa pânico como também gera boatos. O ‘diz que me disse’ pode atingir um grande número de pessoas e causar mais pânico ainda. Exemplo disso é a notícia que circulou durante semana passada no Facebook. Uma pessoa divulgou que o vírus da Ebola já havia chego no Rio de Janeiro e alertava as pessoas para terem cuidado.

VAMOS FICAR EM ALERTA!!! MUITO CUIDADO
Atenção…avisem o quanto puder !!
Minha amiga q trabalha na upa acabou de me mandar: meu povo
Acabei de sair da UPA. Atenção:
Casos de Ebola na UPA de Marechal e na UPA que eu trabalho Botafogo. CONFIRMADAS. Já foram transferidas.
A Secretaria de Saúde não vai divulgar.

A notícia bastou para muitas pessoas entrarem em desespero e começarem a tomar os cuidados necessários. A questão é que a Secretaria de Saúde se manifestou e desmentiu a informação. Em nota oficial, divulgada no dia 15, o órgão afirma que nenhum caso foi registrado no Brasil e a disseminação da doença para outros continentes é baixa.

Atualmente, os casos de doença pelo vírus ebola foram identificados apenas em Serra Leoa, Libéria, Guiné; tendo sido notificados, nestes países, 2.127 casos e 1.145 óbitos desde o início do ano de 2014. Este é o maior surto da doença no mundo, com letalidade de aproximadamente 68%. A possibilidade de disseminação para outros continentes continua sendo considerada baixa.

Caso houvesse algum tipo de confirmação da doença em terras tupiniquins, uma UPA não seria exatamente o lugar mais adequado para tratar um doente. A Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro ressalta que caso a informação fosse verdadeira, certamente iria encaminhar os infectados ao Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas.

Além disso, como a Ebola é uma doença infectocontagiosa, seria padrão que o órgão comunicasse a população para tomar determinadas providências, assim como quando ocorreu o surto de Gripe A no Brasil. Afinal de contas, o intuito seria de evitar novas contaminações.

Por fim, nada passou de mentira ou uma brincadeira. O Brasil segue sem casos registrados de Ebola, mas com atenção redobrada. Em caso de suspeita da doença, o paciente deve comunicar as autoridades de saúde, que tomarão os cuidados necessários.

Vale lembrar que não é a primeira vez que boatos sobre casos de ebola no Brasil circulam na internet. Aqui no Boatos.org já falamos de histórias que davam conta de que o ebola havia chegado no Acre e no Maranhão. As informações, claro, eram falsas.

3 thoughts on “Mentira: dois casos de ebola foram confirmados no Rio de Janeiro

  1. ana maria

    concordo com o comentario publicado, trabalho na area de saude, e adivinhe so: treinamento para lidar com possiveis casos de ebola, so no papel, o treinamento nunca aconteceu. Tambem acho q se houver, ou se houve caso ou casos de ebola no brasil, descobririamos da pior maneira possivel, se contaminando. Nao acho q seria divulgado. Tomara q nao seja verdade, os tais boatos. Pois vejo todos os dias pessoas com os sintomas iniciais procurando atendimento. Q Deus tenha misericordia de todos nos.

    Reply
  2. carlos

    Só resta saber o nível de transparência e verdade ao qual devemos atribuir aos nossos governantes em plena época eleitoral…

    Pergunta….temos história de dados epidemiologicos sinceros de DENGUE e gripe A?

    Pode até não ser verdade…. mas crer que seriamos avisados… creio que é ser crédulos demais…

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *