Feijão cru moído é um ótimo veneno natural para acabar com ratos em casa #boato

Boato – Feijão cru moído é um veneno natural contra ratos; animal se extingue em três dias no entorno da área onde o farelo está.

Ingrediente indispensável no “pê-efe” (prato feito), com arroz e acompanhamentos, o feijão é um clássico da culinária brasileira. Mas aqui vem uma novidade: o feijão não é apenas visto como um alimento. Isso porque, de acordo com uma publicação compartilhada na internet, ele é um importante aliado no combate aos roedores.

A informação, que circula no Facebook e WhatsApp, aponta que o feijão é um veneno natural contra ratos. O texto diz que o feijão deve ser utilizado cru e moído e que “a população de ratos se extingue em três dias no entorno da área em que o farelo foi colocado”. Leia o que diz trechos da mensagem:

VENENO NATURAL CONTRA RATOS Como fazer: a) Pegue uma xícara de qualquer feijão cru (sem lavar mesmo); b) Coloque no multiprocessador ou liquidificador (SEM ÁGUA); c) Triture até virar uma farofinha bem fininha, mas sem virar totalmente pó.

Onde colocar: Coloque em montinhos (uma colher de chá) nos cantos do chão; a) Perto das portas; b) Janelas (SIM… eles escalam as janelas…) c) Atrás da geladeira; d) Atrás do fogão; e) À beira de esgotos, de córregos e valas, em ruas e/ou alamedas, por exemplo. OBS.: O custo é muito barato e a eficácia é muito elevada!

O rato come essa farofinha, mas não tem como digerir o feijão (cru), por falta de enzimas digestivas ou substâncias que digerem feijão cru. Isso causa aos ratos envenenamento natural por fermentação. Todos os que ingerem morrem! A população de ratos se extingue em três dias no entorno da área em que o farelo foi colocado. […]

Feijão cru moído é um ótimo veneno natural para acabar com ratos em casa?

Apesar de ser antiga, a informação fez a alegria de quem tem problemas com roedores em casa. Mas será mesmo que o feijão é um veneno natural contra ratos? A resposta é não. Sem mais delongas, vamos aos fatos.

Para começar, a história possui as principais características de boatos online: informações vagas, erros de português, sem datas e fontes confiáveis e pedidos de compartilhamento. Como se não bastasse, ao buscar informações sobre o uso do feijão cru, não encontramos nada que aponte para a sua utilização como pesticida.

Mas não é só isso: na busca, encontramos uma pesquisa da Universidade Federal de Pelotas no Rio Grande do Sul, publicada em 1994, sobre os fatores antinutricionais existentes no feijão. Na época, os testes foram realizados com ratos, que foram submetidos a uma dieta exclusiva de feijão cru e morreram. Aliás, os ratos morreram por causa da alta concentração de proteínas danosas como a antitripsina e a lectina. Vale dizer que essas proteínas danosas são destruídas no processo de cozimento do alimento e, por isso, são incapazes de fazer mal à saúde quando cozidos.

Como você pode imaginar, foi daí que surgiu a história do “feijão pesticida”. O próprio idealizador da pesquisa, Prof. Pedro Antunes, se disse “horrorizado” com os boatos que surgiram sobre o assunto. Afinal de contas, a intenção da pesquisa era demonstrar os efeitos nocivos do feijão cru e os ratos (como em tantas outras pesquisas com animais) foram usados “apenas” para “simular” o que aconteceria com um ser humano.

Também de acordo com os resultados da pesquisa, conseguimos chegar a duas conclusões que tornam o feijão cru, apesar de nocivo aos roedores, algo ineficiente: 1) Os ratos teriam que comer o “preparado” durante vários dias para morrer. Além deles odiarem feijão, quem tem paciência para esperar isso? 2) Ao contrário do que aponta o texto viral, a pesquisa aponta que a farinha do alimento pode ser prejudicial para outros animais e humanos. Ou seja, não é o melhor produto para se espalhar em casa.

Resumindo: embora uma pesquisa da Universidade Federal de Pelotas prove que o feijão cru pode matar ratos, o método não é muito eficiente para acabar com roedores. Com isso, a história de que o alimento é um ótimo veneno natural para acabar com ratos em casa é #boato.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)