Balela: fumar maconha pode ajudar na cura do vírus ebola

By | 07/11/2014
Boato aponta que plantio de maconha pode ser liberado no Brasil

Boato aponta que maconha pode curar ebola

Boato – Evidências científicas dizem que a maconha pode curar o vírus Ebola

Algumas pesquisas já apontaram que a maconha pode servir para diversos fins medicinais, como beneficiar pacientes de câncer, Aids, glaucoma e esclerose múltipla, por exemplo. Algumas evidências científicas provam que os canabinóides, em especial o canabidiol (CBD), podem regular o sistema imunológico e auxiliar na proteção contra algumas infecções virais.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org

Com a onda de notícias sobre o vírus ebola, circulou um texto na internet, falando que o uso da maconha poderia ajudar na cura do ebola. Diversos sites e blogs divulgaram essa informação, que repercutiu nas redes sociais. O texto foi publicado no site do Projeto Charas, conhecido por sua intenção ativista, dedicada à legalização da maconha, um site especializado sobre o assunto.

O título do texto chama a atenção, diz “Maconha pode ser alternativa como o vírus ebola”. A cura de um vírus como o ebola seria almejada por várias partes do mundo neste momento, principalmente na África, onde houveram surtos do vírus. A publicação começa dizendo: “De acordo com o que a ciência já sabe sobre as propriedades medicinais da maconha, é muito provável que erva também tenha eficácia contra o vírus ebola”.

O restante do texto fala da maconha como uma alternativa contra o vírus, visto que ele ataca as aderências entre células causadas pelas “células assassinas” do sistema imunológico, liberando o Fator de Crescimento Endotélio Vascular (VEGF) e destruindo a apertada junção celular, com isso acontece uma fuga de fluído entre as células até sangrar muito.

Segundo o texto, a inibição de VEGF por canabinóides ajudaria a evitar as hemorragias, pois estes inibem o VEGF e também o Glioma em tumores cerebrais através do mesmo mecanismo. Por isso é que seria possível pensar na inibição do VEFG pelos canabinóides, durante uma infecção por ebola, por exemplo.

De acordo com o texto, foram feitos estudos em diversos países, que comprovam a eficácia do uso de compostos químicos sintetizados a partir da Cannabis sativa para combater a proliferação de vírus em pacientes e que, em breve, seriam realizados testes em doentes com ebola.

Esse texto foi baseado em uma postagem publicada no Cannabis Digest, assinada pelo médico David B. Allen, um médico cardiovascular aposentado, falando sobre a Cannabis na cura do ebola. Mas de fato, os artigos não falam sobre o ebola, eles citam as patentes US 20080108647 e a US US20070179135. As duas são sobre supostas curas de doenças  como a AIDS, mas não se referem ao ebola. Além disso, uma patente nem sempre prova sua eficiência, é mais uma teoria. Leia:

Maconha pode ser alternativa contra o vírus Ebola?

De acordo com o que a ciência já sabe sobre as propriedades medicinais da maconha, é muito provável que erva também tenha eficácia contra o vírus Ebola.

Existem grandes evidências científicas de que os canabinóides, em especial o canabidiol (CBD), podem regular o sistema imunológico e, por sua vez, fornecer proteção contra diversas infecções virais. A maconha é reconhecida por inibir fungos e bactérias, e pode ser considerada como uma nova classe de antimicrobianos devido ao diferente mecanismo de ação dos outros agentes antimicrobianos. Sendo assim, é importantíssimo que se investigue as possibilidades da maconha no combate ao vírus Ebola, pois existem grandes chances de resultados positivos.

O vírus Ebola também ataca as aderências entre células causadas pelas “células assassinas” do sistema imunológico, promovendo a liberação de Fator de Crescimento Endotélio Vascular (VEGF), o que resulta na destruição da apertada junção celular e provoca uma fuga de fluído entre as células até ocorrer sangramento. A inibição de VEGF por canabinóides ajuda a evitar as hemorragias.

Os canabinóides estão mostrando ter efeito “assassino”, atividade significativa para muitos vírus, como a Hepatite C e o vírus HIV. As patentes norte-americanas US 20070179135 e US 20080108647, são a prova de que os canabinóides inibem a multiplicação de muitos tipos de vírus diferentes. Estas patentes também provam que canabinóides diminuem a imunidade do corpo sobre a resposta estimulada com a infecção viral.

No dia 13 de outubro de 2014, o ex-governador do Novo México Gary Johnson, presidente da Cannabis Sativa Inc (empresa que produz a maconha para uso medicinal e recreativo) afirmou em uma entrevista para a Fox News que a maconha pode ser usada para tratar o vírus ebola.

A entrevista (em inglês) pode ser vista neste vídeo, que também consta na postagem do Charas. O que acontece é que depois de dois dias da entrevista, Johnson foi a público e declarou que ainda não há pesquisas que comprovem que a maconha pode ser eficaz no combate ao ebola.

Resumindo, até o momento, nenhuma pesquisa científica provou que o uso da maconha poderia beneficiar pacientes com ebola, nem curar o vírus. Ou seja, tudo não passa de especulação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *