Balela: bebê nasce sem romper bolsa porque mãe estava com aids

By | 24/03/2014
Boato diz que bebê nasceu sem romper a bolsa por mãe ter aids

Boato diz que bebê nasceu sem romper a bolsa por mãe ter aids

Boato – Bebê é protegido do vírus da Aids ao nascer com bolsa amniótica intacta.

O surpreendente registro de um recém-nascido dentro do saco amniótico ganhou destaque nas redes sociais. A imagem, que traz uma situação rara, é acompanhada de uma explicação comovente. Leia:

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org

Um bebê nasce, sem que a bolsa seja rompida, pelo fato de sua mãe ter Aids… Deus é muito PERFEITO! 

A informação junto da foto chegou a quase 1 milhão de curtidas no Facebook. O caso comoveu milhares de pessoas que se sensibilizaram pela condição especial do nascimento, mas a verdade é que algumas coisas foram alteradas.

O parto sem rompimento da bolsa é raríssimo, com estimativas de apenas um caso em cada 80.000 partos, e o bebe não corre riscos nessa situação. Na verdade fica protegido de contaminações que acontecem no procedimento obstétrico.

A imagem do bebê foi tirada por um médico grego que registrou o momento único em junho de 2013. A foto até então circulou por sites de notícias franceses e ingleses contendo apenas a informação da condição rara do parto.

Mas no Brasil a história ganhou um pouco de sensacionalismo e a mãe do bebê passou a ter aids, logo nascer dentro da bolsa amniótica impediu milagrosamente a contaminação do vírus, mas claro que tudo isso é balela!

O nascimento não é o momento onde o bebê se contamina com vírus, já que a alimentação e a respiração acontecem no cordão umbilical, através da corrente sanguínea. A “transmissão vertical” (da mãe para o bebe) preocupa muito a comunidade médica, mas existem tratamentos que inibem a ação do vírus permitindo que o bebê nasça saudável. Assim, o fato de nascer sem o rompimento da bolsa não impedira o contagio do vírus HIV.

A foto ganha destaque pelo momento raro, mas toda a história milagrosa envolvendo o vírus da Aids, não passa de mentira!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *