Vigas da Perimetral foram encontradas no sítio da família Picciani em Conservatória #boato

Boato – Jorge Picciani escondeu as 6 vigas de aço, de 20 toneladas cada, roubadas da Perimetral do Rio em 2013, para construir uma ponte em seu sítio no distrito de Conservatória, em Valença (RJ). 

Atualizado em 22/02/2018: depois que fizemos o primeiro desmentido, “brotaram na internet” fotos do que seriam “as vigas de Picciani”. O que muitos que compartilharam e questionaram o Boatos.org não fizeram foi checar a origem das imagens. Para ajudar os menos “atentos”, nós fizemos isso e descobrimos que as fotos são das vigas de Barra Mansa (citadas na segunda parte do nosso texto) e nada têm a ver com o deputado estadual. As fotos das vigas foram tiradas desta matéria do G1. Continue com o nosso desmentido. 

No último ano, o Rio de Janeiro tem enfrentado uma verdadeira crise: funcionários públicos e pensionistas estão com salários atrasados e os repasses a diversas áreas também estão comprometidos, porque o estado alega não ter dinheiro. No meio disso tudo, brotam denúncias de corrupção. Mas essa não foi a primeira vez que os moradores do Rio se viram em uma situação, no mínimo, caótica e bizarra.

Em 2013, o então prefeito da “cidade maravilhosa”, Eduardo Paes, foi à mídia para anunciar o sumiço de 6 vigas de aço, de 20 toneladas e 40 metros cada, que foram retiradas do Elevado da Perimetral, na Região Portuária do Rio, em uma demolição. Elas teriam sido furtadas de um terreno que pertence ao Governo do Rio de Janeiro.

Passados 5 anos do furto, elas não foram encontradas. Mas parece que essa história está perto de chegar ao fim. Pelo menos é o que afirma uma postagem que está circulando nas redes sociais. Segundo a história, as vigas foram encontradas no sítio da família Picciani (liderada por Jorge Picciani, ex-presidente da Assembleia Legislativa do Rio e atualmente preso), em Conservatória, distrito de Valença (RJ). Confira a mensagem que viralizou no WhatsApp:

Vocês sabem aonde foram parar as vigas metálicas da perimetral do Rio de Janeiro? Aquelas quatro que sumiram misteriosamente, lembram? Estão num sítio do Picciani, em Conservatória, escondidas no mato, para fazer uma ponte sobre um rio dentro do terreno dele. Saíram do Rio de Janeiro, pela Rio-Santos de madrugada. Um dos que transportou-as, resolveu abrir o bico. A qualquer momento irá aparecer na mídia…

Vigas da Perimetral foram encontradas no sítio da família Picciani em Conservatória?

O mistério do sumiço das vigas já completa 5 anos e, até o momento, ninguém conseguiu descobrir o paradeiro das 6 vigas de aço que juntas pesam mais de 100 toneladas. E, apesar de muitas pessoas acharem que solucionaram o mistério, a história que envolve Picciani e as vigas não é real. Quer saber o motivo? Continua lendo!

Vamos lá! Primeiramente, o texto que está circulando nas redes sociais nasceu, na verdade, no WhatsApp. E, bom, ao contrário do que diz a história, a mídia não se manifestou sobre o assunto. Convenhamos, essa seria uma notícia e tanto. Se houvesse algum embasamento ou prova para confirmar a história, com certeza as emissoras já teriam dado a notícia em primeira mão. Segundo: o texto apresenta muitas características de boatos online: a história surgiu nas redes sociais, não possui fontes e é alarmista. Essas características estão explicadas no vídeo abaixo:

Vale lembrar que, em 2013, logo após o anúncio do sumiço das vigas, um inquérito foi aberto para investigar o caso. Desde então, alarmes falsos são vistos na internet. Em uma das histórias, por exemplo, afirmava-se que as vigas teriam sido encontradas em Barra Mansa (RJ), o que foi desmentido pela Prefeitura do município. O fato é que elas nunca foram encontradas e nenhuma dessas teorias também foi confirmada.

Para completar, vale lembrar que as propriedades rurais são regidas pelo Código Florestal Brasileiro. Para essa legislação ambiental, as margens de rios são consideradas áreas de preservação permanente (APPs), ou seja, não podem ser alteradas sem autorização. Dessa forma, caso a família decidisse construir uma ponte em alguma de suas propriedades, precisaria solicitar uma autorização ao órgão ambiental responsável. Caso contrário, seria autuada por destruição de APPs.

Tentamos procurar por qualquer plano do tipo e nada encontramos. Detalhe: imagine se descobrissem a ponte com as vigas da perimetral? Além de pagar uma multa ambiental gigantesca, ele seria (novamente) exposto à opinião pública e, com certeza, iria responder a mais um processo (nesse caso, sobre o sumiço das vigas). Vamos convir que isso não seria muito inteligente nem para os cidadãos comuns e, muito menos, para a família Picciani (que é, digamos, um tanto quanto esperta).

Portanto, a história não passa de mentira. O texto simplesmente surgiu no WhatsApp, tem características de boato, não há fontes confiáveis para confirmar as informações apontadas nele (polícia e imprensa) e também não há provas concretas que possam sustentar a história (fotos das vigas, por exemplo). Sendo assim, (pelo menos por enquanto) a história que envolve os Picciani e as vigas é boato.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

12 comentários em “Vigas da Perimetral foram encontradas no sítio da família Picciani em Conservatória #boato

  • 23/02/2018 em 09:33
    Permalink

    Para publicar que uma foto é boato, no mínimo deveriam justificar de onde são as vigas da foto. Entrei aqui pesquisando justamente isso. Mas ate agora não achei nada sobre essa foto. Somente a informação inicial mesmo.

    Resposta
  • 22/02/2018 em 20:53
    Permalink

    Essas vigas da foto, foram tirada do depósito da prefeitura, em Barra Mansa, no Estado do Rio.

    A que sumiu, foi feita com NIOCOR na fórmula e São vigas gigantescas.
    E o sítio do Picciani fica em Rio das Flores.
    Parece que de fato, a denúncia é falsa…

    Agora fica a pergunta, como essas vigas sumiram? Precisa de um guindaste gigantesco, carretas gigantescas e pertubar o trânsito!

    Bem o lugar mais próximo pra sumir com essas vigas é derrete-las nos auto forno da Cosigua, ou usa la em um outro viaduto no Rio mesmo.

    O fato é que, pra sumir com tamanhos estrutura, tem que ter gente muito graúda por trás desse sumiço e aí, da para imaginar quem, no Rio, faria isto.

    Resposta
    • 25/02/2018 em 16:31
      Permalink

      É NECESSÁRIO CHAMAR DAVID COOPERFIELD, O MÁGICO, ELE IRA DESVENDAR COMO SE FAZ PARA DESAPARECER UM OBJETO DESSE PORTE?
      E PENSAM QUE O TODO O POVO É IDIOTA.

      Resposta
  • 22/02/2018 em 16:45
    Permalink

    aparece no video ..

    pesquisem no g1 dia 27/10/2017

    .. ñ deixam colar link .. putz

    Resposta
  • 22/02/2018 em 15:18
    Permalink

    ok, mas então onde estão as 100 toneladas de viga que sumiram? dá pra acreditar que alguém possa levar sem chamar a atenção?

    Resposta
  • 22/02/2018 em 01:31
    Permalink

    Então o que ainda não é provado, vira mentira? Mas se provarem amanhã, que nome vão dar? Cabral, segundo consta também não é burro, e hoje vemos onde ele está. Inclusive o chefe da família da história das vigas.

    Resposta
  • 22/02/2018 em 00:51
    Permalink

    Há fotos das supostas vigas sim. Investiguem melhor, antes de confirmar se é boato.

    Resposta
  • 21/02/2018 em 23:09
    Permalink

    Foto das vigas tem sim, está rolando no WhatsApp direto.
    Se quiserem vir aqui eu recebi, vigas grandes com pessoas em cima em uma área rural.

    Resposta
  • 21/02/2018 em 22:43
    Permalink

    Pensei que vcs fossem ao terreno e dizer que não estavam lá, mas mais uma vez escrevem a mesma coisa.
    Se e verdade ou não eu não sei, mas a família picciani é dona do estado, eles precisam pedir alguma coisa pra alguem?
    Essa imprensa toda corrompida diria alguns coisa?
    Vocês precisam ser mais diretos e tragam provas por favor.

    Resposta
  • 21/02/2018 em 22:04
    Permalink

    Nome das empresas envolvidas no roubo

    Metalpronto
    Cirtel
    Gaudino (Zé do Norte)
    Paulo da Não

    Se investigarem acham até o que não deve

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)