Gilmar Mendes e Chinaglia negociam absolvição de Dilma em Portugal #boato

Boato – Gilmar Mendes e Arlindo Chinaglia se encontraram em Lisboa para negociar absolvição de Dilma e do PT.

É fato que, em meio às investigações da Operação Lava-Jato, toda a atenção está voltada a políticos suspeitos de participar do esquema e magistrados responsáveis pelo julgamento. E qualquer movimento acaba virando um escarcéu.

Há pouco tempo, foi criada uma celeuma na internet quando o juiz Sérgio Moro foi visto com o senador (e agora investigado) Aécio Neves em um seminário. A mesma coisa aconteceu. Nos últimos dias. Só os personagens é que mudaram.

A mais nova foto que circula online aponta que Gilmar Mendes (ministro do STF e presidente do TSE) e Arlindo Chinaglia (deputado do PT e investigado na Lava Jato) fizeram um encontro para negociar a absolvição de Dilma. Leia o texto que circula online:

No Hotel Tivoli em Lisboa, tirada hoje, dia 21/4/2017. Gilmar Mendes e Arlindo Chinnaglia, presidente do STE e líder petista, encontram-se fora do país para negociar absolvição de Dilma…

Gilmar Mendes e Arlindo Chinaglia negociam absolvição de Dilma em Portugal?

Depois que a foto caiu na internet, ela começou a ser compartilhada a torto e a direito pelo Facebook e WhatsApp. De quebra, alguns blogs corroboraram com a história. Mas será mesmo que essa informação é real? A resposta é não. Vamos aos fatos.

Sim. A foto é real e foi tirada em Portugal. Tanto o ministro como o deputado foram à capital portuguesa para participar de um seminário de Direito. Além deles, também foram ao seminário três investigados que são do PSDB: o ministro das Cidades, Bruno Araújo, o senador Antonio Anastasia e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Dias Toffoli, ministro do STF, também estava lá.

Ao contrário da imagem, a informação que a acompanha está totalmente errada. Além dos erros de grafia (o nome de Chinaglia, o do tribunal estavam errados), também não procede a informação que eles “estavam negociando a absolvição de Dilma”. Ou pelo menos não há provas suficientes.

A primeira informação é que Dilma não será julgada na Lava Jato pelo STF. Como ela não tem mais foro privilegiado, ela será julgada na 1ª instância. Ou seja, se tivesse que negociar algo para Dilma, Chinaglia teria que conversar com Moro. Temos uma ressalva: Dilma (junto com Temer) é alvo de processo no TSE e pode perder os direitos políticos se condenada. Se era essa “a negociação”, não ficou muito clara no boato.

O segundo ponto está no fato que temos apenas essa foto. Pelo menos por enquanto não existe tecnologia que faça o tema de uma conversa ser descoberta apenas por uma foto. E Não há uma gravação sequer que prove qual é o teor da conversa. Ou seja, a tese brotou “do nada”.

O terceiro ponto está na própria teoria da conspiração em torno do caso. Por que razão um ministro do STF e um deputado iriam fazer uma “negociação” no lobby de um hotel. Não seria mais lógico eles realizarem um “encontro mais secreto” para as tratativas?

Com tudo isso, podemos perceber que a informação que Chinaglia e Mendes estavam negociando a absolvição de Dilma em Portugal é falsa. É claro que há muita sujeira na política e, infelizmente, temos visto que as negociações acontecem. Porém, precisamos de provas para fazer acusações. E a foto (verdadeira) que circula online não é suficiente.

PS: Esse artigo foi uma sugestão de diversos leitores via Facebook e WhatsApp. Se você quiser sugerir um tema para o Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook ou WhatsApp, no telefone (61) 99331-6821.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)