Retrospectiva: o melhor de 2014 no Boatos.org, por Edgard Matsuki

By | 26/12/2014
Edgard Matsuki escolheu os melhores textos do ano no Boatos.org

Edgard Matsuki escolheu os melhores textos do ano no Boatos.org

Sem dúvida, o ano de 2014 foi muito positivo para o Boatos.org. Em um ano em que o mau uso das redes sociais teve destaque na mídia, o nosso humilde site virou uma das referências no assunto. Para mim, isso significou uma realização. Com menos de três anos na profissão, consegui criar um veículo de comunicado com destaque. E claro, dei muitas entrevistas para os colegas jornalistas.

Tudo isso significou também muito trabalho. Dezenas de madrugadas foram gastas fazendo trabalho sujo (e chato) de cuidar da hospedagem do site que insistia em cair a cada pico de audiência, programação e publicidade.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org

Claro que tantas outras horas foram gastas caçando os boatos e escrevendo. Essa é a parte boa do processo. Daí saíram muitos textos legais. E desses, destaco cinco como os meus prediletos. A lista foi escolhida pelos critérios de relevância, circulação e prazer em escrever.

Assista à retrospectiva 2014 do Boatos.org


O quinto texto da minha lista é um dos poucos artigos de opinião que escrevi neste ano. Os boatos foram tantos em 2014 que ficou difícil escrever coisas de outro gênero. O texto listava sete dicas para os usuários não transformarem o Facebook em um “Faceburro”. A expressão, que copiei de uma interação em comentário, é perfeito para adjetivar a forma que a rede social é utilizada em certos casos.

O quarto e terceiro lugares da minha são textos com a temática Copa do Mundo. Durante o mundial do Brasil não foram poucas as balelas que circularam por aí.
Dessas, uma das que mais me chamou atenção foi a de que a seleção argelina iria doar todo o dinheiro ganho na Copa para palestinos que estavam na Faixa de Gaza. A informação vitalizou um bocado e jornais do mundo todo deram a notícia.

Infelizmente, ela havia saído de um perfil falso do jogador Slimani. O legal desta história foi que o Boatos.org foi o primeiro site do mundo a desmentir a história. Na mídia, poucos desmentiram a informação. Quando o fizeram, o Terra e o Portal Virgula citaram a página.

O terceiro lugar da lista foi o texto que falava que o Brasil havia entregado a Copa para a Alemanha. A carta, assinada pela lenda Gunther Schewtzer, dava conta de uma trama incrível que envolveu o time. Apesar de absurda, a história enganou muita gente. Tanto enganou que acabou se tornando o recorde de audiência do Boatos.org em toda história.

No segundo lugar da lista está o texto que mais me deu trabalho de desentoe neste ano. Uma história apontava que o filho do dono da Friboi de 13 anos estava namorando uma personal trainer de 30 anos. Para descobrir quem eram as pessoas da foto, demorei quase dois dias completos. Mas consegui achar a pessoa e desmentir a história.

Na lista dos cinco textos preferidos está um que envolve as eleições. De tantos que eu poderia escrever sobre Dilma, Aécio, Marina e outros candidatos, escolhi o texto que apontava para 13 teorias da conspiração que surgiram na internet após a morte do candidato Eduardo Campos.

Além de o texto ter marcado não só as eleições como também o ano, ele atingiu praticamente a todos os candidatos. No meio de um momento onde incertezas e acusações se espalharam na web, esclarecer informações foi uma forma de ajudar o nosso público.

Bem gente, é isso aí. Espero que você tenha gostado na minha lista e continue nos acompanhando em 2015. Um abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *