Água com anestésico veterinário é vendida por bandidos, diz hoax

By | 25/08/2015

Boato – Ricardo Boechat fez um alerta sobre bandidos que vendem água contaminada para realizar assaltos no trânsito.

O mundo é um lugar perigoso, dizem os pessimistas. ‘O perigo mora ao lado’, ‘a cada esquina um novo risco’, são várias pérolas sobre como é arriscado viver hoje em dia. E como se os ditados que se espalham de boca em boca não bastassem, temos agora a força da internet e das redes sociais.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org

Boato diz que bandidos disfarçados vendem água com anestésico em semáforos de São Paulo

Boato diz que bandidos disfarçados vendem água com anestésico em semáforos de São Paulo

Com essa danada tecnologia divulgar o medo, ou que quer que seja, ficou fácil, muito fácil. Basta acrescentar a uma situação cotidiana uma pitada de alarmismo e pronto, temos um típico alerta de internet.

Por agora, tem voltado à tona (porque essa história já circulou lá em 2011) um aviso de (in)utilidade pública sobre águas batizadas e roubo de carros. Segundo a mensagem que circula nas redes, têm bandidos disfarçados de vendedores ambulantes vendendo água batizada com anestésico veterinário nos semáforos. Depois de drogar a pessoa, eles acompanham o trajeto que ela faz e roubam o carro.

Confira o alerta:

‘MUITO IMPORTANTE!!!

O Ricardo Boechat (jornalista da BAND) deu 6ª feira uma notícia sinistra.

Era sobre uma mulher que comprou uma garrafa de água em um sinal de trânsito, na Zona Oeste SP. Após beber a água a mulher começou a sentir-se mal e só lembra de ter acordado em uma lanch. Bob’s, sem o carro obviamente.

Uma pessoa vende a água e uma moto segue para socorrer a vítima e leva carro.

A água foi analisada e constataram que continha um anestésico de uso veterinário.

Repassem!!!’

Vamos destrinchar essa história pela lógica. Uma pessoa vender água batizada em um semáforo? Possível, plausível, se até em jogos de futebol acontece, porque não nesse caso. Uma moto acompanhar um carro para conhecer o trajeto do motorista e roubar o veículo? Mais que provável, já acontece por todo lado.

Agora, uma pessoa que foi drogada com água batizada simplesmente acorda em uma lanchonete do Bob’s sem o carro? Como essa pessoa dirige drogada, perde completamente os sentidos e não sofre nenhum acidente, mínimo que seja? De tantas vielas que a cidade de São Paulo tem, os bandidos resolvem largar a vítima em uma lanchonete movimentada correndo o risco de serem vistos? Muita estranheza e pouca lógica na parte mais importante.

O fato é que essa história poderia (com algum esforço) passar como verdadeira, mas não é. Trata-se de mais uma mensagem alarmista da web baseada em uma situação cotidiana – comprar produtos em sinais de trânsito – com o clássico toque do ‘salvem-se quem puder’.

Essa mensagem reúne aqueles já rebatidos tópicos clássicos dos boatos. As informações são vagas, não se sabe quem é a mulher nem em que sexta-feira aconteceu o suposto roubo e muito menos quem analisou a tal água e constatou o anestésico. A estratégia para o furto tem várias falhas como já mencionamos e o principal, Ricardo Boechat não deu notícia nenhuma.

O apresentador do Jornal da Band é mencionado no texto para fazer valer a estratégia da pessoa importante que dá credibilidade ao fato. Pois bem, não há sinal de que Boechat deu essa notícia, nem na web nem no do Jornal da Band.

Para fechar com chave de ouro, vamos relembrar que esses boatos sobre água batizada e sobre substâncias estranhas afetando pessoas no trânsito se repetem esporadicamente. Quem tem memória boa recordará o caso praticamente idêntico da água com tranquilizante no litoral paulista, ou ainda as intoxicações de burundanga no Rio de Janeiro.

Concluindo logicamente, mais um caso de boato e conversa fiada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *