Máquina separa bolinhas por cores por causa da física quântica #boato

Boato – Vídeo viral mostra bolinhas caindo em máquina que, no final, as separa por cores. A explicação seria simples: física quântica!

Coisas que não conseguimos explicar despertam uma curiosidade sem tamanho dentro de nós. Um acontecimento, uma foto, um vídeo. Não importa. Quanto mais estranho, mais o sentimento de “não é possível” grita dentro de nós. E o que dizer sobre uma máquina que separa bolinhas coloridas misturadas por cor? Pois foi esse o vídeo que surgiu na rede e viralizou nos últimos dias.

As imagens mostram uma máquina que separa bolinhas coloridas. Se você ainda não viu, veja (principalmente se você for virginiano). A explicação para o mistério da separação das bolinhas seria a “física quântica” e o “som das cores”. Confira a mensagem que circula online (o vídeo pode ser visto aqui):

Isso não é mágica, é Fisica quântica. Cada bolinha tem sua cor, cada cor emite um som que atrai o semelhante. Uma cor nada mais é que o comprimento de uma onda de luz, e esse comprimento de onda vibra emitindo um som… O exemplo das bolinhas talvez seja a forma mais visível que eu conheça de exemplificar uma verdade sobre as energias: “No mundo das energias, semelhante atrai semelhante”
E sim isso acontece por _vibração ressonante_ Por isso, se estamos vibrando determinada energia em nossas vidas, como o medo de altura, por exemplo, vamos atrair situações em que vivenciaremos o medo de altura, porque estamos vibrando essa energia para o mundo.

Quando a gente se liberta, saí dos pontos de vista interessantes, dos espaços de julgamento, das não permissões para uma vida mais plena, leve, fácil, divertida, a gente muda a vibração, passa a viver num outro “comprimento de onda”, a emitir outro “som” para o universo, e a receber essa plenitude, leveza, facilidade, diversão, etc…. É simplesmente semelhante atraindo semelhante… E é lindo e divertido!!! Vibrar diferente.

Máquina separa bolinhas por cores por causa da física quântica?

Antes de você sair por aí compartilhando o vídeo e agradecendo a Planck, Einstein, Rutherford ou Reisenberg pela explicação do mistério, calma! Senta, porque talvez o “baque” seja grande. A história é completamente falsa (assim como o vídeo). O vídeo nos deixa com duas grandes dúvidas. 1) A explicação para a separação das bolinhas é a física quântica? 2) E a máquina realmente separa as bolinhas por cores? A resposta para ambos os casos é não.

Em relação à história que relaciona o vídeo à física quântica, vibração etc, você precisa saber que tudo surgiu em uma versão brasileira da mensagem. A marca d’água no vídeo nos ajudou a chegar à origem das imagens. Como é possível ver, o vídeo foi publicado em um site chamado Junkin Media. E não há qualquer citação sobre física ou coisas do tipo, apenas uma explicação sobre o que ocorre. Simples assim.

Essa publicação no Junkin Media nos ajudou a encontrar o vídeo original. Ele foi publicado pela primeira vez por um homem chamado Konstantin Otrembsky. Mas a charada só foi solucionada quando descobrimos o Instagram do Konstantin. Logo na descrição do perfil, Konstantin explica que é designer e produtor de efeitos especiais em vídeos. Na publicação do vídeo, que aconteceu em fevereiro, ele inclusive marca uma página de designers. Ou seja, a separação das bolinhas, na verdade, é só um truque de edição.

Vale lembrar que outros vídeos parecidos também já viralizaram na rede. No início do ano, o site Snopes (que desmente fake news na gringa), já tinha desmentido um vídeo muito parecido. E a explicação para o “mistério” também passou por edições em vídeo.

Mas e a física quântica? Eu juro para vocês que eu me esforcei demais para entender como essa teoria física foi envolvida na história. E, bem, encontrei uma explicação.

A física quântica foi desenvolvida para explicar algumas lacunas deixadas pela física clássica, aquela que explica os fenômenos na Terra, mas não é capaz de explicar fenômenos que ocorrem em algumas situações fora do equilíbrio termodinâmico ou no campo microscópico, onde a distância entre as estruturas são de nanômetros (um nanômetro corresponde à bilionésima parte de um metro).

Na física quântica, nós temos a interferência da velocidade da luz (que é altíssima). Vamos lá. Um evento pode ser simultâneo para um observador que se encontra parado e não simultâneo para outro que se encontra em movimento. Se a velocidade relativa dos observadores é menor do que a velocidade da luz, os desvios em relação à simultaneidade dos eventos são tão pequenos que não podem ser observados. Já para astros e suas luminosidades, que estão em um contexto bem diferente da Terra, essa observação é possível, já que para eles a velocidade da luz não é tão grande assim.

Em relação à máquina que poderia separar (aleatoriamente) as bolinhas por cores a partir de “vibração ressonante”, isso seria impossível (assim como usar a física quântica para explicar tal “fenômeno”). Nossa frequência de onda é tão baixa em relação à velocidade da luz, que não percebemos a mudança de eventos. Além disso, a física quântica foi criada para explicar o mundo microscópico (elétrons, prótons, partículas subatômicas) e não objetos de dimensões “normais” (nessa situação, os efeitos quânticos seriam desprezíveis e voltaríamos às leis da física clássica para explicar o fenômeno).

Para completar, quem inventou a tal história fez uma verdadeira salada mista com conceitos como comprimento de onda de luz, som e cor. Ou seja, fica bem evidente que quem inventou essa história não manja muito de física (e nem da sua aplicabilidade).

 

Em resumo: o vídeo que mostra bolinhas separadas por cores não é real. Ele foi feito por um profissional, que aplicou truques de edição e resultou nas imagens curiosas. A história sobre física quântica tampouco faz sentido. A bagunça entre ondas de luz e de som (além da confusão sobre a definição de cor) deixam claro que a pessoa que inventou a história não entende de física (muito menos de física quântica). Sendo assim, tudo não passa de #boato. Até a próxima!

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

3 comentários em “Máquina separa bolinhas por cores por causa da física quântica #boato

  • 01/05/2018 em 15:17
    Permalink

    Existem pessoas sérias que pesquisam a relação dessas duas áreas, leia “O tao da Física” de Fritjof Capra, não é pseudociência por ser apenas um paralelo entre afirmações de filósofos orientais e físicos da física moderna

    Resposta
  • 01/05/2018 em 04:21
    Permalink

    Recebi a algum tempo este vídeo, mas veio sem nenhuma mensagem para me deixar totalmente em duvida, mesmo assim não acreditei no que assisti, separei o mesmo para jogar na time line do Premiere e fazê-lo rodar em câmera lenta e até ao contrário, pois até então era o mais lógico, acabei nunca mais mexendo por falta de tempo, que bom receber a informação e me poupar o tempo que passaria tentando desvendar o mistério.
    Valew

    Resposta
  • 30/04/2018 em 18:55
    Permalink

    Boa tarde

    Gostaria de cancelar o recebimento desses boletins, mas não encontrei maneira de fazer isso.

    Obrigada pela atenção

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)