Ginecologista se nega a atender travesti e é preso por homofobia #boato

Boato – Médico não quis atender um paciente travesti e acabou preso em flagrante por cometer homofobia.

Preconceito é um mal do qual a sociedade brasileira padece ainda. Um problema tão sério que quase ninguém assume e que poucas pessoas de fato acreditam. Mas está aí, em todo lugar e causando grandes estragos.

Notícia falsa diz que médico foi preso ao negar atendimento a travesti. Foto: Agência O Globo
Notícia falsa diz que médico foi preso ao negar atendimento a travesti. Foto: Agência O Globo

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org
Siga o Boatos.org no Twitter:
Envie uma mensagem com a palavra #boato para (61) 99331-6821 e agende este número no seu telefone para receber as nossas atualizações gratuitamente no WhatsApp

Não fosse assim, talvez a notícia do desmentido de hoje não tivesse tanta relevância. Acontece que muitos blogs estão replicando uma matéria polêmica que circula em diversos sites. Segundo o texto, um ginecologista foi preso em flagrante por atitude homofóbica ao se negar a atender uma travesti em sua clínica. Confira:

Uma consulta rotineira ao ginecologista acabou com a prisão em flagrante delito de um médico do Hospital Municipal Doutor Exu Caveira na tarde de hoje. Segundo os policiais que atenderam a ocorrência, o fato se deu porque o ginecologista se recusou a atender um travesti, ambos que não tiveram as identidades reveladas, alegando que o paciente era homem.

Indignado com a resposta, o paciente passou a filmar e chamar a atenção dos presentes, alegando que estava sendo vítima de preconceito. No vídeo, que foi anexado ao inquérito policial, é possível ver a vítima dizer que a recusa em atendê-la é “um preconceito absurdo”. O médico foi preso em flagrante delito pelo crime de homofobia, mas pagou fiança e vai responder em liberdade.

Médico foi preso por se negar a atender travesti?

Embora a atitude tenha gerado certa polêmica na internet, é bem obvio que essa história não é verdadeira. Como sabemos? Simples, trata-se de uma notícia do site Joselito Müller, um portal que só publica conteúdo falso no intuito de ser irônico e fazer sátiras com situações que poderiam ser reais.

“Ah, mas quem disse que o site em questão é assim?” Bom, o próprio dono do site. Está lá, devidamente explicado para qualquer leitor e ao final de cada matéria qual é o perfil e o propósito do Joselito Müller. Basta o mínimo de atenção (coisa que os sites que reproduziram a história como verdadeira não fizeram):

Joselito Müller é um personagem fictício que retrata as notícias do cotidiano. Numa classificação, seria um super-herói defensor dos… Defensor de nada, Joselito Muller é um personagem fictício que faz paródia de figuras públicas em situações cômicas. Nada é neste site é verdade, mas poderia ser. […]

Apesar de não haver argumento mais conclusivo que este, é válido destacar também que bastasse uma pesquisa rápida no Google para saber que não existe Hospital Municipal Doutor Exu Caveira. Pelo nome, é bem obvio, aliás.

Além disso, a foto utilizada para ilustrar a suposta prisão do ginecologista é de Bruno Gomes da Silva, um médico acusado cinco vezes por cometer abortos clandestinos e por dirigir uma verdadeira máfia de serviços do tipo no Rio de Janeiro.

De qualquer forma, mais preocupante que as pessoas compartilharem conteúdo assumidamente falso como sendo verdadeiro foi os comentários assustadores que presenciamos nas postagens. Comentários de apoio à atitude do tal médico, comentários parabenizando o ginecologista fictício por se negar a atender essa “aberração”.

Frente a essa triste realidade, vale a ressalva: o caso em questão foi falso, mas atitude homofóbica e qualquer tipo de atitude preconceituosa resulta em prisão sim. Pelo visto além de melhorarmos enquanto internautas, precisamos mais que tudo, melhorarmos como seres humanos.

Resumindo: a notícia publicada em diversos sites saiu de uma página de humor e foi compartilhada por aí como verdadeira. Mas não é.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão dos leitores Roberto Freire Sales, Carolina Magalhães e diversos leitores via WhatsApp. Se você quiser sugerir um tem ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook ou WhatsApp no telefone (61) 99331-6821.

4 comentários em “Ginecologista se nega a atender travesti e é preso por homofobia #boato

  • 27/01/2017 em 10:02
    Permalink

    Esclarecer que a postagem falsa é algo útil. Más quando tentou insinuar no final que seria preconceituoso um ginecologista não atender um travestis, aí estragou tudo. Ginecologistas estudam o corpo feminino. Mesmo que mentalmente um travesti se sinta mulher, geneticamente não é. Nunca seria bem atendido por um ginecologista. Então se um ginecologista se negar a atender um travesti ele não estará sendo preconceituoso. Estará simplesmente sendo racional e lógico.

    Resposta
  • 26/01/2017 em 20:43
    Permalink

    Quando li a primeira vez a notícia, já imaginei que era falsa, com um nome de Exu em um hospital kkkkk.

    Resposta
  • 26/01/2017 em 20:27
    Permalink

    Muita falta do que fazer… Francamente!!

    Resposta
  • 26/01/2017 em 11:45
    Permalink

    Não pera ai.Eu sou trans e tem minha faculdaes memtais em dia.Essa travesti surtou geral.Ela tem que procurar um urologista.É por causa de alguns que todos acham que nos as trans não merecemos atenção.Esta travesti não responde pelas outras que vom um raciocínio lógico iriam enteder as coisas
    Não vamos bagunçar as coisas pelo amor de Deus

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)