Mulher aborta bebê após descobrir que era menino, diz notícia falsa

By | 11/02/2015
História diz que blogueira feminista abortou bebê após descobrir que era menino

História diz que blogueira feminista abortou bebê após descobrir que era menino

Boato – Depois de descobrir que o filho seria um homem, uma blogueira feminista chamada Lena resolveu abortar a criança.

Uma história de arrepiar qualquer um (seja contra ou a favor do aborto) começou a surgir na internet na segunda semana de fevereiro de 2015. Divulgada no exterior e replicada no Brasil por sites como o Gadoo, Meio Norte e a página na internet da Rede TV, a história dava conta que uma blogueira feminista teria realizado um aborto após saber que o filho era homem.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org

Identificada como “Lena”, a blogueira teria contado que a história aconteceu em 2012 e postou uma foto do ultrassom. Antes de chegar ao Brasil, a história circulou por sites renomados no exterior como, por exemplo, o Huffington Post e o Metro. Leia um trecho do texto publicado no site da Rede TV:

Blogueira feminista aborta bebê após descobrir que era menino

Uma blogueira que se diz feminista fez um aborto após descobrir que a criança que esperava era um menino. Em seu site pessoal, Lena contou que estava grávida em 2012, e descobriu que o bebê era um garoto quando fez o ultrassom. “Fiquei em choque, comecei a chorar”, escreveu. “Se isso voltasse a acontecer, faria tudo novamente”, garantiu a ‘feminista’.

A história é chocante mesmo. Mas pode ficar tranquilo. Tudo indica que ela é falsa. O primeiro indício é a foto utilizada pela blogueira para contar a história. Procurando pela imagem na internet, descobrimos que ela é usada por centenas de site como foto ilustrativa para ultrassom.

Além disso, não há identificação alguma de quem seria essa blogueira. Aliás, toda blogueira tem um blog, certo? Errado. Porque, apesar do título, ela não tem blog algum. Descobrimos que originalmente, o texto foi postado em um blog que “conta histórias de injustiças sociais”. Detalhe: a história foi apagada e o site havia sido criado justamente no dia em que a história foi contada.

O Snopes, uma espécie de Boatos.org do exterior, desmentiu toda a história. O Jezebel, um site de tecnologia, também cravou que a história era falsa. No fim, até o site da Rede TV apagou a postagem original e publicou um desmentido. Sendo assim, está mais do que provado que a história é falsa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *