Lista falsa de telefones de garotas de programa é divulgada na internet

By | 11/09/2014
Senado teria projeto de bolsa-prostituição, diz boato

Lista falsa de prostitutas circulou na internet

Boato – Uma lista com mais de 300 mulheres que seriam acompanhantes se espalhou em redes sociais e WhatsApp.

Desde o início do mês de setembro, uma lista de telefones tem incomodado algumas mulheres em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e outros estados brasileiras. Identificado como um “serviço de utilidade pública” a lista com cerca 300 números seriam de supostas garotas de programa.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org

Desde o início do mês, a mensagem tem se espalhado por redes sociais e, principalmente, no aplicativo WhatsApp. Claro que não vamos divulgar o número das mulheres. Mas leia o que diz trechos do textos:

Telefone de p… com WhatsApp

[Lista de 300 nomes]

Todas tem whatsapp

Sejam felizes

Saibam que todas são p…

Serviço de utilidade pública

Ta ai moçada

Listas como essas não novidades na internet. Alguns sites segmentados divulgam serviços de acompanhantes. Isso, de certa forma, esbarra na legislação brasileira, que não permite o incentivo à prostituição. Mas, claro, é ignorada.

A grande questão é que a maioria dos números de telefones que estão na lista não são de garotas de programa. O que aconteceu foi a divulgação inicial de uma lista verdadeira de acompanhantes no WhatsApp. Mas, na base da zoeira, foram adicionados alguns números de mulheres que não trabalham o no ramo.

Isso acarretou em um grande número de denúncias em delegacias especialistas em crimes cibernéticos. Essa matéria do Jornal Hoje mostra, inclusive, uma dessas conversas entre a mulher confundida com uma prostituta e um homem que buscava os serviços.

Nesta outra matéria do jornal Destak, a Polícia Federal aponta que já identificou o criador das mensagens. A matéria não deixa clara se o homem criou a lista com as garotas de programa verdadeira ou divulgou os outros nomes. De uma forma ou outra, ele corre risco de responder processo por calúnia e injúria e pode (mas não vai) pegar até 1 ano e quatro meses de prisão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *