Morcegos vampiros estão atacando pessoas dormindo no Rio #boato

Boato – Morcegos vampiros, que se alimentam de sangue, estão atacando pessoas no Rio. Eles têm anestésico na saliva e atacam quem está dormindo.

Recentemente, um caso de morte por raiva chamou atenção. No dia 3 de julho de 2017, uma mulher de 36 anos morreu em Recife por causa da doença. O caso acendeu o alerta em autoridades locais e viralizou na internet. No meio de tudo isso, uma história preocupante apareceu em redes sociais.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org
Siga o Boatos.org no Twitter:
Envie uma mensagem com a palavra #boato para (61) 99331-6821 e agende este número no seu telefone para receber as nossas atualizações gratuitamente no WhatsApp

Um relato de uma mulher daria conta de que morcegos que se alimentam de sangue estão invadindo apartamentos em alguns bairros do Rio de Janeiro. Mais do que isso, eles esperariam as pessoas dormirem para atacar e ainda têm um anestésico na saliva para elas não perceberem. Só para completar: as autoridades estariam escondendo isso.

Morcegos vampiros estão atacando pessoas dormindo no Rio?

É claro que a história rendeu muitos compartilhamentos no Facebook e repasses no WhatsApp. No Facebook, o relato de uma mulher teve mais de 7 mil compartilhamentos. No WhatsApp, a história apareceu em tudo que é grupo. Mas será mesmo que morcegos vampiros estão atacando e passando raiva com suas mordidas anestésicas? A resposta é não. Vamos aos fatos.

Antes de falar do conteúdo em si, vamos falar de outros detalhes que apontam para a farsa. A princípio, tivemos a impressão de que a mulher que publicou no Facebook foi a pessoa mordida pelo morcego. Porém, ao olhar a timeline dela é possível ver se trata de uma “compartilhadora de correntes”. Nos últimos dez posts dela, pelo menos um foi desmentido aqui: o da Fenilpropalamina.

Dito isso, vamos ao conteúdo da mensagem. Entramos em contato com o Centro de Controle de Zoonoses Paulo Dacorso Filho e com a Vigilância Sanitária do Rio de Janeiro para desmistificar a história. Para esclarecer as balelas, vamos por tópicos.

1) O início do texto já começa com a narração de uma história que teria acontecido na rua Rui Barbosa. De acordo com o Centro de Zoonoses, um técnico esteve presente no local no dia 10/07 (após a história viralizar no Facebook) e conversou com moradores. Não foi relatado nenhum caso que teria acontecido tampouco a moradora foi encontrada. Ou seja: no local, ninguém sabe, ninguém viu.

Atualizado em 12/07: a verdadeira dona da postagem entrou em contato com o Boatos.org, via Facebook. Como era de se imaginar, não é a mesma pessoa que “viralizou” o post. De acordo com ela, o caso aconteceu no domingo (02/07). Ela nos enviou um prontuário do Souza Aguiar. Falamos com a Vigilância Sanitária, que reiterou que esteve no local, mas procurou pela pessoa que viralizou o post (Ângela) e não esta pessoa (que preferimos não identificar).

Ela afirmou que publicou o post na segunda e ele teve cerca de 700 reações (entre curtidas e compartilhamentos) e disse que postou a informação porque está preocupada com a situação: “Minha intenção era apenas alertar amigos e eles pediram que eu abrisse ao público. A prefeitura do Rio não está querendo alardear, mas até o veterinário de meus cães disse que já sabia”. A pedido dela, o texto original da post do Facebook foi retirado do site. 

2) Ela cita que está acontecendo diversos ataques de morcegos às pessoas e entrando em apartamentos. Na realidade, o tipo de morcego que vive na área urbana no Rio de Janeiro não é o hematófago (ou vampiro). De acordo com a vigilância sanitária, 44 animais foram resgatados neste ano. Nenhum deles é do tipo que “ataca humanos”. Já o Centro de Controle de Zoonoses disse que 1 morcego com raiva foi encontrado neste ano. O número é pequeno para se falar em “diversos”.

3) O texto também aponta que os morcegos estão esperando as pessoas dormirem para atacar. A mensagem ainda diz que os morcegos têm um anestésico que faz a pessoa não perceber que está sendo mordida (tipo vampiro).

A tese é totalmente desmentida pelo Centro de Controle de Zoonoses. O veterinário que conversou com o Boatos.org apontou que a mordida do morcego hematófago dói, sim. Em 15 anos de trabalho, ele soube apenas de um caso de ataque a humanos que estavam dormindo. Foi em um mendigo.

Normalmente, o morcego hematófago ataca animais, principalmente de rua, como cães e gatos. Por isso, a importância da vacinação dos animais. Quando um morcego frutívoro ou insetívoro contrai a doença, ele fica abatido. Detalhe: por isso é muito importante tomar cuidado com morcegos caídos no chão.

4) O texto aponta que “há regiões críticas” como Botafogo, Flamengo, Gávea, Humaitá, São Conrado, Grande Méier, Tijuca e que tudo está sendo escondido. Na realidade, esse tipo de discurso é clássico de boatos na internet.

Só uma ressalva. O Centro de Controle de Zoonoses e a Vigilância Sanitária alertaram que, apesar de o texto conter diversos erros, é preciso tomar cuidado com morcegos, mesmo que não-vampiros. Para se precaver, evite contato direto com o animal e, caso seja feito o contato, é preciso tomar o soro antirrábico. “Isso é feito mais por precaução para que a doença não se espalhe”, disse o funcionário. Tudo que falamos neste texto também está explicado em nota oficial da Vigilância Sanitária do Rio de Janeiro.

Resumindo: o texto que circula na internet está com tantos erros que, apesar da raiva ser uma doença que deve ser levada a sério, não merece ser compartilhado. É mais um boato que circula na internet.

PS: Esse artigo foi uma sugestão de Tereza Maris, Maristela Schröder, Regina Cascão,  e de diversos leitores via WhatsApp. Se você quiser sugerir um tema para o Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook ou WhatsApp, no telefone (61) 99331 6821.

 

 

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)