Informação falsa: HIV é inofensivo e não transmite aids

By | 11/12/2013
HIV não transmite aids, diz boato

HIV não transmite aids, diz boato

Boato – Se a pessoa que tem o vírus HIV não tomar remédios, ela não acaba desenvolvendo aids. A doença só acontece com quem usa drogas ou remédios como o AZT. Quem disse isso é Peter Duesberg, vencedor do Prêmio Nobel.

No início de dezembro de 2013, uma história que se arrasta desde o final da década de 1980 voltou à tona. Após a publicação de um texto do blogueiro Roberto Villanova (e que pode ser lido aqui), muitos internautas começaram a discutir um assunto seríssimo: o vírus HIV e a aids.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org

De acordo com o artigo escrito no dia 2 de dezembro, o doutor Peter Duesberg se tornou uma “persona non grata” após provar que o HIV não transmite a aids. De acordo com a teoria do biólogo (e do jornalista), o HIV é um vírus inofensivo que existia muito antes da epidemia de aids.

Para comprovar a tese, o médico teria mantido 4 mil pessoas infectadas sem tomar remédio algum. E metade delas havia se curado. Além disso, ele chegou à conclusão de que os remédios para curar a aids é que causavam a doença.

O texto ainda aponta que o HIV foi isolado em 1938 e que a aids era uma invenção da década de 1980. Por fim, o autor fala que se um dia tiver aids não tomará o remédio e que o médico ainda contava com o apoio de dois químicos vencedores do prêmio Nobel.

Admito (falando de forma pessoal) que é triste ver um jornalista disseminando um texto muito similar aos hoaxes que rodam na web (com a diferença de não ter erros ortográficos) e não tentar fazer o mínimo de dever de casa.

Primeiramente, Peter Duesberg nunca provou nada em relação ao vírus HIV e aids. Apesar de ele realmente ter feito experimentos (na década de 1980), tudo que ele aponta não passa de uma hipótese. Este verbete da Wikipédia trata o assunto como hipótese. Hipótese que foi refutada. Leia este artigo da revista Galileu. 

A hipótese é derrubada principalmente com uma pergunta: se o HIV não se transforma em aids e some, por que quem não toma os coquetéis morre? O assunto é tão grave que já houve casos de pessoas que morreram por acreditar na hipótese refutada e abandonar o tratamento.

Essa matéria do The Guardian conta a história de Kerry Stokely. Ela descobriu o HIV em 1996 e tomou remédio por 11 anos. Após saber do “tratamento sem remédios”, ela interrompeu o uso do coquetel e morreu em 2011.

Além disso, o texto que circula na internet tem informações erradas. A primeira delas é sobre Peter Duesberg ter se tornado “persona non grata” agora. Por isso aconteceria “agora” se a teoria é antiga. Ao contrário do que o autor fala, o vírus foi descoberto em 1983 e não em 1938. Isso derruba a hipótese do vírus ter “durado” anos sem ninguém desenvolver aids.

Por fim, foi citado que o doutor tinha o apoio de dois prêmios Nobel de Química e que seria contratado para tratar da aids na África do Sul. Nenhuma das duas informações foi confirmada. Com isso, chegamos à conclusão de que a história é um perigoso hoax e que enganou até um jornalista, que por sua vez, repassou a informação e deu falsa credibilidade a ela.

 Leia na íntegra o texto que fala da hipótese do doutor Peter Duesberg

18 thoughts on “Informação falsa: HIV é inofensivo e não transmite aids

  1. CLAUDIO SOUSA

    Eu nao sou portador,mas nao tenho preconceito com quem e.
    mas digo os seguinte,eu dou credito ao doutor Duesberg,so pelo fato de a tv e muitos cientista mentirem para sociedade o tempo todo,colesterol,alimentos enriquecido,leite de cachinha,refrigerantes,e muito mais.
    entao tipo assim,independente de onde estar a razão,cada um tem o direito de lutar por suas vidas,nunca acreditar em uma veradade unica,a unica verdade aqui e que,a vida e dom de Deus e não ta nas mãos do medico ou da ciencia estar sobre o zelo de cada um,por isso amigos quem acredta na globo,ops quer dizer no doutor Robert gallo,parabens
    quem acredita no doutor Peter Duesberg parabens ,e lute firme em sua jornada
    nao acredito n hiv causador da aids porq o q se vende no supermercados no dia dia,mata muito mais do q qualquer doença,começando pelos trangenicos gorduras hidrogenadas,,e etc.
    essa e a minha opinião,,então meus amigos o certo e procurar informação,de todo tipo possivel,e depois tomar sua decisão.
    niguem e o dono da verdade absoluta,,,lembre-se sempre disso,e buscar em Deus orientação,e faça de sua vida um mundo novo a cada manha,,,e um detalhe não e por acreditar no doutor peter duesberg que vc tem q relaxar,muito pelo contrario eu por acreditar nele,pasei a me cuidar 300% a msg e essa quem se cuida por medo falha na maioria das vezes,mas quem se cuida por amor,geralmente não vacila.
    antes de tudo se ame,se cuide o tempo todo
    um abraço a todos

    Reply
  2. sergio

    so iluminados acreditam em duesberg
    a massa de manobra tem mais e que ser manipulada e tomar azt
    bom coquetel coloca gelo que fica mais gostoso

    Reply
  3. marcelo

    Depois de 18 anos de diagnostico positivo e de ver todos meus amigos que fizeram uso do coquetel morrerem por intoxicação e falencia de órgãos vitais, fico a pensar no que leva a pessoa ao óbito. Eu usei coquetel e adoeci com os efeitos da droga e nao pelo temido hiv. Só estou vivo pois parei de tomar quando notei que o remedio ers o veneno. Fiquei anos com CD4 abaixo de 30(trinta) e nunca desenvolvi tuberculose, pneumonia, sarkoma e todo o rol de dienças. As vezes que fui convencido a voltar a usar o coquetel, adoeci por intoxicacão do pancreas, do figado, dos rins e do coracão. Isto é minha vivencia. Nao quero incentivar nenhuma pessoa a deixar qualquer que seja seu tratamento.

    Reply
    1. sergio

      mas deixa de ser trouxa tambem né coloque dois limoes por dia com um copao de agua pela manha
      na sua dieta inhame cru junto com o almoco com beterraba e cenoura tudo cru; cozinhar é matar tudo que te ajuda
      aloe vera com mel 6 colheres por dia bata no liquidificador
      coma coisas fortes e cruas leia sobre crudivorismo porque seu corpo ta doente mas nao de aids
      e vc comendo lixo nao da!
      compre um juicer e faca suco de tudo cru va variando coma coisa decente caralho

      Reply
  4. Pet

    Como tem gente ignorante…. pqp… eu desafio aos que acreditam na tese do Dr. Peter a se infectarem com o vírus HIV (já que este é inofensivo) e não fazer tratamento algum.

    Reply
  5. Ronaldo

    Bem, a minha opinião é de um portador de HIV, convivo com o virus HIV nao sei por quanto tempo, no ano de 2013 desenvolvi a tão temida Aids, e graças a esses remedios ditos como “coquetel“ é que hj estou aqui vivo e restabelecido dessa infermidade. Portanto sou a prova viva que a medicaçao funciona, e que é indispensavel para o tratamento desse mal. Só quem tem essa doença sabe os maleficios e os benecifios que as drogas podem proporcionar. O pior dessa doença e que mata mais rapido e que faz as pessoas abandonarem o tratamento chama- se: PRECONCEITO!

    Reply
  6. bruno pereira

    Esse site aqui é uma outra forma de manipular a mente do povo e como disseram as pessoas a cima,prefiro acreditar numa pessoa com DOIS premios nobel do que em vcs do BOATO.ORG!

    Reply
  7. Claudio Franco

    Informação falsa é a desse site. Peter Duesberg afirma o seguinte:

    “On the basis of his experience with retroviruses, Duesberg has challenged the virus-AIDS hypothesis in the pages of such journals as Cancer Research, Lancet, Proceedings of the National Academy of Sciences, Science, Nature, Journal of AIDS, AIDS Forschung, Biomedicine and Pharmacotherapeutics, New England Journal of Medicine and Research in Immunology. He has instead proposed the hypothesis that the various American/European AIDS diseases are brought on by the long-term consumption of recreational drugs and/or AZT itself, which is prescribed to prevent or treat AIDS. See The AIDS Dilemma: Drug diseases blamed on a passenger virus.”

    http://www.duesberg.com/

    Por curiosidade, boatos.org é patrocinado pela indústria farmacêutica?

    Reply
  8. Alexandre

    Eu sempre usei camisinha, depois de ler a matéria, acreditei, e transei com várias garotas sem camisinha, Deus queira que eu não peguei o vírus então!

    Reply
  9. Luciano Pinheiro

    Os tais coqueteis são do fim da década de 1990. Antes disso, a doença já tinha matado muita gente.
    Ao que parece, existe sim a máfia da indústria farmacêutica nos EUA, mas não me parece ser o caso.

    Reply
  10. oh yea the dude

    Me desculpe, mas prefiro confiar em alguém com mais de 1 prémio nobel do que um blogueiro de uma página chamada boatos.org

    Reply
    1. Herbert Lopes

      Também prefiro… até por conhecer bem de perto a “ética e honestidade” da indústria farmacêutica.

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *