Enfermeira alerta que bactéria sem cura está nas notas de dinheiro #boato

Boato – Enfermeira do SUS de São Luís (MA) disse que uma bactéria sem cura está vindo nas notas de dinheiro e conta caso de vítima de 21 anos. 

Nos últimos dias, o Boatos.org desmentiu um boato que dizia que uma “bactéria do dinheiro” estava contaminando as pessoas e que uma mulher de 21 anos só tinha 21 dias de vida por causa dela. Na ocasião, o boato estava em um arquivo de áudio. Agora, a história “evoluiu” para um texto.

Uma mensagem no WhatsApp aponta que uma enfermeira de São Luís, capital do Maranhão, teria escrito um texto alertando para tomarmos cuidado com uma bactéria sem cura que está nas notas de dinheiro. “Trata-se de uma Bactéria que come a carne do corpo humano até matar a pessoa, e é mortal e sem tratamento até o momento”, diz o início da mensagem.

De acordo com o texto, uma funcionária do supermercado MT da Cohab, Aline, teria se contaminado com a bactéria do dinheiro e que o dr. Edgard teria falado que ela só teria 21 dias de vida. Por fim, o texto ainda aponta que a bactéria “pode ter sido criada em laboratório” e dá um link para um site “daqueles”. Leia o texto que circula online (reprodução do Facebook):

Print da notícia falsa que fala que bactéria do dinheiro atingiu jovem em São Luís
Print da notícia falsa que fala que bactéria do dinheiro atingiu jovem em São Luís

Enfermeira alerta que bactéria sem cura está nas notas de dinheiro?

Assim como no áudio que circulou no WhatsApp, o texto começou a se espalhar. Mas será mesmo que foi encontrada em São Luís (MA) a prova de que uma bactéria sem cura está nas notas de dinheiro? A resposta é não. Para desvendar essa história, nós precisamos apenas de três elementos. Vamos aos fatos.

O primeiro está no próprio texto que circula online. Para além das características de boatos que o texto carrega (só para recapitular: caráter alarmista, erros de português e pedido de compartilhamento), o link ao final da mensagem aponta para um site de fake news. A mesma página publicou, por exemplo, a história falsa da menina Nataline. Por sinal, os administradores da página são responsáveis por outros blogs do gênero.

O segundo ponto é revelado ao buscarmos mais informações sobre o assunto. Se formos procurar pela história na internet, não há sequer uma notícia que aponte para um caso real de pessoa em São Luís atingida pela bactéria do dinheiro. Se a história só apareceu em sites de notícias falsas e de fact checking, já podemos imaginar que ela é falsa.

Por fim, a mensagem tem uma imagem (que não vamos mostrar aqui) de uma mão “arrebentada”. Ao contrário do que se imagina, a foto não tem nada a ver com “bactéria do dinheiro. A imagem já é antiga na internet e é referente a uma bactéria que se espalhou no México. Detalhe: a bactéria mexicana também não tem nada a ver com dinheiro.

Não vamos perder muito tempo com o caso. O fato é que a história que aponta que uma enfermeira de São Luís denunciou a morte de uma mulher por causa da bactéria das notas de dinheiro não procede. Se você quiser saber mais detalhes técnicos sobre “bactérias no dinheiro”, leia este outro texto do Boatos.org. 

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 994325485.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)