ONU diz que levar crianças a cultos viola Direitos Humanos #boato

By | 07/07/2016

Boato – Em relatório divulgado recentemente, ONU afirma que levar crianças a celebrações religiosas viola os Direitos Humanos.

Já faz um bom tempo quando a Organização das Nações Unidas estabeleceu em uma assembleia a Declaração dos Direitos das Crianças. Em 1959, ficou definido no Princípio 1 que todas as crianças, absolutamente sem qualquer exceção, serão credoras destes direitos, sem distinção ou discriminação por motivo de  raça, cor, sexo, língua, religião, opinião política ou de outra natureza, origem nacional ou social, riqueza, nascimento ou qualquer outra condição, quer sua ou de sua família.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org

Bem se vê já pelo início que a Declaração é inegavelmente inspiradora. No entanto, apesar da distância que separa os princípios nela estabelecidos da realidade das crianças no mundo, ainda tem quem acredite que a ONU não deveria se meter em um ponto – a religião.

Notícia falsa diz que ONU criticou a presença de crianças em cultos

Notícia falsa diz que ONU criticou a presença de crianças em cultos

Pois é isso, segundo uma notícia publicada no site Gospel Mais, a ONU foi incherida ao publicar em seu relatório mais recente que a participação de crianças em cultos religiosos é preocupante e viola os Direitos Humanos delas. Confira a matéria:

“Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele”. Se depender de um novo relatório da Organização das Nações Unidas (ONU), o conselho de Provérbios 22:6 não deveria ser seguido por pais que levam seus filhos a cultos.

O documento da ONU divulgado no Reino Unido considera que a participação de crianças em celebrações religiosas viola os Direitos Humanos.

De acordo com informações da emissora Christian Broadcasting News (CBN), o Comitê sobre Direitos da Criança da ONU passou a considerar que é motivo de “preocupação” a condução das crianças a cultos e suas participações em atos religiosos coletivos realizados em escolas, por isso fazer parte “de um caráter amplamente cristão”

Os membros do comitê sugeriram ao governo do Reino Unido que “revogue as disposições legais para a frequência obrigatória nas celebrações coletivas [nas escolas]”.

Em outro ponto polêmico, o comitê da ONU expressou sua expectativa de que as crianças tenham oportunidade de fazer escolhas de forma independente em relação a seus pais no que tange à participação em cultos. […]

ONU proíbe que crianças vão a cultos?

A mesma notícia ainda traz as reações de inconformidade sobre o relatório e já rendeu pelo menos 24 mil curtidas. Acontece, que a reportagem aparentemente bombástica sobre a ONU nada mais é que a versão traduzida de um texto com informações distorcidas, divulgado em 29 de junho no site CBN.Praticamente nada procede nas informações trazidas na matéria (tanto a gringa quanto a brasileira).

Primeiramente, saiba-se que o relatório da ONU é especificamente sobre o Reino Unido e nada fala de outros países. Depois, tenha-se esclarecido que em momento algum a Organização questiona a participação de crianças nas igrejas, e sim a obrigatoriedade delas participarem de cultos religiosos em estabelecimentos mantidos com verbas públicas – no caso, as escolas do Reino Unido, onde essa situação é lei. E por último, deliberadamente escolheu-se retirar a informação sobre ‘as escolas públicas’ para dar a entender que a ONU criticou qualquer local de adoração coletiva.

Ou seja, notícia errada, logo, boato. Na dúvida, o relatório está disponível na internet, assim como a Declaração dos Direitos das Crianças.  Ler esses conteúdos com atenção seria uma ótima forma de utilização da internet, muito melhor que passar mentiras adiante.

PS: Esse artigo foi uma sugestão dos leitores Fê Show e Elinaldo Paulo. Se você quiser sugerir um tema para o Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site ou pelo Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *