Talysson de Almeida da PF diz que Lula se encontrou com delegado da Lava Jato #boato

Boato – Talysson de Almeida, funcionário da Polícia Federal, afirma que Lula ofereceu benefícios em troca de “vistas grossas” na Lava Jato.

As investigações da Operação Lava Jato não param. A cada novo depoimento, principalmente aqueles envolvendo nomes famosos, como o do ex-presidente Lula, histórias e mais histórias conspiratórias invadem as redes sociais.

Em um dos últimos capítulos da operação Lava Jato, no dia 13/09, a situação não foi diferente. Após Lula prestar depoimento ao juiz Sérgio Moro, na cidade de Curitiba (PR), um texto que seria de um suposto funcionário da Polícia Federal começou a circular na internet.

A mensagem afirma que o ex-presidente Lula teria se encontrado com o delegado da Lava Jato, Igor Cardoso, e oferecido benefícios em troca de “vistas grossas” sobre algumas investigações que estariam por vir dentro da Operação Lava Jato. Confira, assinado por uma pessoa que se diz Talysson de Almeida:

Talysson de Almeida disse que Lula se encontrou com delegado da Lava Jato?

Se o ex-presidente conversou com um delegado da Lava Jato, isso a gente não pode afirmar. Mas se tem uma coisa que nós sabemos: essa mensagem que circula na internet é falsa. E já vamos te explicar o porquê.

Se vocês pararem para ler o post feito pelo suposto funcionário, vão ver algumas coisinhas que nos ajudam a identificar que a história se trata de boato. Assim como em outros diversos boatos já desmentidos aqui, o post pede compartilhamentos para atingir o maior número de pessoas, possui erros de ortografia e tem caráter alarmista.

Além disso, existem algumas informações erradas no texto. A primeira delas é sobre o delegado da Operação Lava Jato. O post afirma que o nome do delegado é Igor Cardoso, mas em uma busca rápida, constatamos que essa pessoa nem existe dentro da Força-Tarefa da Lava Jato. E a propósito, o nome real do delegado da operação é Igor Romário de Paula.

Outra informação equivocada é sobre Newton Ishii, o japonês da Federal. De acordo com o texto, Newton foi acusado por causa da operação Lava Jato. Entretanto, o japonês da Federal foi condenado em uma investigação que veio bem antes da Lava Jato. Newton respondia por facilitar a entrada de contrabando no Brasil, pela fronteira com o Paraguai, em Foz do Iguaçu. E, inclusive, ele foi preso preventivamente por quatro meses, em 2003, por conta disso.

E qual vai ser a surpresa de vocês se eu contar que não existe nenhum Talysson de Almeida na Polícia Federal? Pois bem, em uma pesquisa em um buscador rápido, você não encontra o nome de Talysson em nenhuma matéria e muito menos em aprovações em concursos para a Polícia Federal.

Por fim, vale ressaltar que, desde a chegada do ex-presidente à Curitiba (PR), a mídia fez um verdadeiro reality show com Lula. E mesmo os principais veículos de comunicação estando “no pé” dele, não houve nenhuma informação sobre Lula ter conversado com um delegado na Polícia Federal. Ou seja, se ninguém divulgou a informação “de ouro” dada por Talysson, é porque a fonte não era confiável.

Portanto, toda essa história de Lula, Polícia Federal e suborno não passa de boato. Então, muito cuidado com o que você compartilha nas redes sociais.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de diversos leitores via WhatsApp. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99331-6821.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)