Notícia falsa: 17 policiais se negam a bater em professores e são presos no PR

Boato – 17 policiais militares se negaram a bater em professores que estavam em protesto no Paraná e foram presos por desobediência.

No Paraná, a situação entre professores e o governo estadual não está nada tranquila. Em meio à segunda grande greve do ano, os docentes entraram em um grande confronto com policiais em frente à Assembleia Legislativa do Paraná, localizada em Curitiba. O ápice da confusão aconteceu no dia 29 de abril. 

Policiais se negam a bater em professores e são presos, diz boato
Policiais se negam a bater em professores e são presos, diz boato

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org
Siga o Boatos.org no Twitter:

Envie uma mensagem com a palavra #boato para (61) 99432-5485 e agende este número no seu telefone para receber as nossas atualizações gratuitamente no WhatsApp

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Entre os muitos incidentes, que culminaram em pelo menos 170 feridos, uma informação viralizou na internet: a de que 17 policiais teriam, de forma heroica, se negado a bater nos professores. Mais: após o ato, eles teriam sido presos pelo comando da PM. A informação surgiu por meio da Agência Estado e foi publicada por quase todos os grandes portais do país. Leia:

No PR, 17 policiais se recusam a fazer cerco a professores e são presos

A Polícia Militar de Curitiba informou que 17 policiais foram presos nesta quarta-feira (29) por se recusarem a participar do cerco aos professores que estavam nas proximidades da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) para acompanhar a votação do projeto que autoriza o governo estadual a mexer no fundo de previdência dos servidores do Estado. A Alep alegava ter recebido uma liminar da Justiça que garantia o veto a entrada de pessoas para acompanhar a votação.

Na tarde desta quarta-feira, um novo confronto entre a Polícia Militar e professores deixou cerca de 150 pessoas (a maioria professores) feridas, segundo o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Algumas delas estão em estado grave.

A história rendeu textos emocionados como, por exemplo, no Blog de Mario Magalhães, no UOL. Pois bem, apesar da comoção, a história é falsa. Como é possível ver, o texto citado acima é um tanto genérico. Não cita quem são os policiais e tampouco em que situação aconteceram as prisões.

Para além disso, não houve nenhuma filmagem a respeito do assunto circulando na internet. No meio de uma cobertura muito midiatizada e com celulares capturando imagens o tempo todo, é meio estranho não ter nada.

Não demorou muito para as suspeitas da estranha história se confirmarem. No dia seguinte à divulgação massificada, a PM do Paraná negou que qualquer policial havia sido preso. O UOL mostra, neste texto, o desmentido da polícia paranaense. Até o próprio Mário Magalhães acabou retificando a informação publicada em seu blog. 

Sendo assim, podemos afirmar que a história de que os policiais paranaense se negaram a bater em professores e foram presos é falsa. Infelizmente, tudo aponta que ninguém se negou a bater em ninguém. E o resultado foi esse que vocês viram por aí.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)