General Villas Bôas diz que vai ter intervenção militar se Temer vacilar #boato

Boato – Em comunicado interno ao jornal Valor, general Villas Bôas disse haverá intervenção militar se Temer vacilar e tentar abafar a Lava Jato.

Em meio à polarização que tem tomado conta da política nacional, o nome do presidente Michel Temer tem sido uma unanimidade entre os mais de esquerda e os de mais de direita. Ambos lados do polo fazem duras críticas a ele. Enquanto a esquerda o acusa de atuar a “favor do empresariado e da direita”, a direita o acusa de ser corrupto “como todo político de esquerda”.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org
Siga o Boatos.org no Twitter:
Envie uma mensagem com a palavra #boato para (61) 99331-6821 e agende este número no seu telefone para receber as nossas atualizações gratuitamente no WhatsApp

A história que vamos tratar hoje é de uma crítica vinda da direita. Um texto que tem viralizado por Facebook e WhatsApp dá conta que o comandante do Exército, general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, teria dado um recado claro a Temer: se ele tentasse abafar a Lava Jato, haveria intervenção militar no país. Os textos que circulam usam como fonte “um comunicado interno ao jornal Valor”. Leia:

Se Temer e o Congresso insistirem em abafar a Lava Jato, haverá intervenção militar! GENERAL- “Se Temer vacilar vai ter intervenção sim.” Em comunicado interno ao jornal VALOR, General Villas Boas (Comandante do Exército Brasileiro) afirma: “Se o Planalto e o Congresso insistirem nessa irresponsável tentativa de inviabilizar a Lava Jato, a história vai se repetir no Brasil, e não será como farsa. Portanto, espera-se que o presidente Michel Temer tenha um mínimo de juízo e não ouse levar adiante essa injustificável iniciativa”.

General Villas Bôas diz que vai ter intervenção militar se Temer vacilar?

As pessoas que são a favor da volta dos militares ao poder compartilharam a informação a torto e a direito. Mas será mesmo que é verdade que o general Villas Bôas deu esse “recado carinhoso” ao governo? A resposta é não. Vamos aos fatos.

O que aconteceu, na realidade, foi um verdadeiro telefone sem fio (intencional ou não). Tudo começou quando o general Villas Bôas deu essa entrevista ao jornal Valor em fevereiro deste ano. Na entrevista, ele disse que o Brasil “estava a deriva” e que “não sabe o que pretende ser, o que quer ser e o que deve ser”. Na mesma entrevista, ele negou que o Brasil estaria a caminho de uma intervenção militar.

Apesar de ele ter descartado a hipótese de intervenção na matéria, um site de opinião fez uma interpretação totalmente contrária do que ele disse. E foi neste artigo que surgiu a frase utilizada no boato (Se o Planalto e o Congresso…). Ou seja, vou um jornalista que analisou a entrevista que disse isso. Se você acha que a falta de interpretação de texto parou por aí, começaram a atribuir a parte opinativa do jornalista ao general. E aí surgiu a frase.

Você já entendeu que o general Villas Bôas não falou nada sobre o assunto, ok? Só para ficar bem claro que ele não tem intenção (ou pelo menos não deixa público que tem) de apoiar uma intervenção militar, ele já disse que há chance zero de haver uma intervenção e que “malucos” apoiam a ideia.

Resumindo: a história que aponta que o general Villas Bôas havia dito que se a Lava Jato for abafada haverá intervenção militar é falsa. Nem ele defende a volta do regime militar nem ele disse a frase ao Valor.

PS: Esse artigo foi uma sugestão de diversos leitores do WhatsApp. Se você quiser sugerir um tema para o Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook ou WhatsApp, no telefone (61) 99331 6821.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)