Sérgio Moro é professor na UFPR, não vai trabalhar e recebe salário #boato

By | 21/03/2016

Boato – Juiz da Lava Jato, Sergio Moro ganha como professor da Universidade Federal do Paraná, mas não comparece às aulas.

Depois da divulgação do telefonema de Dilma Rousseff a Lula, pelo juiz federal Sergio Moro, o país ficou bastante agitado. As opiniões já divergentes sobre o juiz da Lava Jato se acirraram e muitas pessoas criticaram a atitude do magistrado, considerando-o partidário.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org

De qualquer forma, as histórias envolvendo Moro não começaram apenas depois da divulgação das ligações telefônicas de Lula. No Boatos.org desmentimos um monte de balelas envolvendo o juiz, para bem e para mal. E hoje, aqui estamos novamente.

Boato diz que Sergio Moro é professor fantasma da UFPR

Boato diz que Sergio Moro é professor fantasma da UFPR

Uma mensagem postada no Facebook está afirmando que Sérgio Moro é professor fantasma da UFPR. Segundo a informação, o juiz tem o cargo na universidade paranaense, recebe por ele, mas não leciona.

Confira o recado:

O Moro é prof na UFPR, não vai trabalhar e recebe salário, todo ano a universidade move processo ADM e no MP o processo chega a divisão que ele trabalha e é arquivado.

O guerreiro contra a corrupção recebe sem trabalhar e ainda delibera ou orienta processos em causa própria.

O pau que bate em Chico não bate em Francisco.

Postada com uma mensagem bem crítica sobre a postura de Moro, essa história está se espalhando rápido. Porém, é falsa. Vamos às verdades:

– O juiz Sérgio Moro de fato é professor de Direito Processual Penal na UFPR. Ele leciona na universidade desde 2007 e atualmente acumula a função de professor com as demandas da justiça federal.

– Moro leciona presencialmente aos alunos do quarto ano de Direito, no período noturno, segundas das 21h às 22h40 e terças-feiras das 21h às 21h50. Tanto é assim, que consta no horário de aulas do Departamento de Direito da UFPR.

– A informação de que Moro desenvolve processos em seu favor também não está devidamente certa. Em 2012, quando foi convidado a ser assistente da ministra do Supremo Tribunal Federal, Rosa Weber, no caso do Mensalão, o juiz pediu que suas três aulas semanais se concentrassem às sextas-feiras à noite. Por haver uma portaria da UFPR que não permite três aulas seguidas de uma mesma disciplina, o juiz teve seu pedido negado e abriu processo na Justiça Federal – como autor, não como o responsável por deferir o processo. Isso foi feito pela juíza Claudia Cristina Cristofani que definiu não haver obrigação da UFPR em atender a Sergio Moro. E foi isso, ele perdeu a ação, fim da história.

Considerando o tipo da corrente, os erros de ortografia e o tom nada isento da mensagem, bem se percebe que se trata de um típico boato que junta informações minimamente reais e acrescenta mais um monte de mentiras. Recapitulando, portanto, Moro é professor de verdade da UFPR, e dá aula duas vezes por semana na instituição.

PS: Esse artigo foi uma sugestão das leitoras Lícia Paulo, Angelita Dutra, Penélope Sampaio, Luciana Leal e de Adriano Lunguinho. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site ou pelo Facebook.

13 thoughts on “Sérgio Moro é professor na UFPR, não vai trabalhar e recebe salário #boato

  1. maura watan

    Moro prova tudo que fala, já esse povo mentiroso só faz inventar e jogar boatos na internet.

    Reply
  2. Marcelo Vivan Borro

    Infelizmente a credibilidade do boatos.org já não é a mesma. Uma pena :-(

    Reply
  3. Gamma

    Boato são as merdas que vcs postam aqui… Ele esta longe de cumprir carga minima pra receber integralmente como recebem, ja ficou longos periodos sem dar as caras e continuou recebendo… Muito bonito usar o site pra alimentar a ilusão de que esse safado é um herói nacional… pau no cu de vocês!

    Reply
  4. MAX RAMIRES

    A verdade não seria parcialmente falso ou parcialmente verdadeiro? Em um certo período ele ficou 6 meses sem dar aulas e recebeu integralmente seus vencimentos. Após isso ainda tentou mais 6 meses que foi negado pela UFPR e aí sim adentrou na justiça, conforme relatado pela defesa da UFPR na decisão da Vara Federal de Curitiba e no acórdão do TRF-4. Em um certo período, mais precisamente em 2012, esse boato foi verdeiro.

    Reply
  5. Rubens

    Um docente Federal com regime didático de 20h deve permanecer na instituição 20h, independente de ter apenas 3h semanais em disciplina (o que é ridiculamente pouco para um 20h). O Boatos ligou no departamento para ver em que horário é possível encontrar o prof. Moro?

    Reply
  6. Kleise

    Que bom saber a verdade!
    Mas todo professor federal, tem uma carga horária minima de 20h, só estou contando 2h30mim?!
    Fiquei na dúvida agora?! :/

    Reply
  7. jair

    Até onde eu sei ele está trabalhando menos que deveria. Um professor de Universidades federal deveria trabalhar pelo menos 8 horas por semana, em sala de aula?

    Reply
    1. Carlos

      Cumular cargos de Juiz e Professor pode. E não foi ele que inventou, é a Lei dos servidores que permite.

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *