PT usa software livre para fraudar urnas eletrônicas, diz hoax

By | 05/11/2014
Boato diz que software livre de urnas manipula eleições

Boato diz que software livre de urnas manipula eleições

Boato – O PT comete fraude com as urnas através do auxílio de Software Livre e dois terríveis hackers: Richard Stallman e Kevin Mitcnick, com apoio dos simpatizantes comunistas Marcelo Brando e Sérgio Amadeu.

Mais uma eleição aconteceu e a suspeita de fraude nas urnas voltou a reinar entre os eleitores. Parte da população fica com um pé atrás e não confia totalmente nas máquinas que computam os votos atualmente.  Poucos sabem, mas o Brasil possui um sistema eleitoral que é considerado um dos mais modernos e eficientes do mundo, justamente pela tecnologia das urnas eletrônicas daqui.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org

Mas mesmo assim, surgem rumores sobre o funcionamento efetivo das urnas. Um caso que circulou na internet foi sobre uma possível fraude que o PT cometeria com as urnas, através do sistema de Software Livre utilizado nas máquinas e que poderia ter sido utilizado a favor do partido, através de hackers. A imagem que circulou nas redes sociais diz o seguinte:

Desde 1985, Lula é amigo de Marcelo Branco, militante petista e experiente ativista do Software Livre (à esquerda fazendo o V da vitória (Da Dilma?).

Em 2008 o TSE trocou o software das urnas, que era Windows, pelo Software Livre do Marcelo (seria uma indelicadeza supor que Lula possa ter exercido alguma influência sobre essa decisão do TSE?).

Em 2009, Marcelo Branco apresenta a Lula o americano Richard Stallman, ativista fundador do movimento Software Livre e um aclamado programador e Hacker (o barbudo à direita de Lula).

Nas eleições de 2010, Marcelo Branco convidou Kevin Mitnick, hacker famoso nos Estados Unidos por invadir computadores das companhias telefônicas e que já tinha sido preso por isso, para vir a São Paulo (Campus Party 2010).

Em 2010, Dilma (abraçada ao Marcelo) vence as eleições.

O que você acha que acontecerá em 2014?

Por fim, o texto diz que a fonte foi do blog Wikileaks-brasil.blogspot.com.br. Este post do blog é de 2010, com o título “DEMOCRACIA HACKEADA – COMO O PT FRAUDOU AS ELEIÇÕES 2010”.

A imagem com as fotos e o texto foi publicada na página do Facebook Revoltados ON LINE e foi compartilhada por cerca de 30 mil pessoas. Ou seja, muitas pessoas levaram a sério as informações da postagem.

Alguns usuários da rede social tentaram explicar sobre o sistema nos comentários, dizendo que software livre (ou Linux) não é “coisa de comunista” e que o fato da urna eletrônica rodar Linux, não quer dizer que o software dela é livre (com o código fonte disponível). O site Meio Bit também tentou desmentir essa teoria da conspiração neste texto. Eles explicam que a migração de Windows CE para Linux não viola a segurança, pois o software livre não deixa a urna mais vulnerável.

Tanto o blog que lançou essa imagem com uma teoria conspiratória de fraude, quanto a página que divulgou a informação, apresentam outras postagens com outras acusações contra o Partido do Trabalho dos Trabalhadores, portanto, fica claro que o objetivo dessas páginas é mais em difamar o PT, do que o compromisso com a veracidade de informações.

O TechTudo explica, de uma forma clara como funciona o sistema das urnas eletrônicas, que desde 2008 é desenvolvido em Linux, um sistema operacional livre, que determina a sequência dos cargos e a tabela dos partidos e candidatos.

Essas informações e toda a lista dos eleitores de cada seção eleitoral, ficam dentro do flash card. Este dispositivo é colocado nas urnas e permite que os dados de cada uma sejam específicos daquela zona e seção eleitoral.

Fica evidente que o texto é falso, trata-se de mais um boato na internet, que ganhou forças com as eleições. Para esclarecer outras questões quanto Às urnas, veja também “Verdades e mentiras sobre fraude nas urnas eletrônicas”.

3 thoughts on “PT usa software livre para fraudar urnas eletrônicas, diz hoax

  1. Rodrigo

    Não acho que Stallman seja comunista, mas não coloco a mão no fogo. Mas achar que o problema das urnas é o software livre é ignorância.

    1º Pq Linux e software aberto é infinitamente mais seguro que código fechado e do que Windows, é óbvio que um código que você possa ver é mais seguro que um que você não possa ver.

    2º O problema da urna não é INVASÃO externa, o problema da urna é a urna em si, independente do OS que utilizem ela por si só pelo jeito que foi concebida, por quem foi fabricada e por quem está sendo protegida TSE e Tofoloides, e por ter um arquivo avpart13 executável tudo isso tá errado, pelo MP ser proibido de investigar.

    Ninguém precisa “invadir” a Urna, entendam isso de uma vez por todas. Ela já vem bichada e isso independe do OS, colocaram Linux pq a desconfiança sobre a urna não é de hoje, é de antes de 2008, então colocando um sistema mais seguro acharam que acalmariam os animos (e acalmaram).

    3º Com certeza os marketeiros da Micosoft, essa que está indo de mal a pior, se beneficiariam de algo assim.

    4º Código aberto é incompatível com totalitarismo, reflitam. Já imaginaram uma empresa só com o monopólio de um sistema fechado num país que venha a ser totalitário, imaginem esse produto sendo exportado para outros países já pensaram o tamanho do estrago? Governos totalitários centralizam. Queremos menos governo.

    Reply
  2. Charles

    Linux ou não, a possibilidade mais simples de fraude pode estar no programa interno da urna que identifica os números digitados e atribui ao candidato escolhido mais um voto.

    Se o programador não for confiável, ele poderá instruir o programa para atribuir votos ao candidato de sua preferência, e ninguém nunca saberá.

    Seria bom haver uma auditoria no código-fonte deste(s) programa(s), afastando a possibilidade de fraude onde justamente é a parte mais vulnerável de todo o sistema.

    Reply
    1. Algoritmo !

      Algoritmo ! Um algoritmo é caracterizado por qualquer forma de resolver um problema de forma procedural a partir de padrões e regras ! Regras !!!

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *