MEC diz que é preciso acabar com regalias de professores #boato

By | 28/09/2016

Boato – Ministério da Educação (MEC) pretende acabar com as regalias dos professores para equilibrar os cofres de estados e municípios.

Comemorações, críticas e muita polêmica. Esse foi o saldo desde que o presidente, Michel Temer, anunciou a reforma do ensino médio no país.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org

MEC pretende enxugar regalias dos professores para equilibrar contas, diz boato

MEC pretende enxugar regalias dos professores para equilibrar contas, diz boato

Entre as polêmicas do governo Temer, há boatos de cá e boatos de lá. A última informação “bombástica” que circulou na internet dá conta de uma declaração preocupante. Aliás, ameaçadora.

De acordo com o texto, o Ministério da Educação (MEC) pretende enxugar “regalias” dos professores para equilibrar os cofres públicos. E mais, isso inclui as férias de 45 dias, aposentadoria especial, descanso pedagógico, piso nacional e até o lanche “grátis”. Leia o que diz o texto que circula online:

É preciso enxugar regalias dos professores para equilibrar cofres de estados e municípios, diz governo federal. “Eles têm férias de 45 dias, aposentadoria especial, descanso pedagógico, piso nacional e até lanche grátis”. Que outro trabalhador possui tantas regalias? É preciso enxugar tudo isso ou o país continuará quebrado”, dizem burocratas do MEC.

[…] Nessa linha de ataques ao setor público, o governo federal começa a fazer dobradinha com prefeitos e governadores no sentido de atingir ainda mais negativamente o pessoal do magistério. Segundo técnicos do MEC, redes estaduais e municipais de educação são gigantes demais e consomem muito dinheiro de estados e municípios. “É preciso enxugar, pois 12 estados cogitam declarar calamidade financeira”, alardeiam no site da Agência Brasil.

Uma das principais saídas em discussão entre Temer e gestores de estados e municípios é o “enxugamento” de supostas regalias dos professores. “Eles têm férias de 45 dias, aposentadoria especial, descanso pedagógico, piso nacional e até lanche grátis”. Que outro trabalhador possui tantas regalias? É preciso enxugar tudo isso ou o país continuará quebrado”, dizem burocratas do MEC.

[…] Para combater mais arrocho, CUT e CNTE preparam uma greve geral em todo o Brasil. “Temer e aliados devem fazer enxugamento é nos lucros dos ricos que se acham donos do Brasil”, alertam os sindicalistas.

MEC diz que é preciso acabar com “regalias” de professores?

É claro que a informação gerou um reboliço. Mas será mesmo que o MEC disse isso? Pois então, essa história, assim como a jornada de 60 horas semanais para professores, é boato. Mas, agora vamos aos fatos.

Após a repercussão, o MEC, esclareceu a história. O ministro da Educação, Mendonça Filho, em um pronunciamento gravado na terça-feira, 27 de setembro, rebateu as declarações e disse que professores e estudantes são prioridade do mistério. No vídeo, o ministro afirma que essas campanhas mentirosas nas redes sociais pretendem tumultuar e gerar pânico na população. Confira o vídeo:

Pois bem, só esse fato já desmentiria a história. Mas, o Boatos.org checou as informações e não encontramos nada a respeito do caso no site da Agência Brasil, como indica o texto. Se você tem dúvida, pode conferir aqui.

Como você já deve imaginar, não localizamos a origem do boato, mas as informações foram compartilhadas em blogs com objetivos partidários, o que é, no mínimo, duvidoso, já que a informação não circulou por nenhum meio de comunicação tradicional.

Portanto, podemos afirmar que as declarações atribuídas ao MEC são falsas. O ministro não disse nada sobre “regalias”. Tudo não passa de mais um desses boatos que encontramos na internet.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão dos leitores Afonso Felipe e Tayana Leão. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site ou Facebook.

12 thoughts on “MEC diz que é preciso acabar com regalias de professores #boato

  1. Fabio

    Acho que vocês do boatos.org não explicaram bem a questão, foram superficiais, incompletos, parciais até. O MEC e o ministro da Educação não falaram em regalias dos professores, mas, como mostrou o leitor Daniel, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, falou: “Agora tem (a reforma do) o Ensino. Está uma gritaria de uns privilegiados que não querem largar a boquinha” – disse Padilha. E o governo Temer pretende reduzir os direitos de todos os trabalhadores: aumentar a idade mínima para aposentadoria para 65 anos, que atingiria também os professores. Também estuda a redução das férias, para todos (exceto juizes, deputados e outros do andar de cima).

    Reply
  2. Edson Cavalcante

    Se a polêmica não for verídica, por que até a esta data o governo não anunciou o novo valor do piso salarial? E, como se explica a reforma da providência para o setor público do magistério?
    E, por que não há mais vale transporte para professores das zonas rurais, e sim, pass Card para alguns estados? Por que alguns benefícios para professores já foram cortados, tal qual, o quinquênio em alguns estados? Por que não há na minha escola o “mais educação”? Pode até ser boatos, porém tenho fatos verídicos como os citados acima.

    Reply
  3. Esmael Leite da Silva

    Estava tentando checar uma matéria do Site mídiapopular.net e acabei chegando a mesma conclusão e não compartilhei a matéria, na busca cheguei até este site (boatos.org), valeu.

    Reply
  4. Cleusa Martins

    BOATO OU NÃO O IMPORTANTE É QUE TODOS os políticos pensam assim dos professores. Gostaria que eles vivessem com nossos salários. Sabe estou cansada de todos eles… quando disse TODOS são todos mesmos não importa os partidos. Todas as vezes que vão “tentar” melhorar a educação eles só pioram… Sabe porque? Porque eles querem alunos cada vez mais desinformados e sem conhecimentos dessa forma é mais fácil controlá-los.Assim não vai haver concorrência para seus filhos nas eleições.

    Reply
    1. Alberto

      Pois é. Sejam eles do PT, PC do B, PMDB, PSDB ou qualquer outra legenda. Acho só que o que tem que ficar claro é que, como você falou, “Todos os político pensam assim”. Infelizmente. Só acho injusto querer criticar esse governo como se fosse o primeiro na história do Brasil a não tratar dignamente os professores. E acho covardia criticar um governo baseado em boatos. Ainda bem que todos os que chegaram até essa página são pessoas que não acreditam em tudo que leem, mas buscam a verdade dos fatos. Minha esperança se renova ao ver que há brasileiros assim, que não se permitem manipular por informações inverídicas.

      Reply
  5. Edite Herculana da Silva Costa

    Senhores politícos, todos vocês são eleitos com o voto de : Professores, alunos, pais de alunos etc, acredito que as mordomias quem as tem são os políticos, tem salários altíssimos, moradia, plano de saúde, motoristas, viagens de avião e um carro a sua disposição. Voces deveriam refletir e ver que toda a reforma administrativa deveria começar pelas suas mordomias e salários. Voces querem fazer daqueles que os elegem de escravos, isso não é democracia.

    Reply
  6. Katia

    E os políticos brasileiros no geral deveriam continuar a trabalhar em suas áreas de atuação . Não entendo a necessidade de salários tão absurdamente altos e tanta mordomia, além da aposentadorias tão precoce. Ser político por acaso é insalubre ou perigoso? Os cofres públicos agradecem!

    Reply
  7. jeudi medeiros de souto

    há u grave erro aqui quando se fala que professores possuem direito a lanche grátis, não possuímos, Na verdade quanto a isso se pratica a política do constrangimento, somos a única categoria publica que não tem direito a vale alimentação ou qualquer tipo de regalia alimentar. Quanto as férias de 45 dias outra mentira, nós temos 30 dias de férias como qualquer trabalhador isso quando não fica nenhum problema de nota pra resolver no final do ano, os 15 dias dos quais se fala, são as semanas pedagógicas, usadas para planejamentos e discussões internas, e por fim para não mais delongas, o piso nacional nos possibilita apenas nos aproximar salarialmente dos salários pagos a categorias muitas vezes intelectualmente inferiores a nós, recebemos por exemplo bem menos do que um policial raso e um técnico administrativo do setor de finanças..

    Reply
    1. Alcina

      Regalias????? Quais????? Kkkkkkkkkkkkk
      Até parece que o professor ganha bem e trabalha pouco!
      Futuro do país… ( falta total de professores) pq quem vai querer estudar pra ser professor???

      Reply
  8. Nome do Sobrenome

    O correto é “rebuliço”. De nada.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *