Brasileiros só ficam milionários com futebol, não com outros esportes #boato

Boato – Apenas o futebol rende grandes fortunas a atletas brasileiros. Não há casos de milionários em outros esportes.

O futebol, é de longe, o esporte mais praticado e popular no Brasil. Junto com todos os holofotes que os jogadores atraem, também temos as cifras milionárias que ultrapassam o inimaginável para o “trabalhador comum”. No entanto, não se engane pensando que, para os atletas do nosso país, só é possível ficar milionário com o futebol. Há vários exemplos de esportes considerados secundários na nossa cultura que já deram muita grana aos profissionais daqui.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org
Siga o Boatos.org no Twitter:

Envie uma mensagem com a palavra #boato para (61) 99432-5485 e agende este número no seu telefone para receber as nossas atualizações gratuitamente no WhatsApp

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Basquete — Esse é um esporte que gera muitos multimilionários, principalmente para aqueles que atuam na NBA (melhor liga de basquete do mundo, cujo teto salarial por time ultrapassa os 90 milhões de dólares). Atualmente, quatro brasileiros (Tiago Splitter, Andersão Varejão, Nenê e Leandrinho) se destacam quando o assunto é grana na liga norte-americana.

O jogador que mais ganhou nesse quarteto é o pivô Nenê. Com passagens pelo Washington Wizards, Denver Nuggets e atualmente no Houston Rockets, o brasileiro já conquistou total de US$ 123 milhões (R$ 404 milhões) em 15 temporadas no melhor basquete do mundo.

Automobilismo — Felipe Massa é o caso de maior sucesso entre os pilotos brasileiros em atividade. Apesar de o piloto nunca ter conquistado um campeonato mundial (ficou a um “Timo Glock” de vencer) ele tem grande reputação na Fórmula 1 e, inclusive, saiu da aposentadoria, confirmada no ano passado, para renovar com a Williams para a atual temporada.

De acordo com o site Total Sportek, o salário de Massa neste ano é de US$ 3,5 milhões (R$ 11,5 milhões). No total, Massa tem um patrimônio líquido de cerca de US$ 8 milhões (R$ 26,2 milhões).

Poker — Considerado um dos maiores esportes de estratégia do mundo, a modalidade tem crescido muito no Brasil nos últimos anos, e um dos responsáveis pelo seu desenvolvimento é o paulistano André Aakkari. Bem-sucedido, Akkari tornou-se uma das referências do esporte no país.

Além de ser um empresário de sucesso, o brasileiro já faturou mais de US$ 3 milhões (R$ 9,8 milhões) em premiações. Mas não se engane pensando que você poderá ganhar uma bolada só por praticar poker toda sexta com os amigos: o circuito é muito disputado e os profissionais se dedicam o dia todo (entre estudos e prática) para estarem entre aqueles premiados em cada torneio. De certa forma, é um paralelo com o golfe: muitos jogam, poucos podem ganhar a vida com isso.

Tênis — O esporte da bolinha amarela também forma milionários. Thomaz Bellucci é a maior referência entre os atletas tupiniquins. O canhoto, que atualmente é o número 55 no ranking da ATP, já faturou um total de US$ 5 milhões (R$ 16,4 milhões) na carreira com os prêmios em simples e duplas.

Outro tenista brasileiro com premiações milionárias é Rogério Dutra Silva. Atual número 69 do mundo, ele já faturou US$ 1,2 milhão (R$ 3,9 milhões) em 14 anos de carreira profissional.

Beisebol — Um esporte em ascensão no Brasil, recentemente gerou mais um milionário entre os brasileiros. No início deste mês, Eric Pardinho assinou com o Toronto Blue Jays pela bagatela de US$ 1,4 milhão (R$ 4,6 milhões).

Mas Eric não é o único brasileiro milionário no passatempo dos americanos. Yan Gomes, catcher (apanhador) do Cleveland Indians, está consolidado na MLB (melhor liga de beisebol do mundo) e já levou para casa US$ 23,4 milhões (R$ 76,8 milhões) em oito temporadas.

Futebol Americano — Cairo Santos, primeiro e único brasileiro a jogar na NFL (melhor liga de futebol americano do mundo), tem apenas 25 anos, mas pode se orgulhar de ter uma bela conta bancária. Em três temporadas com o Kansas City Chiefs, o kicker já faturou total de US$ 1,5 milhão (R$ 4,9 milhões). Melhor ainda para Cairo, ele tem contrato garantido com os Chiefs para esta temporada e, em 2017, receberá mais US$ 1,7 milhão (5,5 milhões).

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)