Hoax: Bomba caseira é feita com água e alumínio em garrafa pet

By | 03/06/2014
Bomba caseira é feita com alumínio e água em garrafas, diz boato

Bomba caseira é feita com alumínio e água em garrafas, diz boato

Boato – Pessoas já perderam os braços ao pegarem bombas caseiras deixadas por crianças em gramados, caixas de correio e jardins. A bomba é feita de garrafa pet, água e papel alumínio.

Não é a primeira vez que pânico e boato estão ligados. Desta vez, o que circula nas redes sociais é um alerta à população que diz que crianças andam colocando uma folha de alumínio e água em garrafas de plástico e criando uma espécie de “bomba”.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org

A postagem já foi compartilhada por quase 80 mil pessoas em uma das páginas do Facebook em que a imagem e o texto foram divulgados. O sensor de perigo das pessoas recebe o alerta pela mensagem e faz com que elas compartilhem para “garantir”, “prevenir” ou seja lá o que for. O texto, na íntegra, diz:

POR FAVOR, LEIA, NÃO VAI DOER PARA E PASSE A FRENTE.

As crianças estão colocando, folha de alumínio e um pouco de água em garrafas de plástico de bebida e tampando, deixando nos gramados, em caixas de correio, nos jardins, nas calçadas, etc… só esperando para que você possa pegá-las com a intenção de colocá-las no lixo, mas você nunca vai fazê-lo!!!

Se a garrafa é capturada e o frasco é agitado até mesmo um pouco, em cerca de 30 segundos ou menos, acumula gás suficiente que depois explode com força o suficiente para remover algumas de suas extremidades. O líquido que sai é fervendo quente também.

Não pegue qualquer garrafas de plástico que pode ser encontrada em qualquer lugar. Preste atenção a isso! Uma garrafa de plástico com tampa, um pouco de água, um pequeno pedaço de papel alumínio. Pegá-la, movendo-a, e BOOM!

Sem dedos e outros efeitos graves para seu rosto, olhos, etc. Por favor, certifique-se de que todos os que não podem ter acesso de e-mail também são informados do presente!!!

BOOM! Basta ler o texto uma vez que já dá para reconhecer o caráter apelativo comum de boatos na internet. Ele começa com uma frase para chamar a atenção do leitor, aguçando a curiosidade. O texto também induz o compartilhamento, tanto no início quando diz “passe a frente” e no fim, onde diz “certifique-se de que todos os que não podem ter acesso de e-mail também são informados”.

Pela última frase, tudo indica que o texto começou a circular por e-mail. Você lembra daquelas correntes que você recebia sempre e ficava na dúvida se era real ou não? Então, trata-se disso mesmo, uma típica corrente de e-mail, que migrou para o Facebook.

A imagem que acompanha o post também não diz nada que comprove a veracidade da informação, só mostra uma garrafa meio torta, com papel alumínio bem amassado na ponta. Não tem link para nenhum vídeo e nenhum relato mais específico do que acontece. Não tem fonte de informação que comprove, a não ser esse texto anônimo.

Através de uma busca rápida na internet, não encontramos nenhuma referência a esse caso ou esse tipo de ‘bomba’. Bombas caseiras não são novidade, mas só água e alumínio não são suficientes. Um vídeo mostra uma feita com garrafa pet e ar apenas, mas é o ar comprimido, através de um compressor, confira as imagens.

Vale lembrar que bombas caseiras são perigosas e podem causar até a morte, como diz a matéria do Estadão. Elas são responsáveis por 80% das mortes e ferimentos de soldados americanos no Iraque, pois são baratas, podem ser fabricadas e ficar expostas em qualquer lugar.

Enfim, mais um texto falso que circula pela internet! Não tem bomba nenhuma e perigo nenhum em possíveis garrafas jogadas por aí. Lógico que você não precisa sair por aí pegando garrafas no chão, a não ser que seja para jogar no lixo.

Nota do editor: eu me arrisquei a fabricar a bomba caseira com alumínio, garrafa pet e água. Infelizmente (ou felizmente para o meu apartamento), a mistura não foi bombástica. O máximo que consegui foi fazer um pouco de bagunça na minha cozinha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *