História falsa: homem de 25 centímetros foi encontrado no Irã

By | 13/10/2014
Homem de 25 centímetros teria sido encontrado no Irã, diz boato

Homem de 25 centímetros teria sido encontrado no Irã, diz boato

Boato – Um corpo mumificado de 25 centímetros foi encontrado na Pérsia (hoje Irã). Cidade de Makhunik seria de mini-pessoas.

Esse texto foi enviado pelo leitor Alessandro Carvalho. Se você também quiser enviar material colaborativo, entre em contato com a gente pelo site ou Facebook.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org

Em agosto de 2005, um pequeno corpo mumificado foi encontrado na antiga aldeia persa de Makhunik no que hoje é o Irã. A descoberta causou uma sensação internacional quando os pesquisadores relataram que os restos pertenciam a um anão adolescente e que as escavações da antiga cidade revelavam uma arquitetura que sugeria que era uma cidade de pessoas pequenas.

A história agora ressurgiu e está fazendo o seu caminho rapidamente em torno sites de notícias alternativas. Aqui vamos explorar se uma antiga cidade de anões realmente existiu, ou se tudo é apenas sensação na mídia.

A múmia de 25 centímetros de comprimento foi bem preservada. As análises iniciais realizadas por uma equipe forense estimaram que o indivíduo tinha 16-17 anos de idade no momento da morte. Leia trecho do texto que fala sobre assunto:

A antiga vila iraniana no sul da província de Khorasan, conhecido como Makhunik, surpreendeu muitas pessoas que gostam de visitar uma cidade anã real.

Localizado a cerca de 100 quilômetros a leste do distrito Shahdad em Kerman (província vizinha de Khorasan), os restos da antiga cidade e as estruturas descobertas evocar a imagem de ‘Liliput City (Tribunal de Lilliput)’ descrito no famoso romance de Jonathan Swift, Viagens de Gulliver.

Mas será verdade? Tudo indica que não. Os arqueólogos foram rápidos para desmascarar os rumores da existência de uma tal cidade da província: “Os 38 anos de escavações arqueológicas na cidade Shahdad negam qualquer cidade anã na região.

Outros especialistas descartaram a possibilidade de que a múmia prova que Makhunik era uma cidade de anões, mas não chegou a dissipar lenda local de uma cidade completamente: “Mesmo se for provado que o cadáver pertence a um anão, não podemos dizer com certeza que a região de sua descoberta na província de Kerman foi a cidade de anões “, afirmou Javadi, arqueólogo da Organização do Patrimônio Cultural e Turismo da província de Kerman.

Vários meses após a descoberta, a Payvand Iran News informou que os estudos antropológicos revelaram a pequena múmia era realmente 400 anos de idade e que não pertencem a um anão, e sim a um bebê prematuro que havia sido mumificado através de processos naturais.

“O esqueleto pertence a um bebê prematuro, que, devido às condições regionais e seu método de sepultamento, foi mumificado em processos naturais”, disse Farzad Forouzanfar, antropólogo da Organização do Patrimônio Cultural e Turismo de Iran.

Então, o que podemos concluir sobre Makhunik e a pequena múmia? Parece que grande parte da comunicação social sobre o caso tem sido estimulado pelo rumor e deturpado por sensacionalismo. Parece mais provável, que a múmia seja os restos naturalmente preservados de um bebê, como estudos antropológicos revelam. No entanto, é curioso que as lendas de “pessoas pequenas” não existam apenas no Irã, mas possam ser encontrados em muitas culturas ao redor do mundo.

Fonte

Nota do editor: o boato foi checado. A história circulou pelo exterior no ano de 2012 e não chegou a circular muito pelo Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *