Teoria falsa: Masaru Emoto diz que poder das palavras pode alterar substâncias

By | 10/04/2014
Teoria diz que arroz se decompõe de maneira diferente por causa de palavras

Teoria diz que arroz se decompõe de maneira diferente por causa de palavras

Boato – Experimento científico feito pelo japonês Masaru Emoto com água e arroz pode comprovar o poder positivo ou negativo das palavras na decomposição de substâncias.

Masaru Emoto é um pesquisador japonês, nascido emYokohama, conhecido por seu livro Messages from Water e seus desdobramentos. O fotógrafo e autor trabalha com uma tese que consiste em “falar” com substâncias – no caso a água. Ao tratar as substâncias de forma diferente, variando entre amor, ódio e descaso, Emoto tenta comprovar a força das palavras sobre essas substâncias.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org

O estudo de Emoto consiste em analisar com um microscópio as moléculas de água após congeladas. Primeiramente, pega-se a água em um vasilhame e as palavras bonitas e feias são para as duas quantias de água. Após essa etapa, a água é congelada e as moléculas são analisadas, com isso, os cristais de água que “ouviram” palavras agradáveis ficam bonitos e os cristais sujeitos a palavras feias ficam com uma aparência desagradável. A experiência também pode ser realizada com músicas – por exemplo, se a água “ouvir” heavy metal ficará feia.

Esse tipo de pesquisa era no passado. Agora, os experimentos de Emoto voltaram com uma pequena diferença. A mesma experiência é aplicada em potes com água e arroz que são sujeitos à palavras de amor, ódio e indiferença. Após um mês proferindo as palavras para cada pote – ou não falando nada no caso da indiferença – o resultado é “impressionante”. No pote do amor o arroz fermentava naturalmente, no do ódio tornou-se uma substância escura e no pote ignorado o arroz embolorou.

No Brasil, o site Catraca Livre foi um dos responsáveis por divulgar o experimento e viralizá-lo em redes sociais. Confira abaixo o texto e vídeo sobre o experimento:

“Para provar que as palavras tem poder e tudo o que dizemos influencia as direções de nossas vidas, o japonês Masaru Emoto realizou uma experiência com arroz e água e conseguiu provar que amor, ódio e o descaso, quando proferidos, fazem toda a diferença.O experimento consistiu com três potes de vidro contendo a quantidade idêntica de arroz e água.

Em cada um deles, Masaru depositou uma energia diferente: no primeiro, foi transferido o amor e citada a frase “obrigado!”. No segundo, o propósito foi o ódio e Masaru repetiu, todos os dias “idiota!”, e no terceiro e último, ele apenas ignorou.

Depois de um mês, o resultado foi absolutamente impressionante! No pote do amor, o arroz estava fermentando naturalmente. No pote do ódio, os grãos se transformaram em uma substância escura. E no vidro ignorado, o arroz embolorou e o próximo passo caminhava para a decomposição.

Mesmo com questionamentos de cientistas e céticos, o experimento de Masaru Emoto conseguiu nos mostrar, claramente, que as palavras, assim como a energia que depositamos em algo ou alguém, fazem tudo ao nosso redor caminhar para o que realmente acreditamos”

Claro que você pode acreditar que as palavras têm poder etc. Mas vamos ser racionais. A pesquisa Masaru Emoto é algo totalmente questionável e pode ser combatida. Vamos lá. No caso da água, Emoto afirma que os cristais “bonitos” eram os submetidos às palavras agradáveis. Porém, é necessário analisar que “beleza” é uma convenção que se diferencia dentro de cada sociedade – assim, o que foi julgado bonito pelo próprio pesquisador que provou a tese?

Outro argumento que podemos utilizar é a linguagem. Afinal, a língua é uma construção dos seres humanos e, assim como o conceito de belo, diferencia-se em cada sociedade. Então, como o arroz poderia “adquirir” ou “aprender” a linguagem – japonês ou inglês – para compreender que trata-se de uma palavra agradável?

Largando o campo dos argumentos e partindo para os fatos, o cientista Kristopher Setchfield  pesquisou a tese de Emoto. Krystopher afirma que o japonês estaria oferecendo uma ciência falsa para a população. Ainda, cita como exemplo a fundação James Randi Educational que oferece um milhão de dólares para qualquer um que prove algo sobrenatural ou paranormal. A fundação propôs o desafio a Emoto e não foi respondida.

Por fim, com as próprias declarações de Emoto de que não é um cientista, mas um fotógrafo, podemos chegar a uma conclussão. Seu trabalho foge do rigor de um experimento científico – fato que lhe rende críticas no meio. Com base em tudo isso, podemos dizer, com todo respeito ao “cientista” japonês, que a teoria do arroz que ouve palavras bonitas está longe de ser comprovada.

65 thoughts on “Teoria falsa: Masaru Emoto diz que poder das palavras pode alterar substâncias

  1. José Marques

    Achar que as moléculas teriam de ser poliglotas é o argumento mais engraçado entre outros.
    É o velho problema positivista e sua arrogância intelectual que faz com que as pessoas acreditem cegamente na ciência enquanto os próprios cientistas não acreditam.

    Reply
    1. Roger

      Ele não quis dizer isso . Erro grave de interpretação de vcs . Japoneses tem cultura milenar , entendem a acupuntura , a medicina das plantas e os monges entendem bem de energia .
      Ele qdo chega perto de uma fonte de água e fala um palavra boa seu corpo está com uma energia boa que afeta aquela substância só Deus sabe como . Qdo fala algo ruim emana uma energia ruim que afeta a substância na sua frente. Para comprovar isso basta ficar perto dele e ver como faz e checar se as fotos se repetem sempre diante da mesma situação .
      Várias religiões benzem a água , inclusive a católica .
      Existe muito mais coisas entre o céu e a terra além da nosso conhecimento .

      Reply
  2. Rodrigo

    Porra o cara é um fotógrafo? kkkkkkkk enganou os trouxas bonito, se não é cientista, sua experiência é uma farsa para só enganar os crentes retardados, Se não é cientista, caso encerrado.

    Reply
  3. Carolina

    Misero textinho questionando um grande estudo!!!!!
    Hahahahahahahahahahahahahahahahahah

    Reply
  4. Grifo

    O teste é bem simples, e tem uma ótima intenção. Se você criar uma criança falando pra ela palavras ruins, é bem provável que ela se torne um adulto triste. Nesse sentido todas as palavras influenciam diretamente as pessoas. Crianças que acreditam no Papai Noel na época do natal, são mais felizes que as crianças que não acreditam que ele existe. A essência desse experimento é mostrar que devemos ser educados e ter sempre pensamentos positivos. Mas o Sr. André Packer, simplesmente quer provar que a palavra não tem poder de alterar as substâncias, esquecendo completamente o verdadeiro sentido por traz da experiência (nos dar esperanças).

    Reply
    1. Tais

      Mas as palavras têm poder em pessoas e animais até. Ninguém está negando isso. O problema é querer provar que ela tem poder sobre coisas inanimadas. Não precisa disso, melhor mostrar uma experiência com pessoas em vez de uma enganação com água e arroz.

      Reply
  5. Loise

    Kkk!!!As palavras tem vibração…O arroz ñ precisa entender.As vibrações ñ tem idioma kkkk!

    Reply
    1. José Marques

      Primeira coisa sensata que leio entre os comentários!
      Achar que as moléculas teriam de ser poliglotas, é o argumento mais engraçado entre outros.
      É o velho problema positivista e sua arrogância intelectual que faz com que as pessoas acreditem cegamente na ciência enquanto os próprios cientistas não acreditam.

      Reply
  6. Adolfo

    Esse site já está virando “boato” kkkkkkkkkkkkkk como se perdem em determinadas questões…..
    já perderam a credibilidade. o boatos.org já virou boato.

    Reply
  7. Mandy

    Começo falando algo que certa vez uma professora falou pra um colega meu de classe, quando este questionou Freud: “quem é você pra questionar um trabalho científico? Cresça, se torne um cientista, baseie seu trabalho na mesma linha de quem você questiona, e mostre com outra teoria que a anterior está errada.”.

    A beleza do cristal de água baseia-se num conceito químico. Se você não acha um cristal perfeito bonito, entenda que há uma convenção química que diz que aquele cristal é bonito, pois as moléculas se organizam com harmonia. Sacou?

    À partir dessa, parei de ler o artigo. Não dá. Juro que entrei aqui achando que esse era o relato de alguém que fez um outro experimento científico que provou o contrário. Mas não… É só alguém no “achismo”.

    Reply
    1. Gianluca

      Muito superficial esse texto. Até pra ser cético tem que estudar o que vai criticar.

      1 – Ele crítica o argumento da beleza do cristal de água, dizendo que depende do conceito de beleza do observador, e que isso é relativo. Achei essa crítica superficial, visto que aqui trata-se de simetria. Inclusive existem vários estudos no campo da psicologia, mostrando que nosso conceito de beleza, está fortemente ligado a simetria.

      2 – Ele fala que o cristal teria que ‘aprender’ a língua em que as palavras fossem ditas. Cara, sinceramente…. Essa foi uma mancada incrível, é só procurar estudar e entender melhor a proposta do pesquisador. Ele fala claramente que trata-se de intensão e vibração dos sentimentos atribuídos às palavras.

      Eu não estou defendendo a tese desse pesquisador. Porque para defender ou criticar algo é preciso conhecê-lo bem. Achei que faltou isso neste post, sem dúvida foi uma abordagem bem superficial.

      Reply
    2. Luis Salgado

      Falou muito bem! Esse crítico não contra pesquisou nada. Não tem o direito de achar o assunto falso.

      Reply
  8. Gabriel

    Na verdade, tudo depende do que emana do coração, é nisso que acredito: “a boca fala do que o coração está cheio”.

    Reply
  9. luiz cerqueira

    Olá,
    o experimento de Masaru é reconhecido por pesquisadores e cientistas de física quântica. Se entender um pouco o conceito, verá que não esta em questão a palavra ou idioma. E sim o sentimento que ela representa e que isso pode alterar a matéria.
    Segue o link de um filme importante de física quântica. https://www.youtube.com/watch?v=M7dBhG0PWog

    Logo, a ciência de hoje comprova que é possível isso e muitas outras coisas.
    Lembre-se que somos formado de 95% de água. E que a água benta tem sentido!

    Reply
    1. Ana Karina Nogueira

      Concordo contigo Luiz Cerqueira! O sentimento emanado ao se pronunciar a palavra é que faz a diferença! A diferença está na qualidade da energia lançada! Uma pena que muitas pessoas ainda não conseguem entender a física quântica…

      Reply
  10. Naiara Melo

    Acredito sim que palavras positivas atraem coisas positivas, assim como palavras negativas atraem coisas negativas. Basta observar o comportamento de uma criança que vive em ambiente positivo e outra negativo.

    Independente se o teste foi real ou não, a mensagem foi passada!

    ás vezes criamos caso demais para algo simples.

    Reply
  11. Elis

    Eu tb pensei sobre estas questões. Quanto a definição de beleza, quando ele disse que a do amor se tornou o mais belo dos criatais eu pensei exatamente que o conceito de beleza não poderia ser definido pelos olhos de um indivíduo por si e pensei q talvez ele deveria ter dito em relação a simetria dos cristais, pois realmente o cérebro processa e percebe como agradável e prazeiroso objetos, figuras e formas simétricas, mesmo q possa variar de cultura para cultura e de periodos históricos essa faceta do cérebro humano é um mecanismo basal e existe para propósitos de instinto de defesa e sobrevivencia liberando diversos neurotransmissores q nos trazem sensação de prazer e reforçam nossos comportamentos, não tão simetrico perigo-não agradável-desconforto, simétrico-processamento rápido-agradável-prazeiroso. Claro que com a evolução o ser humano se tornou capaz de fazer inferencias mais complexas e levar em conta ou pesar outros fatores, mas a resposta basal imediata a simetria pode ser vista como universal. Quanto a questão das palavras e da língua, certamente o arroz ou a água não aprenderam nada rsrsrs quem sabe se existir realmente algo relacionado a intenção e energia de ação colocada no falar. Existem sim experimentos psicológicos bem conceituados que falam sobre a intenção e colocada no ato de falar ou cantar. O som é vibração sendo assim uma vibração X moldada por uma intenção de raiva, amor, angustia e etc pode ser percebida independente das vogais e consoantes usadas. Não podemos dizer se este experimento foi ou não válido, mas eu pessoalmente não divido que vibrações claras de um determinado som aplicadas sobre um elemento como a agua podem quem sabe gerar resultados diferentes q nós perceberiamos como diferentes formas mais ou menos simétricas, mais ou menos caóticas. Da mesma forma que os acordes consonantes estão intrinsecos em si mesmos quando analisamos sua a série harmonica e os dissonantes não, pois estão muito distantes na série o que os tornam relativamente estranhos e geram certo incomodo. A minha unica dúvida sobre o assunto é se o elemento água conseguiria guardar ou registrar essas vibrações a ponto de mante-las ao ser congeladas, pq ao nosso ver a aguá não tem consciência nem memória e é totalmente adaptável ao recipiente q a cerca, a grande pergunta seria, como estas moléculas guardam ou armazenam a intenção gerada pela vibração sonora? Será que essa energia de ação colocada na intençao de raiva por ex tem o poder de modificar suas particulas? Se isso acontecer temos q tomar muito cuidado com nossos pensamentos e palavras… Rsrsrs positividadeeee :)

    Reply
  12. AlGade

    Bom, se os experimentos de Masaru Emoto são ou não fiéis com a realidade eu não sei, mas, se este experimento sobre o comportamento d’água sobre efeito de ultrassom é real, como podemos ver, então…. venhamos e convenhamos que o que ele afirma também pode ser real.

    htps://www.youtube.com/whatch?v=MKMf7PCkoZQ (vc também acessará esse vídeo copiando e colando na página do youtube a seguinte frase: “Scientists found out how to levitate liquid droplets with sound” – provavelmente será o primeiro vídeo da lista de reprodução)

    Reply
  13. Othon Otuka

    Inacreditável com um site que pretende desconstruir boatos e farsas, consegue em uma única matéria, desconstruir sua própria credibilidade!!!

    Afirmar que a teoria do Dr. Emoto é uma farsa, com base nos dados apresentados, é no mínimo, falta de conhecimento, para não dizer, farsa!

    Eu não duvido e nem acredito. Mas não afirmo nada sem ter certeza absoluta!!!

    Vejamos o que o site afirma:
    “…A pesquisa Emoto é algo totalmente questionável e pode ser combatida. Vamos lá. No caso da água, Emoto afirma que os cristais “bonitos” eram os submetidos às palavras agradáveis. Porém, é necessário analisar que “beleza” é uma convenção que se diferencia dentro de cada sociedade …”

    -Em que lugar do mundo um raiar do sol é feio? Uma cultura afirma que é bonito e outra que é feio? Em que lugar do planeta, uma rosa é bonita num lugar e noutro a rosa é feia??? A beleza da criação, da natureza transcende gerações, culturas, raças ou credos! E a água não é criação da natureza?
    -Onde em vossa pesquisa, o Dr. Emoto afirmou que seu estudo foi feito com base em “Palavras” agradáveis ou desagradáveis? Não teria ele afirmado “Pensamentos e Sentimentos” agradáveis e desagradáveis????

    “…Outro argumento que podemos utilizar é a linguagem. Afinal, a língua é uma construção dos seres humanos e, assim como o conceito de belo, diferencia-se em cada sociedade… ”

    -Não é preciso nem responder a esta afirmação tosca, não é??? Já desconstruí vosso argumento no quesito anterior…

    “…Largando o campo dos argumentos e partindo para os fatos, o cientista Kristopher Setchfield pesquisou a tese de Emoto. Krystopher afirma que o japonês estaria oferecendo uma ciência falsa para a população…”

    -O Dr. Kristopher Setchfield, do Depto. de Ciências naturais do Castleton State College publicou em dezembro de 2005 um artigo chamado : Review and analysis of Dr. Masaru Emoto’s published work on the effects of external stimuli on the structural formation of ice crystal.
    Segundo as palavras do próprio Dr. Setchfield (Leia o artigo escrito por ele) foi observado o método científico utilizado pelo Dr. Emoto e se o experimento poderia ou não ser replicado em laboratório, para que pudesse ter validade científica comprovada. Ele acreditava que os métodos usados eram questionáveis e que uma duplicação dos testes não havia sido feita. E ele acrescenta que seria maravilhoso se a universidade de Castleton pudesse conduzir um experimento científico rigoroso para determinar se as conclusões do Dr. Emoto poderiam ter comprovação científica!
    Ou seja, o Dr. Setchfield não desmentia a teoria, tanto é que queria poder comprovar ou não a veracidade!!!

    “…Por fim, com as próprias declarações de Emoto de que não é um cientista, mas um fotógrafo…”

    -Uma das mais respeitadas Instituições científicas naturais do mundo, publicou um estudo feito por uma fotógrafa, sobre o efeito dos sentimentos nas lágrimas e fotografou. O Smithsonian Institute!!! -O que vocês tinham falado de ser fotógrafo e não cientista mesmo???
    http://www.smithsonianmag.com/science-nature/the-microscopic-structures-of-dried-human-tears-180947766/?no-ist

    “…que a teoria do arroz que ouve palavras bonitas está longe de ser comprovada…”
    -Mas peraí!!!! O Título da matéria diz: -TEORIA FALSA! E no final da matéria diz que a teoria está longe de ser comprovada??????? Afinal, decidam o que é a verdade pra vocês! A teoria é falsa ou não-comprovada???

    E pra finalizar, segue o link de 4 estudos feitos sobre a teoria do Dr. Emoto:

    -Dean Radin, Ph.D, do Institute of Noetic Sciences publicou um estudo Triplo-Cego no Journal of Scientific Exploration em 2008 chamado: “Effects of Distant Intention on Water Crystal Formation: A Triple-Blind Replication.” O estudo comprovou parcialmente a teoria do Dr. Emoto, mostrando que ele não estava totalmente errado e novos experimentos estão sendo feitos.
    http://www.deanradin.com/papers/emotoIIproof.pdf

    – O Dr. William Tiller, professor emérito da Universidade de Stanford comprovou que as intenções humanas (sentimentos) podem mudar o PH da água.
    http://www.tillerinstitute.com/pdf/White%20Paper%20I.pdf

    -O Dr. Jane Simmons Ph.D. da Holos University publicou artigo chamado: The Biologic Effects of the Interventions of Heart-Generated, sobre o estudo do desenvolvimento de sementes de trigo, cultivados com água imbuída de bons sentimentos.
    https://www.researchgate.net/publication/265224269_The_Biologic_Effects_of_the_Interventions_of_Heart-Generated_Coherence_and_Focused_Intention_on_Distilled_Water_Using_Plant_Growth_as_an_Objective_Measure

    -O Físico Dr. Cheng Luojia publicou vários artigos, expressando o milenar e meticuloso conhecimento da medicina chinesa, sobre a água e seus efeitos nos humanos. Diferentes tipos de água, imbuídos de energias específicas da natureza, para o bem estar do corpo e da mente.
    http://www.bibliotecapleyades.net/salud/esp_salud16a.htm

    E para finalizar, citando o físico, Dr. Cheng: -Um antigo provérbio chinês diz: -A água é o espelho do coração.

    Sugiro estudar e buscar informações verídicas antes de tentar desconstruir uma teoria.

    Reply
    1. Elis

      Eu tb pensei sobre estas questões. Quanto a definição de beleza, quando ele disse que a do amor se tornou o mais belo dos criatais eu pensei exatamente que o conceito de beleza não poderia ser definido pelos olhos de um indivíduo por si e pensei q talvez ele deveria ter dito em relação a simetria dos cristais, pois realmente o cérebro processa e percebe como agradável e prazeiroso objetos, figuras e formas simétricas, mesmo q possa variar de cultura para cultura e de periodos históricos essa faceta do cérebro humano é um mecanismo basal e existe para propósitos de instinto de defesa e sobrevivencia liberando diversos neurotransmissores q nos trazem sensação de prazer e reforçam nossos comportamentos, não tão simetrico perigo-não agradável-desconforto, simétrico-processamento rápido-agradável-prazeiroso. Claro que com a evolução o ser humano se tornou capaz de fazer inferencias mais complexas e levar em conta ou pesar outros fatores, mas a resposta basal imediata a simetria pode ser vista como universal. Quanto a questão das palavras e da língua, certamente o arroz ou a água não aprenderam nada rsrsrs quem sabe se existir realmente algo relacionado a intenção e energia de ação colocada no falar. Existem sim experimentos psicológicos bem conceituados que falam sobre a intenção e colocada no ato de falar ou cantar. O som é vibração sendo assim uma vibração X moldada por uma intenção de raiva, amor, angustia e etc pode ser percebida independente das vogais e consoantes usadas. Não podemos dizer se este experimento foi ou não válido, mas eu pessoalmente não divido que vibrações claras de um determinado som aplicadas sobre um elemento como a agua podem quem sabe gerar resultados diferentes q nós perceberiamos como diferentes formas mais ou menos simétricas, mais ou menos caóticas. Da mesma forma que os acordes consonantes estão intrinsecos em si mesmos quando analisamos sua a série harmonica e os dissonantes não, pois estão muito distantes na série o que os tornam relativamente estranhos e geram certo incomodo. A minha unica dúvida sobre o assunto é se o elemento água conseguiria guardar ou registrar essas vibrações a ponto de mante-las ao ser congeladas, pq ao nosso ver a aguá não tem consciência nem memória e é totalmente adaptável ao recipiente q a cerca, a grande pergunta seria, como estas moléculas guardam ou armazenam a intenção gerada pela vibração sonora? Será que essa energia de ação colocada na intençao de raiva por ex tem o poder de modificar suas particulas? Se isso acontecer temos q tomar muito cuidado com nossos pensamentos e palavras… Rsrsrs positividadeeee :)

      Reply
    2. Matheus

      Excelente. Esse é o raciocínio crítico que a populacao nao pode ter, senao a parte porca da midia cai. E cai feio.

      Reply
  14. Mateus Dylan

    Não importa o quanto seja verdadeiro, revolucionário ou científico. O fato de ter sido divulgado pelo catraca livre caga em pelo menos 95% da reputação de tudo isso que está sendo debatido.

    Reply
    1. AlGade

      Caraca!!!! Vc não gosta mesmo do “Catraca Livre” heim?!

      Afirmar – como vc afirma – que, seja o que for, “NÃO IMPORTA O QUANTO SEJA VERDADEIRO, REVOLUCIONÁRIO ou CIENTÍFICO”, acaba perdendo a validade só porque foi publicada no sítio do “Catraca”…

      Mateus, sugiro que vc procure ajuda profissional de um terapeuta ou psiquiatra, porque o seu caso é sério!

      Imagina se o “Catraca” publica que vc é um cara “inteligente”, “sério”, “honesto”! Como vai ficar sua reputação?! Afinal, se sair no “Catraca Livre” é mentira (“não importa o quanto seja verdadeiro…” disse vc)… é! Pois é!

      Reply
  15. João de Avila

    Simples assim, baseado na teoria das ondas passando pela dupla fenda, aos olhos do observador ela não existe, mas fora deste, elas acontecem. Ponto. Como questionar? Se quisermos respostas é preciso experimentá-lo, senão basta sermos o observador, e em não querendo aceitar duvida-se desmerecendo a proposta.
    Gostei do comentário do Bruno, onde o meio influencia o individuo.

    Reply
  16. Roberto

    Na verdade as palavras não tem força alguma, e sim o sentimento exposto e transmitido por elas, não importando as letras ou frases ditas, todo ser humano compartilha das mesmas emoções e são idênticas, ódio é ódio, não ha traduções para sentimentos, apenas para palavras… eu sei que parece óbvio o que eu digo porém é necessário, acredito dessa forma! Que a vida de todos você sejam maravilhosas e que a luz cada dia possa estar em suas vidas!

    Reply
    1. Nigth Crawler

      Macaco escravo fazendo seu papel.
      Aproveite seres com este nível de pensamento está com dias contados. Swissel… particula do tempo… provará isso no colisor de adrons.
      Vc está em um multiverso e a sua atual versão ñ passa de poeira.. daqui cem anos nem sua consciência estará na orbe. Estará em mundo inferior para evoluir. Alguns macacos qto mais estudam mais cegos se tornam. Ouvirá isso mais de uma vez.

      Reply
      1. AlGade

        Nigth Crawler, vc está falando de si mesmo/para si mesmo, né?!

        Porque só assim faz sentido suas palavras.

        Reply
  17. Douglas

    Para criticar precisa entender. Achei tão vaga sua crítica que não sei nem por onde começar a explicar. Acho que não vou perder meu tempo. Faça o seguinte… estude frequência de ondas! Depois volte a estudar de novo e permaneça assim o resto da vida até não dizer tanta besteira.

    Reply
    1. Yuri

      Qual a relação entre frequência de ondas e palavras? Acho que você andou estudando muito.

      Reply
      1. Guilherme neves

        Acho esse trabalho meio controverso, mas palavras são transmitidas por ondas sonoras, então…. tudo a ver com frequencia

        Reply
  18. Eliezer Pedros

    Vcs podem entender de pensamento positivo, de que alegria traz bons fluidos ao ambiente e tal. Mas sobre o que é ciência, o que é o pensamento científico, isso os Srs. não tem a menor idéia. O que esse Sr. fez foi enganar quem não conhece o que é Ciência. Simples assim.

    Reply
  19. Paula

    André Packer, eu que digo vamos ser racionais. Quando Emoto diz que os cristais “bonitos” são os que foram submetidos às palavras agradáveis ele não se refere ao conceito de “beleza” e sim que todos esses cristais obtiveram uma característica em comum: o formato HEXAGONAL. Sendo assim ele chamou de “belo”. Você não pesquisou muito pra postar essa matéria ne… Agora no caso da água que foi submetida às palavras negativas nenhum cristal obteve característica em comum, todos ficaram com formato diferente do outro sem nenhuma relação, nenhum tomou forma hexagonal, se todos esses cristais também obtivessem uma característica em comum , um formato expecífico, enfim, ai sim poderíamos dizer que o experimento não tem fundamento. Agora lhe pergunto quem é racional?
    A linguagem é construção dos seres humanos sim, que por fim dominam esse planeta, e se domina tem poder. Poder esse que o próprio ser humano desconhece. A palavra “hate you” por exemplo, não importa se escrita em inglês, japonês,etc, se você joga no tradutor terá a tradução do seu significado em qualquer idioma, a humanidade que domina a Terra sabe o que significa “hate you”, é um sentimento ruim, negativo, e por fim o mais forte (humano) sempre domina querendo ou não querendo essa é a lei do Universo, se por exemplo uma barragem de hidrelétrica não for forte o suficiente a água pode destruí-la mesmo sendo de concreto. Na natureza o que vence é o mais forte ou o mais inteligente, é o sempre o “mais” que vence.
    Assim, o experimento da água mostra a influência das palavras e confirma o poder do ser humano e não o poder da água ou inteligência da água.
    O experimento de Emoto é bem claro, mas nem todos enxergam. Falso e verdadeiro é relativo.

    Reply
  20. Gilgamesh

    As refutações aos experimentos de Masaro Emoto são muito infantis. Se basear no relativismo da beleza para contestar a alteração na visualização da molécula de água é ridículo! O que importa não é como o observador vê a molécula, mas sim o fato de a molécula ter sua aparência alterada só com força mental.

    Outro argumento muito fraco na contestação é o uso das palavras. O artigo tem a seguinte pergunta: “Então, como o arroz poderia “adquirir” ou “aprender” a linguagem – japonês ou inglês – para compreender que trata-se de uma palavra agradável?”. Francamente, esta pergunta é hilária, chega a ser risível! É uma pergunta tão infantil, que chega a ser inverossímil. Parece que foi feita por uma criança de 5 anos ou por um adulto retardado. É claro que o arroz não entende! As moléculas do arroz sofrem o efeito das ondas eletromagnéticas do cérebro. Não são as palavras que atuam, são as fortes vibrações mentais que fazem o cérebro produzir ondas eletromagnéticas com intensidade suficiente para afetar os átomos que compõem as moléculas do arroz. As palavras ajudam muito, porque o ser humano associa diretamente sentimentos e emoções às palavras.

    O cientista que desafia o Masaro Emoto tem má-fé, porque Masaro Emoto não é paranormal e ele ensina qualquer um a fazer a experiência em casa mesmo. Portanto, por que o próprio cientista não faz a experiência? Pra que desafiar Masaro Emoto? Se qualquer um pode fazer a experiência, o desafio fica sem sentido.

    Com relação ao desafio do vigarista James Randi: Só assina o contrato desse desafio quem é trouxa, porque o contrato tem cláusulas capciosas. Em uma cláusula, James Randi proíbe o desafiado a contestar judicialmente o resultado e as conclusões da Fundação James Randi. Em outra cláusula, consta que o sr. Randi pode fazer o que bem quiser com os resultados dos testes.

    Outra coisa: Quem disse que é preciso ser cientista para fazer experiências?

    Reply
    1. maiara

      Concordo com tudo colega, menos com o fato de parecer pergunta de criança de 5 anos, crianças de 5 anos fazem perguntas de extrema inteligência. Fico com a opção do adulto retardado

      Reply
  21. Silvia Maria dos Santos

    Vocês questionam o método de pesquisa, nem quero entrar em discussão pois não sou da área, mas não pode ser considerado Boato pois Masaru Emoto existe e fez este experimento, que abrirá brechas para outros estudos. Quem consegue explicar o poder da Homeopatia cujo remédio é agua pura?

    Reply
    1. Carlos

      Acredito que qualquer um que tenha conhecimento sobre o Efeito Placebo.

      Reply
  22. João Andrade

    Tá duvidando?? Faça a experiência , eu fiz, no meu caso deu certo.

    Reply
  23. Lauriano

    Bom dia, a respeito é uma experiência tão simples, ao invés de questionarmos por que não fazer e tirarmos nossas próprias conclusões, seja ela feita com arroz, com uma flor ou apenas com uma fruta, eu já fiz e sei da resposta, sempre uso uma técnica chamada experimentação, ela encurta os achismos e principalmente a opinião de muitas pessoas que ouvem, alguém disse e passam a adotar isso como sendo seu pensamento.

    Então como sugestão faça a experiência e tirem as suas próprias conclusões.

    Um grande abraço a todos,

    Reply
  24. Flávia

    Não acredito que a teoria seja falsa. André chame de beleza ou não, mas no pote que foi influenciado positivamente as imagens são mais simetricas e complexas, não apenas um turbilhão de água (você consegue formar essa figura microscópicamente na água? Porque o turbilhão eu consigo).
    Não é o tipo de linguagem (português, inglês, italiano…) que influencia no resultado e sim os sentimentos que cada um manda para o pote.
    Se eu fosse o Emoto também não aceitaria o premio de teoria paranormal, porque isso é real, pode não ter todos os requisitos para ser científico, mas não é um fato sobrenatural, são leis físicas ação e reação tudo o que você projeta gera resultados em você ou no próximo (seja uma substância ou uma pessoa )

    Reply
    1. Ligia

      Muito legal sua reflexão sobre ser o sentimento e não as palavras.. interessante. Abraço.

      Reply
    2. Silvia Maria dos Santos

      Verdade são os sentimentos colocados. Agora imagina o efeito no nosso corpo que é constituído de 85 % de água.

      Reply
  25. Bruno

    Não é preciso de cientista para provar esse tipo de coisa. Basta ficar ao lado de uma pessoa moralmente abalada, e pessimista para ver como o seu “clima” muda. Fique ao lado de uma pessoa otimista e de bem com a vida para sentir a diferença. Se até a cura pela fé do ser humano pode ser provada pela ciência, como desapropriar uma teoria como esta?

    Reply
  26. Henrique

    Einstein era só um funcionário de escritório de patentes, e nunca provou sua própria teoria, necessitou de Arthur Eddington.

    Reply
  27. Evandro Perotto

    Que crítica ignorante! O Massaru Emoto demonstra modificações na matéria, sugere uma causalidade, mas porque não a explica em padrões “científicos”, isso o faz um embusteiro ou farsante?
    Se ler seriamente sobre a história da ciência e mesmo que a categoria “ciência” é uma criação humana tanto quanto qualquer outra e que “objetividade” em ciência é um mito, tanto quanto qualquer outro. Aliás, na ciência pode ser ainda mais danoso, porque criou a ilusão da verdade e a arrogância do saber. A Física mesmo está muito mais aberta a essas possibilidades “pseudocientíficas” e estão anos luz à frente desses céticos de blogs. Se conhecer um pouco mais sobre a Teoria das Cordas, só como exemplo, verá que a possibilidade de relações multidimensionais é o campo mais avançado da física atualmente e eu consigo enxergar que o que Sr. Massaru Emoto fez foi perceber uma entre as infinitas possibilidades. Uma pergunta final: se o Sr. Massaru estava errado, então porque os três potes não tiveram a mesma modificação?
    Isso me lembrou uma pequena história sobre a atitude diante do desconhecido. Há muitos séculos, um observador mostrou a Lua. Os estúpidos olharam o observador e o escarneceram. Um visionário ficou curioso e resolveu investigar o que aquele homem havia observado e ficou maravilhado em saber que poderia descobrir a Lua e todo o universo.

    Reply
    1. Allan Ramos

      Caros,
      Como um pacificador e apreciador de estudos que fogem dos padrões prussianos. Acredito e já tive experiências positivas e negativas em minha vida em relação ao condicionamento de meus pensamentos. Ou seja, eu comprovei por mim mesmo, sem ao menos conhecer essa experiência nobre do Japonês. O raciocínio é simples, faça você mesmo um análise básica em relação ao que você adquiriu nos últimos tempos “bens materiais”, “bons vínculos”, “sucesso profissional” e etc, reflita sobre a tua “energia” canalizada para conseguir aquilo que desejou. Estou lendo o comentário de algumas pessoas céticas, e que discordam, criticam, enfim, são pessoas que se enquadram no sistema prussiano e ainda não evoluíram a forma de raciocinar com o pensamento “fora da caixa”, questionem, reproduzam e ai sim deem a sua opinião. Os maiores pensadores e empreendedores do Mundo se atentaram a pensar “fora da caixa”, questionar, acreditar em algo que seja “fora dos padrões”. O ser humano utiliza apenas 10% do cérebro, para provar o estudo do Japonês não existe a necessidade da dúvida para este caso. Primeiro acreditamos para termos, se você parte da descrença é óbvio que nem quando o estudo for comprovado cientificamente você irá acreditar. O dia que os Senhores céticos acreditarem que existe uma força de: “pensamento positivo e pensamento negativo” através de evidências reais, os Senhores irão começar a pensar “fora da caixa” e evoluir pessoalmente, talvez os Senhores necessitem passar por algo difícil e que seja fora de seus planos para que comecem a entender um pouco mais. Thomas Edson, Albert Einstein, Darwin, Ford e outras poucas pessoas de sucesso, elas acreditam na força do pensamento, sabem porque? porque pularam a barreira do modelo educativo “padronizado” quebraram o sistema contornando as crenças educacionais, sociais e culturais. Eu resumo meu comentário fazendo um apelo, porque o conhecimento e a experiência (acima de tudo) é algo proveitoso, portanto faça uma experiência com seus pensamentos primeiro (com você mesmo), e depois de ter feito isso ai sim você escreve alguma crítica dizendo que isso não funciona. Nosso corpo é feito de energia, tua energia se propaga (positiva e negativa) isso tem um impacto (positivo ou negativo) isso é pré-histórico, não precisa ser gênio, phd, só precisa ser um pouquinho autodidata e ser disciplinado para pesquisar sobre nosso cérebro e entender que a energia existe e se propaga através de nossas reações (positivas e negativas). Qual é a influência em tua estrutura emocional se você está passando por um momento “negativo”, sabe o que é isso? energia!. A serotonina que é a enzima do bem estar não se propaga em nosso corpo sozinha, ela precisa de estímulos, tais estímulos se tratam de “energia positiva real”, não adianta se dopar de serotonina sintética que você não estará feliz (apenas por um momento), porque não foi de dentro para fora, é complicado demais para explicar aos céticos arrogantes.

      Reply
  28. Marianne

    “Se você acredita ou se você não acredita de qq forma, vc esta certo”

    Reply
  29. Cezar

    O desafio do “1 milhão de dólares” não passa de uma farsa, um mito, e nenhum cientista sério deveria recorrer a ele para tentar descredenciar uma teoria. O Sr. Emoto não é cientista? E quem disse que o Sr.James Randi é? Ele não passa de um ilusionista pseudocético, e que de cientista, só tem o visual, que faz lembrar um pouco Darwin. Por favor, assistam no youtube: “Rupert Sheldrake desmascara James Randi – legendado.”

    Reply
  30. Luis Klock

    Não importa no que você acredite e/ou o que você faça, sempre vai haver alguém para discordar. Nem por isso você deve deixar de acreditar ou fazer alguma coisa.

    Pro Masaru Emoto, a certeza e a crença de que a água corresponde a estímulos do pensamento (energia, de certa forma), com certeza vale mais do que qualquer quantia em dinheiro.

    Quando ao Thiago, que fez a experiência e disse que não deu certo: quem garante que o que ele disse corresponde ao que ele estava pensando em relação aos potes de arroz? Aparentemente, ele nunca acreditou que daria certo, mas, provavelmente conseguiu o que queria: fazer com que outras pessoas assistissem ao seu vídeo e pensassem igual a ele.

    Reply
  31. Luis Klock

    Não importa no que você acredite e/ou o que você faça, sempre vai haver alguém para discordar. Nem por isso você deve deixar de acreditar ou fazer alguma coisa.

    Pro Masaru Emoto, a certeza e a crença de que a água corresponde a estímulos do pensamento (energia, de certa forma), com certeza vale mais do que qualquer quantia em dinheiro.

    Quando ao Thiago, que fez a experiência e disse que não deu certo: quem garante que o que ele disse corresponde ao que ele estava pensando em relação aos potes de arroz? Aparentemente, ele nunca acreditou que daria certo, mas, provavelmente conseguiu o que queria: fazer com que outras pessoas assistissem ao seu vídeo e pensassem igual a ele.

    Podem dizer o que quiserem, mas, no fim, estamos todos procurando uma maneira de alcançar a satisfação pessoal. Essa é apenas a minha opinião, meu ponto de vista.

    Reply
  32. Cristiano

    O trabalho de Emoto é pesquisa sim (olhem no dicionário o significado), embora não concluída (também não sei qual a proposta inicial) mas observando que ele não consegue provar a causa, a teoria ficou incompleta, MAS nem por isso deixa de ser relevante. Esta área de conhecimento não pertence ao portfólio da ciência moderna, por isso a maioria de críticas nos comentários, problema da ciência moderna que é limitada, não da pesquisa de Emoto. Para acrescentar, o assunto em questão é sobre energia, leiam um pouco mais sobre avançando para ciência oriental e vão ver que este mundo (das ciências) não é apenas o que aprendemos na escola. Quer começar?, começe por Fritjof Capra. Boas leituras. Obs: Pesquisar sobre a água nunca será bobagem..

    Reply
  33. Pedro Guilherme Lemes Alves

    Eu como pesquisador posso afirmar que, o que esse indivíduo fez (por favor não o chamem de cientista, pois você estará ofendendo toda uma classe que trabalha seriamente todos os dias) não pode ser chamado de ciência nem aqui e nem em lugar nenhum.

    O que ele fez não tem critério e nem rigor científico algum. Parem de acreditar nessas idiotices e estudem um pouco.

    Reply
    1. isabel

      Sabe o que mais irrita, é a arrogância que uns tem em se considerarem que ciência somente o é aquela pratica que só eles desenvolvem. E ciência está muito além do que pressupõe a limitada academia (universidade). Um pouco de humildade faz muito bem dentro de uma visão cartesiana e reducionista. Dr. Masaro Emoto está muito alem disso e só falaram alguma coisa depois que ele morreu, mas antes de cruticar tente entender como ele realizou os experimentos. FOI bem diferente desta forma simplista e cheia de preconceito s apresentada pela matéria. Enquanto tivermos estas pessoas que consideram cientista ima posição social que as colocam acima de reles mortais, teremos comentários como estes, reduzidos, cheios de falhas e que não subsistem a própria evolução.

      Reply
        1. maiara

          O que a a amiga falou não a matéria que é extremamente mal escrita e mal pensada

          Reply
  34. Daia

    Caro André, não querendo defender o Dr. Masaru Emoto mas já o fazendo, os seus argumentos de contestação também podem ser facilmente rebatidos.

    Vamos lá: você já viu o experimento com os cristais de água? Então. A “beleza” a que ele se refere é a simetria e harmonia das formas (que lembram os belos flocos de neve), enquanto que o “feio” é devido à ausência de padrões e, por isso, não agradam a visão. Perceba que estética é bem diferente dos conceitos de belo e feio.

    Quanto à “linguagem”, estais ignorando que tudo o que fazemos e falamos é emanado em forma de energia. Vc irá dizer que isso não é um fato científico, e não irei entrar nesse mérito. Apenas quero esclarecer que o experimento parte da premissa de que essa energia é real. A partir desse pressuposto, temos que palavras agradáveis influenciam o seu entorno, independentemente se falamos em japonês ou em inglês, podendo essa influência ser notada fisicamente, ou não.

    Só para deixar claro: não estou defendendo a veracidade dos resultados, pois, como vc mesmo disse, não há rigor científico e o experimento está sujeito a manipulações.

    Peço perdão antecipadamente se falei alguma besteira ou se o texto ficou confuso, mas espero ter aberto novos questionamentos. Abraços.

    Reply
    1. Jordana

      Apoiadíssimo seu comentário Daia! Todos os argumentos colocados pelo autor são totalmente questionáveis, e mostram que ele não tem noções sobre o conceito de energia proveniente dos pensamentos e palavras, que inclusive é um campo estudado e comprovado pela física quantica. E sobre o fato de Emoto não ter aceitado a proposta de ganhar um milhão se comprovar sua pesquisa também não é prova nada, o cara pode ter milhões de motivos para simplesmente não desejar ganhar essa quantia, e isso é problema dele. E não venham dizer que não existe alguém que se recusaria a isso pois direi que estão precisando estudar mais a história da humanidade, para que conheçam os vários exemplos semelhantes de personagens notáveis, além dos muitos outros que existem no anonimato.

      Reply
  35. daia

    Caro André, não querendo defender o Dr. Masaru Emoto mas já o fazendo, os seus argumentos de contestação também podem ser facilmente rebatidos.

    Vamos lá: você já viu o experimento com os cristais de água? Então. A “beleza” a que ele se refere é a simetria e harmonia das formas (que lembram os belos flocos de neve), enquanto que o “feio” é devido à ausência de padrões e, por isso, não agradam a visão. Perceba que estética é bem diferente dos conceitos de belo e feio.

    Quanto à “linguagem”, estais ignorando que tudo o que fazemos e falamos é emanado em forma de energia. Vc irá dizer que isso não é um fato científico, e não irei entrar nesse mérito. Apenas quero esclarecer que o experimento parte da premissa de que essa energia é real. A partir desse pressuposto, temos que palavras agradáveis influenciam o seu entorno, independentemente se falamos em japonês ou em inglês, podendo essa influência ser notada fisicamente, ou não.

    Só para deixar claro: não estou defendendo a veracidade dos resultados, pois, como vc mesmo disse, não há rigor científico e o experimento está sujeito a manipulações.

    Peço perdão antecipadamente se falei alguma besteira ou se o texto ficou confuso, mas espero ter aberto novos questionamentos. Abraços.

    Reply
    1. marta cóias

      Quem escreve “conclussão” desta maneira não deveria sequer estar a “pregar” sobre estes assuntos!

      Reply
      1. Luis Klock

        Não importa no que você acredite e/ou o que você faça, sempre vai haver alguém para discordar. Nem por isso você deve deixar de acreditar ou fazer alguma coisa.

        Pro Masaru Emoto, a certeza e a crença de que a água corresponde a estímulos do pensamento (energia, de certa forma), com certeza vale mais do que qualquer quantia em dinheiro.

        Quando ao Thiago, que fez a experiência e disse que não deu certo: quem garante que o que ele disse corresponde ao que ele estava pensando em relação aos potes de arroz? Aparentemente, ele nunca acreditou que daria certo, mas, provavelmente conseguiu o que queria: fazer com que outras pessoas assistissem ao seu vídeo e pensassem igual a ele.

        Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *