Roger Abdelmassih fugiu para o Líbano e está foragido #boato

Boato – Roger Abdelmassih fugiu do Brasil e está no Líbano. Médico possui origem libanesa e não pode ser preso.

As pessoas ainda manifestam choque e repúdio diante dos crimes cometidos por Roger Abdelmassih. O médico, de 73 anos, foi condenado a mais de 180 anos de prisão por ter abusado sexualmente de suas pacientes.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org
Siga o Boatos.org no Twitter:
Envie uma mensagem com a palavra #boato para (61) 99331-6821 e agende este número no seu telefone para receber as nossas atualizações gratuitamente no WhatsApp

Abdelmassih já foi condenado, mas o caso continua chamando atenção da internet. Tanto que, há alguns dias, tem circulado novas (nem tão novas) informações a respeito do caso. Na internet, um texto aponta que Roger Abdelmassih teria fugido para o Líbano e está foragido. Leia o que diz a mensagem:

Recebi e repasso. Lamentável. Mais uma do sr. Gilmar Mendes… Parabéns ao STF por mais uma decisão vulgar, carregada de elementos teóricos, medíocres e arcaicos (é como ter enviado flores as mulheres brasileiras…).

Hierarquia é como prateleira, quanto mais alta, mais inútil! Foge do Brasil para o Líbano o médico condenado a 278 anos por violentar 37 mulheres. O médico Roger Abdelmassih, de 67 anos, já está no Líbano, segundo a Folha. E por lá deve ficar porque tem origem libanesa e o Brasil não tem tratado de extradição com o Líbano. E isso poderia ter sido evitado, caso o ministro Gilmar Mendes não concedesse o habeas corpus que o tirou da cadeia.

Parabéns ao escritório de advocacia “Márcio Thomas Bastos”!!!! (que defendeu o safado!) VOCÊ TEM O DEVER CÍVICO DE DIVULGAR MAIS ESTA CANALHICE OU SIMPLESMENTE APAGAR, fazendo-se de OMISSO COMO A MAIORIA é no Brasil…

Roger Abdelmassih fugiu para o Líbano e está foragido?

Apesar de muita gente ter compartilhado a mensagem indignados com o desfecho do caso, há alguns ‘furos’ nessa mensagem que põe em cheque sua veracidade. Vamos aos fatos.

Abdelmassih, conhecido como “doutor vida”, era considerado referência em reprodução assistida no país. As primeiras denúncias de abusos sexuais em suas pacientes surgiram em 2008. Em junho de 2009, o médico foi indiciado por estupro e atentado violento ao pudor.

Roger Abdelmassih ficou preso entre agosto e dezembro de 2009, mas o Supremo Tribunal Federal (STF) concedeu o direito de responder ao processo em liberdade. Em novembro de 2010, o médico foi condenado a 278 anos de reclusão, por 48 ataques a 37 vítimas entre 1995 e 2008.

Em 2011, o habeas corpos foi revogado pela Justiça e o médico passou a ser procurado pela polícia. Após três anos foragido, Abdelmassih foi preso no Paraguai pela Polícia Federal, em agosto de 2014 – quando sua pena foi reduzida para 181 anos.

Acontece que a mensagem é velha. Em uma simples pesquisa na internet, conseguimos localizar registros do texto do boato de 2011. Como mencionamos anteriormente, o texto surgiu no período em que, de fato, o médico esteve foragido. Além disso, Abdelmassih estava no Paraguai e não no Líbano, como afirma a mensagem.

A título de conhecimento, saiba que em maio deste ano o médico foi internado por causa de uma broncopneumonia – que é uma inflamação nos pulmões. Abdelmassih aguarda a decisão da Justiça do pedido de indulto humanitário, quando, em casos de doença grave e permanente, o preso é liberado para o tratamento em casa. Após o pedido, a “tese do Líbano” voltou a circular.

Com isso, chegamos à conclusão que o texto que apontava que o médico foi para o Líbano era falso e foi baseado em uma história verdadeira (da fuga). Mas que, hoje, não passa de um boato fruto de outro boato (o texto publicado em 2011).

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de diversos leitores por WhatsApp. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp pelo telefone (61) 99331-6821.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)