Maria Eduarda tirou foto com fuzil e era envolvida com tráfico #boato

Boato – Maria Eduarda, menina que morreu no Rio de Janeiro, era envolvida com tráfico e tirou foto com um fuzil AK 47.

Há algumas horas, o Boatos.org desmentiu um boato envolvendo a morte da menina Maria Eduarda Alves da Conceição, de 13 anos, no Rio de Janeiro. Após desmentir a história, que apontava que ela tinha sido morta por tiros de AK 47, nós pensávamos que o caso estava encerrado. Ledo engano.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org
Siga o Boatos.org no Twitter:
Envie uma mensagem com a palavra #boato para (61) 99331-6821 e agende este número no seu telefone para receber as nossas atualizações gratuitamente no WhatsApp

A mais nova versão do caso ocorrido na comunidade de Acari dá conta que Maria Eduarda tinha se envolvido com o tráfico e sido assassinada por ter se envolvido com um homem de outra facção. As provas? Uma foto dela portando um fuzil e um vídeo de homens atirando (que seria no dia da execução). Leia o texto que acompanha a imagem e o vídeo:

A verdadeira história da mocinha de 13 anos. A IMPRENSA NÃO VAI DIVULGAR. Não havia caveirão no dia da morte. Ela estava envolvida com o movimento. Namorava um cara de outra facção. Os 2 caras que morreram executaram especificamente ela. Os policiais estavam próximos e trocaram tiros conseguindo surpreender os assassinos. Que os PM fizeram errado, fizeram.

Quem filmou é uma vagaba da comunidade, envolvida. O próprio diretor da escola, em entrevista, disse que ela era uma menina difícil, mas que devido ao trabalho na área esportiva, estavam conseguindo (sic) a salvação dela. Essa santinha tinha bolsa para treinar em um clube na Barra mas a família não conseguia bancar. Esta é a menina que morreu baleada na pátio da escola. Uma Santa, atleta e do bem, segundo a imprensa.

Maria Eduarda tirou foto com fuzil e era envolvida com tráfico?

É claro que um montão de “gente de bem” começou a viralizar a imagem e a informação. Mas será mesmo que a história é real? A resposta é não. Vamos aos fatos.

Vamos começar pelo o mais óbvio. Não há como o vídeo ser o do dia da morte de Maria Eduarda. O motivo é simples, ele já circulava na internet antes do acontecido em Acari. Ou seja, “strike 1”.

A imagem da menina de fuzil também não é de Maria Eduarda. Fizemos uma busca na internet e achamos registros das fotos do ano de 2015. Primeiro, Maria Eduarda teria 11 anos na época. Segundo, a descrição da imagem fala de “garotas de 15 anos”. Terceiro: olhe as imagens e compare se são as mesmas pessoas. “Strike 2”.

Compara a foto e me diga o que acha
Compara a foto e me diga o que acha

Sobre o texto: como o vídeo é antigo na internet, não temos “prova da execução”. Será que os próprios policiais não falariam isso para se defender da acusação? E pelo o que vimos, não falaram. De acordo com esta matéria, os homens estavam “praticando crimes” na rua e aí entraram e confronto com a polícia. Leia:

A Divisão de Homicídios da Capital, da Polícia Civil, investiga o caso, e a Polícia Militar informou por meio de nota que policiais militares do 41º Batalhão (Irajá) foram acionados e entraram em confronto com homens que estavam praticando crimes na Rua Prefeito Sá Lessa, na Fazenda Botafogo, próximo ao Rio Acari. Um fuzil e uma pistola foram apreendidos pela polícia.

Ainda sobre o texto, há matérias que, de fato, falam em chance de treinar no Tijuca Tênis Clube e que ela era indisciplinada. Porém, não há uma linha (pelo menos verdadeira) falando sobre envolvimento dela com policiais. “Strike 3”.

Resumindo: nem a foto da menina com fuzil é de Maria Eduarda, nem o vídeo são dos homens que foram mortos pela polícia, nem o texto é verdadeiro. Três boatos desmentidos em um. Antes de acabar, vamos destacar um post publicado pela família de Maria Eduardo. Seria legal você prestar atenção e seguir o conselho:

Aos covardes, que estão tentando denegrir , a imagem da minha prima , Maria Eduarda, repassando no WhatsApp. A foto de uma menina negra, junto à um áudio , dizendo “olha o que a garota baleada dentro da escola está portando….. Um fuzil” , a foto não tem nada a ver com a Duda, Por favor respeitem , todos nós da família, estamos sofrendo …… Minha prima não merece isso! Basta de tanta violência e desrespeito!

 Ps.: Esse artigo é uma sugestão de diversos leitores via WhatsApp. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook ou WhatsApp no telefone (61) 99331-6821.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

Um comentário em “Maria Eduarda tirou foto com fuzil e era envolvida com tráfico #boato

  • 06/04/2017 em 16:33
    Permalink

    Em meio a tanta invenção , bom que vcs existam. Ótimo trabalho : em geral. Grata. Leila.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)