Arnaldo Jabor escreve texto sobre o Rio Grande do Sul e gaúchos #boato

Boato – Arnaldo Jabor publica texto sobre gaúchos e diz que “o Rio Grande do Sul é como aquele filho que sai muito diferente do resto da família. A gente gosta, mas estranha”.

A internet é um território selvagem, principalmente quando se trata de boatos. Não é para menos. Com tanta gente criando e compartilhando conteúdos, é realmente difícil saber o que é verdadeiro e o que não é na internet. E nesse terreno fértil, o que não faltam são falsas citações atribuídas a famosos.

Falando em boatos, e falando em famosos, circula no Facebook e no WhatsApp um texto sobre o Rio Grande do Sul e gaúchos assinado por Arnaldo Jabor. Intitulado de “Os Gaúchos”, o texto afirma que “o Rio Grande do Sul é como aquele filho que sai muito diferente do resto da família. A gente gosta, mas estranha” e que “é possuidor do melhor índice de desenvolvimento humano do Brasil”. Leia trechos a seguir:

Arnaldo Jabor – Os Gaúchos O Rio Grande do Sul é como aquele filho que sai muito diferente do resto da família. A gente gosta, mas estranha. O Rio Grande do Sul entrou tarde no mapa do Brasil . Até o começo do século XIX, espanhóis e portugueses ainda se esfolavam para saber quem era o dono da terra gaúcha. Talvez por ter chegado depois, o Estado ficou com um jeito diferente de ser.

Começa que diverge no clima: um Brasil onde faz frio e venta, com pinheiros em vez de coqueiros, é tão fora do padrão quanto um Canadá que fosse à praia. Depois, tem a mania de tocar sanfona, que lá no RS chamam de gaita, e de tomar mate em vez de café. Mas o mais original de tudo é a personalidade forte do gaúcho. A gente rigorosa do sul não sabe nada do riso fácil e da fala mansa dos brasileiros do litoral, como cariocas e baianos. Em lugar do calorzinho da praia, o gaúcho tem o vazio e o silêncio do pampa, que precisou ser conquistado à unha dos espanhóis.

Há quem interprete que foi o desamparo diante desses abismos horizontais de espaço que gerou, como reação, o famoso temperamento belicoso dos sulinos. É uma teoria – mas conta com o precioso aval de um certo Analista de Bagé, personagem de Luis Fernando Veríssimo que recebia seus pacientes de bombacha e esporas, berrando: “Mas que frescura é essa de neurose, tchê?”

Arnaldo Jabor escreve texto sobre o Rio Grande do Sul e gaúchos?

A mensagem deixou muitos gaúchos orgulhosos e rendeu diversos compartilhamentos. Mas será mesmo que Arnaldo Jabor escreveu o texto “os gaúchos”? Desculpe estragar sua sexta-feira, mas a resposta é não. Vamos aos porquês.

De cara, tentamos buscar pelo texto nos locais onde o jornalista tem coluna. Procuramos e, como era de se esperar, não encontramos nada. Ao buscarmos pela origem do texto, encontramos registros desde 2006, alguns são de autoria desconhecida e outros foram atribuídos a Arnaldo Jabor.

É claro que essa não é a primeira vez que o jornalista aparece nas páginas do Boatos.org. Lembra do texto de Arnaldo Jabor denunciando ameaças de morte? Pois é, também não era dele. Assim como o texto “Que Tiro Foi Esse” e “a lei do caminhão de lixo”.

Como se não bastasse tudo isso, o próprio jornalista negou a autoria do texto durante uma transmissão de um programa da Rádio CBN. No programa, Arnaldo diz que “nega ter escrito aos bigodudos” e comenta ainda sobre outros artigos que já foram atribuídos a ele. E ainda diz que recebe elogios de textos que não são dele. Confira no vídeo:

E não publicam só textos safadinhos, mas até coisas épicas, como uma esplendorosa Ode aos Gaúchos que eu teria escrito, o que já me valeu abraços apertados de machos bigodudos em Porto Alegre, quebrando-me os ossos:

”Tchê, tua escritura estava macanuda, trilegal!”. Eu nego ter escrito aquele ditirambo meio farroupilha aos bigodudos, mas nego num tom vago, para não ser esculachado: ”Tu não escreveste? Então tu não amas nossas ”prendas” lindas, e negas ter escrito aquele pedaço em que tu dizes ”que a gente já nasce montado num bagual’? Aquilo fez meu pai chorar, e o pedaço em que falas que ”por baixo do poncho também bate um coração?” Tu tá tirando da reta, tché?”, e me aponta o dedo, de bombachas e faca de prata.

Como vocês puderam perceber a história de que Arnaldo Jabor escreve texto sobre o Rio Grande do Sul e gaúchos é falsa. O texto não é dele. É boato!

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)