Arnaldo Jabor faz texto “A Lei do Caminhão de Lixo” #boato

By | 17/08/2016

Boato – Arnaldo Jabor, jornalista e escritor brasileiro,  é autor do texto “A Lei do Caminhão de Lixo”, que fala sobre como lidar com pessoas com problemas. 

“Muitas pessoas são como caminhões de lixo. Andam por aí carregadas de sujeira, cheias de frustrações, de raiva, traumas e desapontamento”. Talvez você já tenha lido esse trecho em algum lugar. Possivelmente no Facebook e, até acompanhada de uma foto do “autor”, Arnaldo Jabor.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org

Arnaldo Jabor

Arnaldo Jabor faz texto “A Lei do Caminhão de Lixo”, diz boato.

O jornalista e escritor brasileiro possui um ponto de vista excêntrico, Jabor carrega consigo uma legião de fãs e críticos, gerando admiração e controvérsias mundo a fora.

Segundo um texto que está sendo replicado na web, o jornalista teve um dia de aprendizado. O texto, atribuído a Arnaldo Jabor, relata um episódio com um taxista. Confira na íntegra:

A Lei do Caminhão de Lixo (Por Arnaldo Jabor): Um dia peguei um táxi para o aeroporto. Estávamos rodando na faixa certa quando um carro preto saiu de repente do estacionamento direto na nossa frente. O taxista pisou no freio bruscamente, deslizou e escapou de bater em outro carro. Foi mesmo por um triz! O motorista desse outro carro sacudiu a cabeça e começou a gritar para nós nervosamente. Mas o taxista apenas sorriu e acenou para o cara, fazendo um sinal de positivo (e fez de maneira bastante amigável).

Indignado lhe perguntei: ‘Porque você fez isto? Este cara quase arruína o seu carro, a nós e quase nos manda para o hospital?!?!’ Foi quando o motorista do taxi me ensinou o que eu agora chamo de “A Lei do Caminhão de Lixo.” Ele explicou que muitas pessoas são como caminhões de lixo. Andam por aí carregadas de sujeira, cheias de frustrações, de raiva, traumas e desapontamento. À medida que suas pilhas de lixo crescem, elas precisam de um lugar para descarregar e às vezes descarregam sobre a gente.

Nunca tome isso como pessoal. Isto não é problema seu! É dele! Apenas sorria, acene, deseje-lhes sempre o bem e vá em frente. Não pegue o lixo de tais pessoas e nem o espalhe sobre outras pessoas no trabalho, EM CASA ou nas ruas. Fique tranquilo… respire E DEIXE O LIXEIRO PASSAR. O princípio disso é que pessoas felizes não deixam os caminhões de lixo estragarem o seu dia.

A vida é muito curta, não leve lixo com você! Limpe os sentimentos ruins, aborrecimentos do trabalho, picuinhas pessoais, ódio e frustrações.
Ame as pessoas que te tratam bem e trate bem as que não o fazem. 
A vida é 10% do que você faz dela e 90% da maneira como você a recebe!”

Arnaldo Jabor fez 0 texto “A Lei do Caminhão de Lixo”?

O texto pode trazer uma reflexão boa ou não, dependendo do ponto de vista. Entretanto, não entraremos aqui, no mérito qualidade de texto e, sim na veracidade dos fatos.

Às vezes, na internet, um texto assinado ou de autoria desconhecida, se transforma. E o que era palavras de um, acaba se tornando de todos, e esse foi o caso dessa história.

Falsas citações, atribuídas a escritores famosos, são figurinhas marcadas na internet. Lembra do texto do Luiz Fernando Veríssimo criticando o Big Brother Brasil? Pois é, esse texto também não era dele. Assim como, o texto em que Jabor denunciava ameaças de morte.

Ao checarmos as informações, chegamos à conclusão que o texto surgiu na internet como “autor desconhecido” em 2009. Somente em 2011, a obra foi atribuída a Jabor. Não é estranho que o autor só tenha revelado sua identidade dois anos depois? Além disso, se você acompanha o jornalista sabe que não é do feitio dele ser tão paciente assim.

Apesar de não ter sido tão compartilhado quanto os boatos, recentemente o jornalista publicou um vídeo, onde fala sobre os inúmeros artigos que circulam na internet com seu nome, mas que não foram escritos por ele. Confira:

Resumindo: podemos afirmar que a história de que Arnaldo Jabor fez o texto “A Lei do Caminhão de Lixo” é falsa. Então, antes de fazer coro com o #soliverdades cuidado para não compartilhar boato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *