Juiz dá voz de prisão a atendente do McDonald’s, diz lorota

By | 11/12/2014
Notícia falsa aponta que juiz deu voz de prisão a atendente do McDonald's

Notícia falsa aponta que juiz deu voz de prisão a atendente do McDonald’s

Boato – Juiz deu voz de prisão para um atendente do McDonald’s que não retirou picles do Big Mac.

Depois que um juiz do Rio de Janeiro recebeu indenização de uma agente de transito por causa de multa na Lei Seca, muita gente se revoltou com a atitude de certos magistrados do país. E outra notícia que apareceu na internet revoltou ainda mais algumas pessoas. Ela dava conta de que um juiz havia dado ordem de prisão a um atendente do McDonald’s simplesmente por ele não retirar picles do McDonald’s. Leia:

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org

JUIZ DÁ VOZ DE PRISÃO A ATENDENTE DO MCDONALDS QUE NÃO RETIROU O PICLES DO BIG MAC

Depois do juiz que foi indenizado após a agente de trânsito dizer que ele não era Deus e do caso do juiz que chegou atrasado no aeroporto e deu ordem de prisão para o atendente da TAM que não o deixou embarcar no avião, o caso mais esdrúxulo e impensado, aconteceu na capital Paulista.

O juiz de direito Marco Astolfo Lins e Albuquerque, deu voz de prisão a um atendente do Mcdonalds que serviu um big mac ao seu filho com picles. Segundo o juiz, seu filho, de 9 anos de idade é alérgico à picles, e por este motivo solicitou ao atendente que preparasse o lanche sem o item, contudo, ao receber o lanche percebeu que o mesmo estava completo.

Uma discussão se iniciou e após alguns minutos o juiz deu voz de prisão ao atendente e todos foram parar na delegacia. Nenhuma das partes quis comentar o caso. A assessoria de imprensa do Mcdonalds se pronunciou dizendo que vai apurar o caso, mas deixou os advogados da empresa à disposição do seu funcionário.

Depois dos casos reais que apareceram, claro que não deveríamos duvidar da capacidade dos nossos juízes do Brasil. Mas, pelo menos dessa vez, a informação é falsa. Tentamos buscar mais informações a respeito do caso e não encontramos em nenhum site de notícias ou oficial.

Ao buscar pelo nome do juiz Marco Astolfo Lins e Albuquerque, não encontramos nenhuma informação a respeito dele além, claro, do caso do McDonald’s. Como assim, o tal juiz nunca foi citado antes da tal história? Resolvemos procurar pelo juiz da história e chegamos ao perfil do Linkedin de “Phillip Scott“. Ou seja, nada de Astolfo.

Nem precisaríamos ter dado tantas voltas nesse texto. Até porque a mentira está logo na cara da notícia falsa. O Não Entendo Direito tem uma seção chamada Embuste que é justamente para eles publicarem as boatarias mundo afora.

Com todos esses indícios, podemos afirmar que, desta vez e por enquanto, nenhum juiz usou de sua “otoridade” para mandar prender atendentes de redes de fast-foods norte-americanas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *